Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Festival Somos Comunidade chega ao Parque Lagoa do Nado com atrações gratuitas

Agora em formato de festival, o Somos Comunidade conta com programação durante todo o sábado e apresentações artísticas

Gostou? Compartilhe!

Troca! Essa é a palavra que fica quando se fala do Festival Somos Comunidade, realizado pelo Instituto Unimed-BH. A sexta edição será no dia 21 de setembro, no Parque Lagoa do Nado, Zona Norte de BH. Na programação, além do belo espetáculo Somos feitos de Sonhos, estão nomes como Marcelo Veronez, Pedro Morais e Adrianna. A banda Chama o Síndico sobe ao palco para encerrar a maratona cultural. 

Somos feitos de sonhos é a montagem que celebrou os 15 anos do Instituto Unimed, em 2018. O sucesso foi tanto, que os organizadores resolveram repetir a dose além de ampliar a programação. São cerca de 400 pessoas no palco e, pode acreditar, o resultado é de uma unidade impressionante. Todos os artistas integram os projetos socioculturais realizados pelo Instituto, além dos músicos conhecidos da cena de Belo Horizonte. 

Vai funcionar assim: a cantora Adrianna, que acaba de lançar um DVD, abre a tarde cultural às 15h. Depois dela, Marcelo Veronez e Pedro Morais também apresentam seus respectivos shows. Depois, os três retornarão ao palco para participar do Somos feitos de sonhos, assim como foi no ano passado. Além deles, também participam Maurício Tizumba e Gilvan de Oliveira, o diretor musical do espetáculo.

Festival Somos Comunidade Foto: Bendita Conteúdo & Imagem

“Ver e participar de projetos sociais compostos, neste caso, por pessoas da escola pública, é como voltar para onde eu comecei”, diz Marcelo Veronez. Para ele, o mais interessante é dar o suporte para essa apresentação. “O que nós artistas estamos fazendo não é necessariamente voltado para o público em geral. Nós estamos ali dando uma base, tocando para eles dançarem para o público que vai assistir”, comenta. 

O festival 

Desde 2012 o Instituto Unimed-BH realiza o Festival Somos Comunidade. Este nome, no entanto, passou a ser adotado somente em 2018.  “Essa ideia surgiu pois é o DNA que o espetáculo traz. Mais da metade dos artistas que estão no palco são da comunidade”, esclarece Alessandra Peixoto, Gerente de Marketing do Instituto Unimed-BH.

O festival é resultado de anos de atuação Escola das Artes Instituto Unimed-BH. São oferecidas aulas de balé clássico, danças urbanas e percussão para crianças e jovens do Morro das Pedras. De acordo com Alessandra Peixoto, a escola proporciona a formação de artistas, já que o cronograma de aulas é contínuo. Do mesmo modo, a Gerente de Marketing destaca a troca como um dos fundamentos primordiais da Escola das Artes. “As crianças têm convivência com os artistas e a troca faz com que a relação de admiração entre eles fique mais visível”. 

Outra mudança dotada em 2018 foi a saída dos teatros para ocupar as ruas. “Se é da comunidade, nada melhor do que ser apresentado para a comunidade”, relata Alessandra. 

 

 

Os maiores desafios da organização

Para Lílian Nunes, diretora geral do festival, o maior desafio é colocar 400 pessoas em um palco. Para que isso seja feito, é necessário ter um backstage que comporte todos os participantes. “Esta é a primeira vez que estamos construindo tudo do zero”, explica. Serão cinco dias de montagem do palco capaz de abrigar todo o elenco. “É muito motivador para todos eles”, ressalta. 

A Escola das Artes Instituto Unimed-BH e o espetáculo

Com o apoio do Instituto Unimed, desde 2007 Inês Amaral oferece a formação em dança para os alunos moradores do Morro das Pedras. A bailarina também é, por exemplo, diretora artística do premiado Camaleão Grupo de Dança. “É um trabalho lindo e o sucesso se deve à dedicação amorosa e atenciosa de todas as pessoas envolvidos”, acredita. De acordo com Inês, a montagem tem o mérito de também validar o fazer artístico, tanto para os profissionais quanto para os alunos.  

 

Festival Somos Comunidade
Foto: Bendita Conteúdo & Imagem

Shows individuais

Como se trata de um festival, a programação se estende ao longo de todo o sábado. A abertura, às 15h fica por conta de Adrianna. Uma das maiores vozes da black music de BH, ela sobe ao palco para apresentar o show do seu primeiro DVD “Antes de abrir os olhos”. A escolha pelo trabalho seu deu de acordo com a proposta do festival. Então, o repertório, composto por cinco canções autorais e cinco releituras, vai transmitir mensagens de amor, leveza, alegria e superação. 

Já às 16h, Marcelo Veronez mescla canções dos shows Não sou nenhum Roberto, no qual canta sucessos de Roberto Carlos, e Narciso deu um grito. Antes do grande espetáculo, Pedro Morais toca às 17h trazendo um apanhado dos seus três trabalhos. É a primeira vez que o artista participa de um projeto como este em uma apresentação solo, mas fez parte do elenco do Somos feitos de sonhos em 2018. 

Pedro Morais conta, ainda, que sempre se emociona quando reflete sobre o poder do projeto realizado pelo Instituto Unimed-BH. “Alguns alunos entram para ficarem ocupados durante o dia, mas é lindo ver como a arte os traz para perto do lugar mágico da dança, da expressividade, da música, do brilho…”, explica Morais. Ao longo da carreira artística e trajetória pessoal, Pedro Morais sempre prezou pela atuação em conjunto, pela troca de experiências e pelo aprendizado. “Isso amplia o nosso discurso, auxilia na produção e aprimora a estética”, finaliza. 

O espetáculo Somos feitos de sonhos é às 18h30 e a banda Chama o Síndico encerra, às 20h30, o dia de Festival Somos Comunidade.

 

Festival Somos Comunidade
Foto: Bendita Conteúdo & Imagem

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]