Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

[Crítica] Podcast de Mano Brown, “Mano a Mano”: uma aula sobre democracia e diálogo

Mano Brown, o Rapper mais importante do país, recebe convidados polêmicos para uma conversa franca sobre o Brasil e, principalmente, o povo brasileiro.

Por Adonai Elias | Culturador

Mano Brown estreou em 2021 o podcast “Mano a Mano”, uma produção original e exclusiva do Spotify. A atração está no topo de programas mais escutados da plataforma. Além da presença do vocalista dos Racionais como entrevistador, fazem parte da receita convidados como Lula, Karol Conká e Fernando Holiday (MBL). Mas será que, além de nomes relevantes e polêmicos, o podcast pode nos oferecer mais?

Mano Brown. Foto: Pedro Dimitrow
Mano Brown. Foto: Pedro Dimitrow

São tantas as possibilidades de programas do gênero, inclusive que já entrevistaram as mesmas pessoas, por que o de Brown se destaca? Para responder a estas e outras perguntas, vamos observar aqui alguns detalhes importantes e entender o porquê de tamanha repercussão.

Mano Brown está mais interessado nas perguntas do que nas respostas:

Assim como todos nós, o rapper mais influente do país disse que precisou “fugir da ansiedade e da falta de perspectiva”, durante a pandemia. Por isso foi estudar teologia, arqueologia, ciência e a diáspora africana. Daí surgiu a ideia do podcast, que debate todos esses assuntos dentro do dia-a-dia dos brasileiros.

O “ídolo Mano Brown” desce do pedestal e se coloca ao nosso lado (falando a nossa língua), para fazer perguntas de extrema relevância a convidados que possuem conhecimento de causa. Um ato que demonstra ao jovem da periferia (seu principal público) e a todos, que o diálogo e a busca por conhecimento são importantes, o que ele faz questão de ressaltar.

Além do que é confortável, o podcast se propõe a dialogar com o divergente. Questionado sobre a participação de Fernando Holiday (MBL), ele respondeu na coletiva de lançamento: “O Mano a Mano é uma continuidade do que acontece no meu dia a dia. Eu não sou cercado apenas por pessoas que pensam como eu, então a gente conversa e debate. Não quero criar confronto de ideias, mas abrir uma possibilidade de diálogo“. 

Mano Brown entrevista Karol Conka. Foto: Jef Delgado
Mano Brown entrevista Karol Conka. Foto: Jef Delgado

Conversas fogem do senso comum, com posicionamentos polêmicos, mas embasados:

Na estreia do podcast, Brown recebeu Karol Conká. Foi possível observar dois companheiros pretos, do rap e da periferia, que demonstraram que o afeto é mais importante do que o ódio. 

Ele também foi questionado sobre a presença de Conká e afirmou: ”Talvez eu tivesse uma rejeição maior que a dela. Eu enxerguei a minha mãe nela, em alguns momentos eu comparava ela com a minha mãe”. 

Um dos momentos mais significativos do episódio, Karol falou dos seus problemas com o cancelamento vivido após o BBB 21. Explicou a raiva descontrolada que sentia, a origem desse sentimento e o rapper respondeu:

“Vendo você falar assim, fico com a impressão de que você abraçou um pouco do que falam de você. Eu não te julgo, mas eu não sei se as pessoas estão merecendo você pedir tanto perdão, porque qualquer pessoa, negra, branca, artista, desempregado ou advogado agiria de forma aflorada nas mesmas condições que você”.

Mano Brown entrevista Lula. Foto: Jef Delgado
Mano Brown entrevista Lula. Foto: Jef Delgado

O episódio mais comentado: Brown recebe Lula

A entrevista de Mano Brown e Lula aconteceu no terceiro episódio do podcast. E, como dá pra imaginar – se você ainda não ouviu – a conversa foi épica! O rapper, declaradamente um admirador do ex-presidente, se coloca como mediador, apresentando-o ao público jovem. Aqui, Brown se revela um comunicador gigante. E, algumas vezes, chega a confrontar o líder do PT com algumas desconfianças.

“Minha geração vê você como o candidato que perdeu três eleições, enquanto outra geração vê você como a situação. Você fez quase um milagre no Brasil, mas os jovens não te conhecem ainda”, afirmou Mano Brown. Ele pede ao ex-presidente diga, para a juventude, “quem é o Lula”.

Os dois também comentaram sobre a situação diante do governo Bolsonaro. Conversaram, por exemplo, sobre as novas perspectivas, empoderamento e anseios dos jovens. Falaram sobre a esquerda brasileira. Tudo de maneira muito franca. Um Lula cheio de convicções (qualidade enaltecida pelo rapper) e um Brown muito sincero.

Vamos ouvir Mano Brown?

O programa já conta com esses e outros episódios publicados. Como podemos perceber, Mano Brown nos convida ao diálogo franco, com ideias relevantes e, algumas vezes, divergentes, mas sempre democráticas. Um lugar para repensarmos a história e o futuro do nosso país, de pontos de vista diferentes.

Novos episódios do podcast vão ao ar às quintas-feiras. Todos estão disponíveis de forma gratuita no spotify.

Este conteúdo foi produzido por Adonai Elias
Adonai Elias é redator, web radialista e atualmente é Estagiário de SEO no Diários Associados (Jornal Estado de Minas). Graduando em Publicidade e Propaganda (UNA), escreve para o Culturadoria e para a revista eletrônica Lugar Artevistas. Todo sábado, às 15h, apresenta o programa “Nasci Para Bailar”, na Matula Web Rádio. Seu Instagram é @adonaielias.m.

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!