Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

O Beco: ‘Filho menor’ e mais informal do chef Cristóvão Laruça, foca em petiscos do mundo, mas tem essência portuguesa

Gostou? Compartilhe!

Situado dentro do Da Boca, no Santa Tereza, estabelecimento O Beco completa um ano neste mês e é boa alternativa para quem quer conhecer o trabalho do cozinheiro

Aline Gonçalves | Colunista Gastronomia

O chef português Cristóvão Laruça tornou-se, nos últimos cinco anos, um dos principais nomes da gastronomia de Belo Horizonte. Além disso, mostrou-se empreendedor. Hoje, está a frente de três restaurantes sofisticados. O Turi, inaugurado no Ponteio Lar Shopping no fim do ano passado. O Capitão Leitão, foi aberto no Santa Tereza há três anos. Tem, ainda, o Caravela, ‘primogênito’ que já trocou de endereços e desde 2017 ocupa espaço no Museu Abílio Barreto.

Mas para quem prefere informalidade, uma boa alternativa para conferir o trabalho do cozinheiro é o Beco, o menor dos estabelecimentos, com ticket médio mais em conta e situado dentro do Da Boca, no Santa Tereza, que celebra um ano neste mês de junho.

Primeiro, vale explicar como funciona o Da Boca (antigo Mercado da Boca). Diferentes estabelecimentos se reúnem em um mesmo espaço, com garçons compartilhados e bar único No caso da unidade do Santa Tereza, estão lá também Lolita Drinkeria, Rotisseria Central e Santa Pizza.

Cozinha urbana

Cristóvão inaugurou o Beco com a ideia de trazer uma comida mais urbana, com influências de diferentes partes do mundo. E isso de fato está presente, mas junto às raízes portuguesas do chef. A linguiça da casa é uma alheira portuguesa tradicional, feita com carnes de porco e galinha (R$ 38). Outro exemplo nessa linha da terrinha, com pitadas de criatividade, são os bolinhos de arroz de leitão com creme de cogumelos (R$ 34) e os bolinhos de bacalhau com maionese de peixe (R$ 32). 

“O cardápio do Beco é dinâmico. Vou tentando ajustar sempre de acordo com o os clientes, então, tem mudado com alguma frequência”, conta o chef. “O bolinho de bacalhau, por exemplo, é diferente, com uma emulsão típica do país basco. Tento fazer essas ‘brincadeiras’, pratos sendo influenciados pelas várias regiões do mundo em que viajei”, explica.

O Beco: 'Filho menor' e mais informal do chef Cristóvão Laruça, foca em petiscos do mundo, mas tem essência portuguesa. Crédito: Beco/Instagram
O Beco: ‘Filho menor’ e mais informal do chef Cristóvão Laruça, foca em petiscos do mundo, mas tem essência portuguesa. Crédito: Beco/Instagram

Entradas e principais

Nessa linha, surgem opções de entradinhas e petiscos. Por exemplo, tem ceviche de atum no canudinho (R$ 32), burrata com molho de tomate defumado, pesto e pó de azeitonas (R$ 49) e o torresmão de rolo com geleia de limão (R$ 38).

Os pratos também têm influências diversificadas. A dica, porém, é experimentar as opções com porco, carne na qual Cristóvão é especialista – e os mineiros, via de regra, preferem. Na lista, a mais imperdível é a costelinha com barbecue de maçã e purê de mandioca (R$ 48).

Mas há também prime rib de porco caipira Duroc com salada de batata e molho de mostarda (R$ 98, para dois). Confira, ainda, secretos de porco com batata creme e zimbro no forno a lenha (R$ 44). Para os vegetarianos, uma opção é a polenta cremosa com cogumelos defumados, legumes grelhados e ovos moles (R$ 42).

Beco
Dentro do Da Boca Santa Tereza (Rua Silvianópolis, 464, Santa Tereza) @becobh

Preços consultados em maio de 2022 e sujeitos a alteração

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!