fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Maria Cutia fará ‘Auto da Compadecida’ com direção de Gabriel Villela

O próximo trabalho do Grupo Maria Cutia é uma aposta no clássico de Ariano Suassuna e também no modelo crowfunding de arrecadação

Por Marjorie Riff *

08/04/2019 às 13:50 | * Escreveu com a supervisão de Carolina Braga

Publicidade - Portal UAI
Foto: Tati Motta / Divulgação.

O Maria Cutia é um dos grupos mais carismáticos de teatro de rua de BH. Ao longo da trajetória, a companhia sempre se desafiou e agora não será diferente. A nova empreitada é a montagem de Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, com a direção de Gabriel Villela.

A estreia está prevista para Julho e conforme o grupo ensaia, também esperam a colaboração do público. O modelo escolhido é o “crowfunding”, termo em inglês para “arrecadação coletiva” de recursos. Ou seja, está aberta na internet a campanha para o financiamento coletivo do projeto. Entre as recompensas tem desde discos de parceiros, a possibilidade de participar de ensaios do Maria Cutia e até show exclusivo. A expectativa é a de arrecadar R$ 40 mil para cobrir os custos da montagem. Você pode ajudar clicando AQUI.

Encontro

“Este namoro do Maria Cutia com o Gabriel já vem há alguns anos e agora começa a virar casamento”, brinca a atriz Mariana Arruda. Segundo ela, a peça chega em boa hora para comemorar os 60 anos do diretor, saudar Suassuna no meio da rua e celebrar os 13 anos do Grupo Maria Cutia. “Tudo isso no meio dessa bagunça que anda a ideia de cultura e arte no Brasil, do ideal nacionalista de moral e ética que Chicó e João Grilo podem tanto nos fazer pensar neste momento”, enfatiza Mariana.

Como ela ressalta, o grupo faz parte da geração que começou a fazer teatro por ter se encantado com “Romeu e Julieta” do Grupo Galpão com direção de Villela. O encenador mineiro já assinou mais de quarenta espetáculos ao longo de sua carreira, no Brasil e no mundo. Por isso, é mais do que uma grande inspiração para o Maria Cutia.

“Lembro-me de assistir pela primeira vez este espetáculo ainda lá em Montes Claros. Foi na praça da Catedral e do meu completo encanto pelos atores, pelas músicas, pelo figurino e por Shakespeare”, ressalta. Ademais, a escolha pelo Auto da Compadecida caiu como uma luva. “Quando o Gabriel nos propôs a ideia de montar o Auto da Compadecida, foi um delírio. Juntar a poética do Gabriel com o texto do Suassuna seria uma viagem armorial com sotaque mineiro”, explica Mariana.

Equipe

Além de Gabriel Villela, a equipe da peça é de alto nível. Lydia del Picchia, integrante do Grupo Galpão será assistente de direção, Babaya como preparadora vocal e direção musical, Fernando Muzzi também como diretor musical, José Rosa como assistente de figurino. Ou seja, é a mesma equipe que participa dos espetáculos do Galpão.

Para o Auto da Compadecida o Maria Cutia terá atores convidados. Sendo assim, entram no elenco Marcelo Veronez, Polyana Horta, Malu Grossi, Lucas De Jota, além de Leonardo Rocha, Hugo da Silva e Mariana Arruda.

 

Foto: Luisa Monteiro / Divulgação.

Modelo de ‘Crowdfunding’

Ter os recursos necessários para produzir uma boa peça no teatro de rua não é fácil.
Dessa maneira, uma campanha de arrecadação online coletiva de fundos econômicos foi a  alternativa encontrada pelo Maria Cutia. “A proposta de financiamento coletivo é uma busca por viabilizar parte do recurso que precisamos para este pontapé inicial da montagem”, especifica Mariana.

Sendo assim, por meio do site do Evoé é possível conhecer o projeto e contribuir. “Cada contribuição é muito importante para alcançarmos a meta de custear parte desse grande projeto”, finaliza.

 

Continua após a publicidade...

photo

Nightvodka é a radicalização performática na trajetória do Grupo Armatrux

Como é interessante quando os laços entre o teatro e a performance ficam mais estreitos, né? A impressão que eu tenho, depois de ver Nightvodka do Grupo Armatrux, é que esse encontro tem sido cada vez mais frequente nos palcos. Na forma como o mundo se organiza hoje, com tanta informação, tanto estímulo, é preciso […]

LEIA MAIS
photo

Crítica em diálogo: a força do encontro entre a literatura e o teatro em ‘A peste’

Artaud, Stanisláviski, Grotowski foram alguns dos pensadores do teatro do século XX que confiaram no poder da cena politizada. Para eles, uma peça de teatro também poderia – e até deveria – ter a missão de conduzir o espectador a uma tomada de consciência política. Quem nos conta isso é a autora Marie-Claude Hubert no […]

LEIA MAIS
photo

Melhor festival de teatro do Brasil, MITsp divulga programação 2017

Evento terá ao todo dez montagens. As sete internacionais são de grupos inéditos no Brasil.  A Mostra Internacional de Teatro, a MITsp, não é um festival quantitativo. É qualitativo. A programação da quarta edição divulgada essa semana demonstra, mais uma vez, que a preocupação está na troca de experiências e contato com produções inéditas. Entre […]

LEIA MAIS