Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Músicas nacionais sobre empoderamento feminino que não podem faltar na sua playlist

Artistas brasileiras se expressam por meio de suas músicas e empoderam mulheres. Confira a seleção com cinco faixas sobre a temática

A luta das mulheres por seus direitos está cada vez maior, mas não podemos negar que há muito o que conquistar. No cenário musical, as artistas ainda não ocupam o mesmo espaço de protagonismo que os homens. Ou seja:  ainda não dominam os rankings nas plataformas de streaming. Mas, por meio de suas músicas, tem muito empoderamento, compartilham a luta diária pelos direitos, contribuindo positivamente na vida de outras mulheres e também para a construção de uma sociedade menos desigual.

Ao promover reflexões, ao questionar a sociedade patriarcal em que vivemos, ao abordar temas, como a violência contra a mulher, relacionamentos abusivos, padrões impostos, força feminina e, claro, ao inspirar mais mulheres e espalhar a palavra do empoderamento feminino, a música, então, torna-se uma forma de arte ainda mais poderosa ao ser também uma ferramenta de luta e resistência. 

shows completos youtube
Foto: Daryan Dornelles / Divulgação

Um simples play em uma faixa, ação que realizamos automaticamente, é capaz de trazer conhecimentos sobre assuntos de extrema importância. São temas que antes, muitas vezes, eram presentes apenas em livros acadêmicos.

Por isso, aqui vai uma seleção de músicas brasileiras sobre empoderamento feminino que você não pode deixar de adicionar em sua playlist. Ouça, prepare-se para refletir e se sentir empoderada.

Macha, de Mariana Cavanellas

Com voz doce, a mineira Mariana Cavanellas, ex-integrante dos grupos Rosa Neon e Lamparina e a Primavera, manda o papo reto sobre machismo em seu single “Macha”, lançado em 2020. 

Sendo assim, a cantora expõe a realidade das mulheres que não tem seu ponto de vista levado a sério pelos homens, sendo frequentemente interrompidas ao falar, além de passarem por situações manipuladoras. 

No trecho “Cansei de ouvir ele falar / Quando eu tento opinar/ Que eu faço é drama”, Mariana decide seguir sua própria intuição deixando de lado as amarras do homem opressor. 

Miss Beleza Universal, de Doralyce 

“É ditadura! / Quanta opressão / Não basta ser mulher/ Tem que tá dentro do padrão”. Logo nas primeiras linhas do funk “Miss Beleza Universal”, lançado em 2017,  a cantora pernambucana Doralyce, questiona os padrões estéticos impostos na vida das mulheres.

Em um país em que tem a maior quantidade de procedimentos estéticos realizados no mundo, cada vez mais as mulheres são julgadas por suas aparências e oprimidas por sua liberdade de expressão. Então, a própria sociedade cria a ditadura da beleza.

Dica: vale a pena dar um play também na versão feminista criada por Doralyce para a música “Mulheres”, composta por Toninho das Gerais e que explodiu ao ser gravada na voz de Martinho da Vila. 

Sandália, de Karol Conká 

Na 11ª faixa de álbum de estreia, Batuk Freak, lançado em 2013, a rapper Karol Conká canta sobre o direito que as mulheres possuem de serem livres. Além disso, andar por onde desejar para traçar o próprio caminho sem qualquer tipo de limitação ou autorização da sociedade. 

Afinal, esse é um desejo genuíno presente no universo feminino: ser independente, ser protagonista a própria vida e viver com liberdade. Sendo assim, o trecho a seguir representa bem a mensagem da música: Deixa ela, deixa! / Ser livre, seguir sem se importar / Se quiser ir pra qualquer lugar que vá / Não tem asas, mas pode voar / Ela só quer viver, ela só quer viver! 

Músicas bônus da Karol Conká que você precisa ouvir:  “Tombei”, “É o poder”, “Lalá”.

Voltei pra mim, de Marina Sena

Diretamente de Taiobeiras, interior de Minas Gerais, Marina Sena, ex-integrante dos grupos Rosa Neon e a Outra Banda da Lua, conquista os ouvintes com um pop marcante, envolvente e sensual. Excelente para o empoderamento feminino.

“Voltei pra mim” é a 5ª faixa do “De primeira”, álbum de estreia de sua carreira solo. No trecho “Amor, eu te deixei/ Pra ir atrás do que eu sonhei / Não tem mais nada a ver / Já tava tão na minha”, Marina canta sobre ir atrás de seus objetivos sem depender de uma relação afetiva amorosa e situações abusivas. 

A cantora fala sobre o fato de precisar romper a relação para ser quem realmente é, sem filtros, se aceitar dessa forma e que mesmo assim é capaz de conquistar o que deseja em sua trajetória. 

Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares

Nessa seleção não poderia faltar Elza Soares que é puro empoderamento. “Mulher do Fim do Mundo”, lançada em 2015, compõe o 34º álbum da carreira da artista, conta a história sobre si mesma. Ao longo dos 70 anos de sua carreira, Elza viveu a pobreza, a ditadura, a violência doméstica. Foram muitos momentos repletos de sofrimento e dores.

Na faixa, canta sobre sua superação em meio ao caos. Aborda, também, a capacidade de sobreviver aos desafios de sua vida, fazendo analogia ao Carnaval. Dessa maneira, com voz potente, Elza finaliza: “Eu quero cantar até o fim/ Me deixem cantar até o fim/ Até o fim eu vou cantar / Eu vou cantar até o fim / Eu sou mulher do fim do mundo.”

Além disso, você não pode deixar de ouvir também: “Maria da Vila Matilde” e “Deus há de ser”.

Por Bruna Lima C. Amparo | Culturadora

Bruna tem 23 anos, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo e mineira. Ama viajar no universo da música, filmes, séries e livros, e compartilhar suas descobertas por meio das palavras escritas. Instagram: @3runalima

Mariana Cavanellas. Foto: Braza / Divulgação

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!