fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Leitão é protagonista em novo gastrobar em BH

Novo restaurante do chef Cristóvão Laruça aposta em prato tradicional português em ambiente descolado e cheio de conceito

Por Carol Braga

27/08/2019 às 12:44

Publicidade - Portal UAI
Leitão à Bairrada.Foto: Carol Braga/Culturadoria

De muitas maneiras diferentes, cozinha é afeto. Você já experimentou comer uma receita que alguém fazia muito bem e a lembrança volta na hora, com o melhor que ela possa ter? Pois foi exatamente essa a sensação que veio só de ver a secura da pele do leitão à Bairrada que o chef Cristóvão Laruça serve no novíssimo gastrobar da cidade: o Capitão Leitão. Ao morder então, a saudade tomou conta do peito.

Como o nome do estabelecimento entrega, o leitão é mesmo o capitão do cardápio da casa inaugurada em agosto de 2019 pelo chef português. Ele também é o responsável pela cozinha do Caravela. Sim, aquele delicioso restaurante que fica dentro do Museu Abílio Barreto. No entanto, a pegada da casa situada em uma charmosa esquina do bairro Santa Tereza é totalmente diferente. Não apenas por causa do porco.

Conceito

“Santa Tereza é o local onde eu mais me sinto em Portugal”, comenta o Chef. Mesmo com essa referência – também afetiva-, Cristóvão nunca quis fazer algo tradicional por lá. Ou melhor, de tradição, basta o Leitão e Santa Tereza. A experiência em terras mineiras já ensinou, por exemplo, que o público local anda cada vez mais exigente. “Tem que ter conceito”, resume.

A cozinha de Laruça já segue por esse caminho. Ele é arquiteto de formação e guarda o ensinamento de um dos mestres que teve na graduação. Não importa se para fazer uma casa ou um prato, tem que ter conceito. “Se não tiver, não tem norte”, ensina ele. Essa máxima vale, portanto, para todos os detalhes do Capitão Leitão.

Começando justamente pela arquitetura, o gastrobar foi construído em uma antiga borracharia. O projeto de Felipe Geraldes, especialista neste tipo de espaço, conservou o piso, em tom esverdeado. As paredes, de tijolo à vista – e um pé direito muito alto – completam o clima industrial, assim como as plantas da decoração. De um lado fica a cozinha e do outro o bar.

Drinks

 

Drink inspirado em Fernando Pessoa. Foto: Carol Braga/Culturadoria

 

Desde o início, Cristóvão Laruça sabia que o novo restaurante não seria um local para degustar drinks da moda. Em outras palavras, lá não tem, por exemplo, Aperol e nem Moscow Mule, hits do momento. O cardápio especialmente preparado pela mixologista Jocássia Coelho é inspirado em Fernando Pessoa. Olha aí o conceito permeando.

Ela criou pelo menos 13 novas misturas para o Capitão Leitão. Cada drink (com valores de R$ 22 a R$ 29) leva o nome de um livro de Pessoa. Com o heterônimo Alvaro de Campos, escreveu Grandes são os desertos. Na tradução líquida de Jocássia, é a mistura de vodka, syrup de framboesa, sauvignon blanc e pétala de rosa. Custa R$ 29.

Nevoeiro (R$32), por exemplo, é feito com guaaja tiquira, geléia de pimenta, limão galego, syrup casca de abacaxi e ainda tem uma defumação de palo santo. Detalhe: ao vivo. Se o cliente quiser, ainda pode ler os poemas enquanto degusta.

Fora essas opções conceituais, o Capitão Leitão também tem vinhos (a partir de R$ 72 a garrafa de 750ml), cervejas (Original por R$13, por exemplo) e sodas (a partir de R$ 14).

Comidas

Apesar de fortemente ligado à tradição da culinária portuguesa, a formação gastronômica de Cristóvão Laruça tem muita influência do chef catalão Ferran Adrià. Para quem não conhece, o dono do El Bulli misturou muitas técnicas de química no desenvolvimento de uma cozinha molecular. Assim também é o canto esquerdo da cozinha de Cristóvão, um apaixonado pela pesquisa.

Tal modernidade marca presença nas opções de entrada do Capitão Leitão.  Entre os destaques, crocante com estufado de cogumelos em redução de leitão (R$ 25), ovinhos surpresa, também feitos com a redução do porco, ovo, espuma de batata finalizado com pó de cogumelo yanomami (R$26). Eis aqui o diálogo com o brasileiro Alex Atala. Vale experimentar também a rapa de arroz de leitão (R$ 30).

 

Ovo surpresa com pó de cogumelo yanomami. Foto: Carol Braga/Culturadoria

 

Prato Principal

O Leitão à Bairrada foi eleito uma das sete maravilhas da gastronomia portuguesa. Para repetir aqui os processos feitos no país natal, Cristóvão construiu fornos especiais. Segundo ele, a cozinha de Portugal e de Minas Gerais tem alguns pontos em comum. O gosto pela carne suína é um deles. “Nos encontramos no porco”, brinca.

Se por aqui, muitas famílias tem a leitoa como prato nobre, por lá é o leitão que ocupa este lugar. A diferença é que o leitão usado na região de Bairrada tem no máximo seis quilos. Ele gasta cerca de duas, a duas horas e meia para ficar pronto. O forno é à lenha e o animal é cozido espetado de fora a fora.  O tempero também é básico: sal, alho, banha, vinho branco e pimenta branca.

Diferentemente da tradição mineira, o leitão à Bairrada não tem a pele pururucada. Dessa maneira, ela fica lisinha e crocante. A carne, por sua fez, é branca, molhadinha e bem macia.

Outras opções

O Capitão Leitão serve a receita principal em pratos individuais (R$ 64), acompanhados de batata chips, tutu de feijão branco, laranja e salada de folhas. Para quem prefere experimentar outras variações, por exemplo, tem a Xara de Leitão (R$ 59) que é uma versão da carne prensada, acompanhada de molho bairradinho, laminado de batata e mini legumes.

A berinjela grelhada, acompanhada de creme de ervilhas, estufado de tomate e cogumelos salteados (R$ 58) é opção para os vegetarianos. E, para completar, mesmo a proposta do restaurante sendo diferente, tem bacalhau (R$ 80). No caso, assado no forno a lenha.

São duas opções de sobremesa, ambas a R$ 19. Sendo assim, Tarte tatin de pera com sorvete de cumaru e rabanada de brioche, caramelizada com sorvete de mexiriquinha. Sim, pode comer rezando!

Para quem quer experimentar de tudo e tem preguiça de escolher, o restaurante pretende oferecer um menu de dez tempos a R$ 99. Dessa maneira, são sete entradas e dois pratos principais. É claro que o Leitão à Bairrada fica, merecidamente, para o gran finale.

 

CAPITÃO LEITÃO

Horários de funcionamento: Almoço: Sexta, sábado e domingo – 12h às 16h; Jantar: Terça a sábado – 19h às 00h

Endereço: Rua Silvianópolis, 364 – Santa Tereza – Telefone: (31) 3024-8764

Instagram: @capitaoleitaobh

photo

Arnaldo Antunes vem aí! Leitor do Culturadoria tem desconto para o show

Setembro tem Arnaldo Antunes em BH. E o melhor: os leitores e seguidores do Culturadoria tem 10% de desconto para conferir o show. Ele chega acompanhado do RSTUVXZ Trio para uma apresentação que mistura samba e rock. Bom, o que não falta à carreira de Arnaldo Antunes é referência em diversos gêneros, musicais e literários. […]

LEIA MAIS
photo

Uma caprichada lista com os próximos shows em BH para você se programar

Você está por dentro do que vem de show por aí até o fim do ano? Até dezembro, Belo Horizonte vai receber apresentações de grandes nomes da música brasileira e internacional. Por exemplo, Madeleine Peyroux chega à capital mineira com o seu mais recente trabalho e Dido desembarca pela primeira vez em terras brasileiras. Já entre as atrações […]

LEIA MAIS
photo

Por que o filme “No Coração do Mundo” prova o amadurecimento do cinema mineiro?

Outro dia ouvi no podcast Mamilos de férias uma curiosa categorização para os filmes. Há os “batata frita”, fast-food e aqueles que realmente alimentam o espectador de alguma forma. Para você saber se acaba de ver um ou outro, o exercício é simples. Se nunca mais pensar no que assistiu, foi batata frita. No Coração […]

LEIA MAIS