fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

‘Construções Sensíveis’: cinco motivos para ver a nova exposição do CCBB-BH

Por Thiago Fonseca *

12/10/2018 às 07:58 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Thiago Fonseca

O ponto vira linha, que vira plano e que vira geometria. É sobre a arte abstrata geométrica na América Latina a exposição ‘Construções Sensíveis’ que chega ao Centro Cultural Banco do Brasil. O conjunto, de mais de 120 obras, foi montado a partir da coleção Ella Fontanals-Cisneros pelos curadores Rodolfo de Athayde e Ania Rodríguez. A entrada é gratuita e a mostra fica em cartaz até o dia 7 de janeiro.

Os trabalhos, de 59 autores, de sete países da América Latina, trazem uma variedade de suportes: pinturas, desenhos, esculturas, objetos, instalações, fotografias e vídeos. De certa forma, todas dialogam e deixam evidente o uso de luzes, linhas e geometria. Uma exposição pensada exclusivamente para o Brasil e feita para abrir a mente das pessoas sobre a arte abstrata. Ficou curioso? Confira cinco motivos porque você deve ir a exposição.

Oportunidade para ver um acervo diverso da arte abstrata Latino-americana

Essa é uma rara oportunidade de conhecer, num único evento, tantos e tão instigantes autores e obras de países da América Latina. As obras em exposição são da coleção Ella Fontanals-Cisneros que reuniu mais de 2,6 mil obras, produzidas entre 1920 e 1982 do mundo inteiro. Entretanto, boa parte do acervo é voltada para a arte do nosso continente. Dessa forma, os curadores selecionaram as principais obras seguindo os critérios de espaço, orçamento e tendência.

“Nosso acervo é o maior de obras latino-americanas. É uma oportunidade para se ver o que foi e está sendo produzido por aqui, ver artistas brasileiros e alguns não tão conhecidos. A exposição oferece ao público inda a oportunidade de apreciar o diálogo entre os artistas e grupos”, explica a produtora executiva, Jennifer McLaughlin.

 

Foto: Thiago Fonseca

 

Variedade de suportes

A primeira coisa que se observa em “Construções Sensíveis” é a variedade de suportes das artes. Há quadros de pintura, montagens, desenhos, esculturas, objetos, instalações, fotografias e vídeos. Ou seja, uma mostra que explora as diferentes faces da arte abstrata. São mais de 120 obras para todos os gostos. Elas estão divididas de forma clara e cada uma tem seu espaço. Há uma sala com apenas fotografias, outra com as obras cinéticas e por aí vai. Vale lembrar que é arte abstrata e a percepção depende da bagagem cultural de cada um. Uma dica é ir com a mente aberta e viajar.

 

Continua após a publicidade...

 

Obras que expressam a beleza do dia-a-dia

O interessante das obras é que elas nos faz ver a beleza de coisas cotidianas. Na sala de fotografias, por exemplo, são fotos que mostram imagens comuns, mas com um outro olhar e significado. Na sala de quadros e instalações podemos reconhecer a beleza do espaço e até mesmo da estrutura do museu. É interessante como as obras dialogam com a arquitetura. Destaque ainda para o conjunto da fusão de luz, cores e formas das obras.

 

Gustavo Pérez Monzón criador de “Hilos” – Foto: Thiago Fonseca

 

Obras diferenciadas e curiosas

Em “Construções Sensíveis” as obras são diferentes e encantam pela beleza estética e até proporcionais. É o caso da obra “Hilos”, do Cubano Gustavo Pérez Monzón. Uma arte que ocupa uma sala inteira com elásticos e pedras que formam uma espécie de telha de aranha. O tamanho e a beleza impressionam. “Vilos”, do mesmo artista, também chama atenção.

“As duas são obras de material sensível. Demorei sete dias para montá-las. A estrutura é muito grande e essa foi a maior dificuldade. O interessante delas que são obras que podem ir a qualquer lugar e se adaptam ao espaço”, conta Gustavo. Ele foi o único artista que veio para exposição montar sua obra. Além das obras de arte de Gustavo, chamam atenção do visitante a sala com fotografias e a com obras cinéticas que se movem de acordo com a posição do visitante.

Diversidade de artistas que dialogam

As obras são de diferentes anos, lugares e, principalmente, de artistas diversos. Elas demonstram a produção de cada país de origem e revelam ainda pesquisas e estudos. Assinam as obras artistas da argentina, do Brasil, da Colômbia, de Cuba, do México, Uruguai e Venezuela. Destaque para os artistas brasileiros Lygia Clark, Hélio Oiticica, Mira Schendel, Geraldo de Barros e Thomas Farkaz.

“O interessante da exposição é ver como em vários países da América Latina, ao mesmo tempo, artistas que não tinham diálogo e hoje quando juntamos as obras é possível ver que tem uma ligação e um diálogo”, pontua Jennifer. Ou seja, oportunidade para ver a versatilidade e diversidade das obras.

[O QUE] Exposição ‘Construções Sensíveis’ [QUANDO] De 12 de outubro a 7 de janeiro [ONDE] CCBB-BH – Praça da Liberdade, 450, Funcionários – BH [QUANTO] Gratuito

 

Continua após a publicidade...

photo

Redação do Enem: Por que é importante pensar na democratização do acesso ao cinema no Brasil?

Que bela oportunidade tiveram os estudantes que fizeram o Enem neste domingo, hein! Sim, nos dias de hoje, chega a ser um privilégio ter que pensar sobre no papel que o cinema desempenha na sociedade. Sem isso, seria muito difícil chegar a qualquer reflexão sobre democratização do acesso. Outro ponto de extrema importância, sobretudo em […]

LEIA MAIS
photo

Curiosidades que fazem a diferença na exposição de Ai Weiwei no CCBB

É claro que ver 1254 bicicletas de Weiwei empilhadas ao lado do Centro Cultural Banco do Brasil, impressiona. Também é surpreendente se deparar com duas toneladas de sementes de girassol, feitas à mão, em porcelana. E os troncos? Gigantescos, no pomposo foyer do prédio histórico. Mesmo que as obras do chinês Ai Weiwei – cada […]

LEIA MAIS
photo

Conheça cinco jovens escritores mineiros que são destaques na literatura

O que Guimarães Rosa, Carolina Maria de Jesus, Carlos Drummond de Andrade e Adélia Prado têm em comum, além da excelência na literatura, é a mineiridade. Cada um com seu estilo e particularidade estilística, marcou a história da prosa, poesia e da literatura em geral, influencia muitos escritores e encanta os leitores. Atualmente, outros nomes […]

LEIA MAIS
photo

Cinco filmes para entender o Cinema Novo

O descontentamento de um grupo de cineastas em relação a questões sociais e políticas foi um dos motes para o surgimento do Cinema Novo. O movimento cinematográfico existiu no Brasil durante os anos 1960 e 1970, foi influenciado pelo Neorrealismo Italiano e pela Nouvelle Vague Francesa. Além disso, também veio como resposta ao cinema que […]

LEIA MAIS
photo

Como começar a ler poesia na internet?

A poesia é um gênero literário que pode intimidar, causar receio e até ser rejeitado por algumas pessoas, já que tem muitas complexidades, estilos e formas. Mas o fato é que ela está em diversos lugares, como na música, no teatro, no cinema e também nas redes sociais. Vai dizer que nunca viu um verso […]

LEIA MAIS
photo

Cinco lugares em BH para pedir café ou brunch

O café da manhã é considerado por muitos a principal refeição do dia. Tem aqueles que preferem comer logo ao acordar. Outros gostam mesmo de um brunch. Neste post separamos cinco opções de delivery, na capital mineira, para você poder saborear quitutes e bebidas matinais em casa. Tem opções em combo e individuais. Confira! Uluru […]

LEIA MAIS