Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Cinema na quarentena: Dois irmãos: uma jornada fantástica

Filme da Disney Pixar está disponível na Amazon Prime Vídeo, Apple TV, Now, Google Play, YouTube, Vivo Play e Oi Play

Não tem ninguém igual no mundo onde os irmãos Ian e Barley vivem. A mãe dos elfos, a Laurel, faz ginástica pela televisão e se preocupa com a alimentação. Mas digamos que, mesmo com essas coincidências com a vida dos humanos, não existe qualquer padrão, mesmo corporal, naquele universo. Sendo assim, naturalizar a diferença é a primeira lição de Dois irmãos: uma jornada fantástica.

A nova animação da Disney Pixar está disponível no catálogo da Amazon Prime Vídeo. Também tem para aluguel (R$ 16,90) ou compra (R$ 34,90) na Apple TV, Now, Google Play, YouTube, Vivo Play e Oi Play.

É mais um acerto do estúdio responsável por franquias já clássicas como, por exemplo, Toy Story, Os Incríveis, Procurando Nemo e Carros. Tem os sucessos avulsos que não podem deixados de lado aqui: Divertida Mente e Viva, a vida é uma festa. Se você ainda não viu nenhum destes, trate de colocar na própria lista! Mas, enfim, como Dois Irmãos: uma jornada fantástica entra no meio de tantos longas inesquecíveis? É um bom filme, claro, mas não está na lista dos melhores do estúdio.

Cena de Dois Irmãos: Uma jornada fantástica. Foto: Disney Pixar/Divulgação
Cena de Dois Irmãos: Uma jornada fantástica. Foto: Disney Pixar/Divulgação

Família

Não sei você, mas a mim, a evolução das técnicas de animação surpreende a cada jornada. O esmero técnico da produção impressiona. Observe como as cores são utilizadas na composição das cenas. Como o azul – e todas as suas derivações – vão aparecendo no longa. Para além da questão estética, Dois irmãos é um longa que pega pela temática.

O roteiro de Dan Scanlon (também responsável por Os incríveis 2), Keith Bunin e Jason Headley fala sobre a importância da relação em família. No caso, dos irmãos. A trama começa com o aniversário de 16 anos do mais novo, Ian. É um garoto extremamente tímido, melancólico, que nunca conseguiu superar o fato de não ter conhecido o pai.

A sensibilidade e fragilidade de Ian se expressam também no corpo dele. Já Barley, por sua vez, é o oposto. Aparentemente mais forte, é também mais descolado, bem-humorado, companheiro. Características que Ian até então não tinha se permitido observar no irmão. Eis aqui outro ponto importante na curva de emoções/reflexões que o filme oferece. Muitas vezes, aquele afeto que você tanto busca, está bem do seu lado e você não consegue ver.

Confira também: por que Olaf é o melhor personagem de Frozen 2?

Aventura

Mas, como manda o bom roteiro, essa não será uma descoberta simples para Ian. Ainda bem, porque é uma aventura bem divertida. O presente de aniversário de Ian é um mapa e um cajado, deixados pelo progenitor, com orientações para uma magia. Se bem executada, o pai volta durante 24 horas.

A questão é que a operação não dá muito certo e a única coisa que regressa são as pernas dele. A dupla precisa, então, correr contra o tempo para tentar recuperar uma gema mágica e terminar o serviço.

Ao longo da missão, o contraste entre a insegurança do caçula e a irreverência do primogênito garante boas risadas. Jogadores de RPG e outras partidas do tipo vão reconhecer elementos na aventura.

Mensagens

Dois Irmãos: uma jornada fantástica, como é de se esperar, é cheio de mensagens. Uma delas é que o amadurecimento é fruto de uma jornada muito mais interior do que exterior. Sim, o filme também fala sobre autoconhecimento. Para além disso, tendo a magia como metáfora, percebi também uma provocação sobre o reconhecimento do próprio talento. Dois Irmãos: uma jornada fantástica é uma jornada sobre aceitação, valorização daquilo que está próximo. Ou seja, a importância de se olhar de modo equilibrado para si e para o outro.

 

Cena de Dois Irmãos: Uma jornada fantástica. Foto: Disney Pixar/Divulgação

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!