Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Conheça 5 promessas do jazz para ficar de olho em 2021

Artistas, músicos e cantores, como Cécile McLorin Salvant, Jonathan Ferr e outros estão mantendo a tradição revolucionária do segmento.

O jazz nunca foi um estilo tradicional, sempre se reinventou e mudou a música do mundo. Pelo menos o ocidental. Há quem valorize muito mais o século anterior, marcado por grandes nomes como Billie Holiday e Louis Armstrong. Afinal, a música desses ídolos se mantém revolucionária até hoje. Porém o estilo continua se reinventando com grandes promessas do jazz, que estudam o passado para novas transgressões.

O Brasil também participa ativamente desse movimento. Abaixo preparamos uma lista com cinco promessas do jazz, brasileiros e gringos, homens e mulheres, que estão dando vida nova a esse estilo musical:

Cécile McLorin Salvant

Jazzista norte-americana, Cécile (32 anos) é a maior promessa vocal do jazz na atualidade. Principalmente para os admiradores das grandes musas como Billie Holiday, Sarah Vaughan e Ella Fitzgerald. Claro, todas são inspirações para a cantora. Já coleciona grandes prêmios internacionais, entre eles dois Grammys de melhor álbum de jazz vocal, pelos seus discos “For one to love” (2015) e “Dreams and Daggers” (2017). 

Cécile McLorin Salvant. Foto: Schaben/Divulgação

Apesar de ser muito jovem, a cantora possui uma carreira brilhante. Em pouquíssimos anos entrou para a elite do jazz internacional. Inclusive já veio ao Brasil em 2014, quando interpretou “Flor de Lis” (Djavan) e o público foi ao delírio. Será que Cécile se tornará uma grande ídola, como suas inspirações foram para o mundo? Isso não sabemos, mas aconselho acompanhar a sua jornada de perto!

Seu talento não para na música. Além de ser uma das maiores vocais do mundo atual, Cécile McLorin também é artista plástica e frequentemente compartilha suas obras no Instagram.

Jonathan Ferr

Instrumentista brasiliero, Jonathan Ferr (34 anos) é uma das grandes revelações e promessas do jazz nacional. Já participou – brilhantemente – de grandes festivais, como o Rock in Rio (2019) e Rio Montreux Jazz Festival (2020). Responsável por uma música super elegante, com piano, sintetizadores e metais, o artista luta para tornar o jazz mais acessível, fugindo do que chama de “pseudo elitização”.

Nascido em Madureira, no Rio de Janeiro, Jonathan Ferr nos apresenta um jazz urbano e afro futurista que dialoga profundamente com a contemporaneidade das ruas. O pianista possui dois álbuns lançados: “Trilogia do Amor” (2019) e “Cura” (2021). Em ambos é possível observar sua estética cheia de referências, como Miles Davis, Tom Jobim e a cultura hip hop.

Amaro Freitas

Criado em Nova Descoberta, periferia de Recife, Amaro Freitas é um dos pianistas mais elogiados do país, pela crítica nacional e internacional. O instrumentista faz jazz contemporâneo referenciado também em ritmos do nordeste do país, como o maracatu, baião e ciranda. Recentemente lançou o EP “Existe amor”, ao lado de Milton Nascimento e Criolo. 

Amaro já realizou turnês internacionais, principalmente na Europa, com seu segundo álbum “Rasif” (2018) e com o EP “Existe amor” (2020).  Em julho de 2021 lançou o terceiro disco, “Sankofa” e participou do aclamado “Um café lá em casa”, programa do guitarrista mineiro Nelson Faria, que recebe grandes nomes da música brasileira. A conversa entre eles foi genial, você pode conferir no vídeo acima.

Para a equipe da Downbeat – importante revista americana dedicada ao jazz – Amaro possui “uma abordagem do teclado tão única, que é surpreendente”.

Jacob Collier

Músico, cantor e multi instrumentista, Jacob Collier (27 anos) já é um grande fenômeno da música internacional, inclusive no mainstream. O artista britânico mistura influências do mundo pop com o jazz. Ele alcançou notoriedade após viralizar com vídeos de suas versões musicais de grandes clássicos. Em 2014 ganhou a atenção de Quincy Jones e Herbie Hancock – dois dos maiores ídolos e músicos da história do jazz – e logo foi apadrinhado por eles.

Em 2018, lançou o projeto “Djesse”, um álbum em quatro volumes, com o total de cinquenta músicas. O último volume está programado para este ano de 2021. O “Djesse Vol.3” está concorrendo esse ano ao Grammy de melhor álbum. Portanto, super aconselho estar perto de Jacob Collier em 2021 e nos anos seguintes.

Louise Woolley

A pianista e compositora Louise Wooley já esteve no Culturadoria como uma grande revelação do jazz no Brasil. E, nessa lista, não poderia ficar de fora. Em 2020 lançou o álbum “Rascunhos”, após uma temporada de dois anos na Europa. Nele a artista nos apresenta um incrível jazz com referências de samba e bossa nova.

Louise, além de excelente musicista, é curadora. E, este ano, é umas das responsáveis pela programação do Festival de Música Instrumental (MIA), que acontece em São Paulo, mas com atrações online.

Este conteúdo foi produzido por Adonai Elias

Sobre o autor: Adonai Elias é redator, web radialista e atualmente é Estagiário de SEO no Diários Associados (Jornal Estado de Minas). Graduando em Publicidade e Propaganda (UNA), escreve para o Culturadoria e para a revista eletrônica Lugar Artevistas. Todo sábado, às 15h, apresenta o programa “Nasci Para Bailar”, na Matula Web Rádio. Seu Instagram é @adonaielias.m.

Jonathan Ferr. Crédito: Renan Oliveira

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!