fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Cinco programas de humor que fizeram história na televisão brasileira

Conheça alguns dos programas humorísticos que marcaram gerações e inspiraram formatos atuais

Por Jaiane Souza *

27/05/2020 às 18:53 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
TV Pirata. Foto: Arquivo TV Globo

O primeiro programa humorístico da televisão brasileira foi Rancho Alegre. Originalmente transmitido pela Rádio Tupi, era ao vivo e tinha como protagonista Mazzaropi, humorista, ator e cineasta. Com o surgimento da televisão, em 1950, o formato foi para as telinhas da TV Tupi de São Paulo e abriu caminho para os mais diferentes estilos de programas de humor. Pensando nisso, listamos alguns deles aqui para você conhecer e matar a saudade.

Confira!

TV Pirata

Marcado pelo humor satírico e nonsense, o programa foi ao ar entre 1988 e 1992 pela Globo e foi um dos responsáveis por revolucionar o humor que era feito na televisão à época. Diferentemente do que estava no ar à época, TV Pirata nasceu com influências dos programas Saturday Night Live e Monty Python, ou seja, com humor mais sofisticado. Só para ilustrar, a produção fazia piadas com a programação da própria TV: novelas, jornais, programas de entrevistas, shows, comerciais e programas de esporte. As sátiras faziam alusão à sociedade brasileira, destacando a violência urbana, o crime organizado e a realidade nos presídios. 

Além disso, outro diferencial era utilizar atores não-comediantes para fazer humor. Entre eles Cláudia Raia, Ney Latorraca, Maria Zilda Bethlem e Regina Casé. 

TV Pirata está disponível no Globo Play. 

Os Trapalhões

Um dos maiores sucessos da TV brasileira é marcado por recordes. Só para exemplificar, entrou para o Guinness Book como o programa de humor com maior duração na televisão. Além disso, tem filmes entre as maiores bilheterias do cinema brasileiro. O programa estreou em 1977 na Globo e tinha no elenco os inesquecíveis Didi (Renato Aragão), Dedé (Dedé Santana ou Manfried Sant’Anna), Mussum (Antônio Carlos Bernardes Gomes) e Zacarias (Mauro Faccio Gonçalves). Ia ao ar aos domingos sempre antes do Fantástico e era composto por esquetes e paródias musicais. Em resumo, o humor pastelão era a marca registrada. Após idas, vindas e desentendimentos entre os atores, o programa acabou de vez em 1995, um ano após a morte de Mussum. 

Além de ter feito história na comédia, Os Trapalhões deram origem ao Criança Esperança. Isso porque, na comemoração dos 20 anos de história, fizeram um programa em prol do menor e do jovem carente.

Atualmente Os Trapalhões é reprisado pelo Canal Viva, mas tem diversos episódios disponíveis no YouTube.

 

programas de humor

Escolinha do Professor Raimundo. Foto: Monique Cabral / Globo

Escolinha do Professor Raimundo

Quem não se lembra da clássica sala de aula com as mais peculiares figuras comandadas pelo Professor Raimundo Nonato? Acontece que nem sempre foi assim, o formato fez sucesso primeiro no rádio, tendo sido criado em 1952 por Haroldo Barbosa. Eram apenas três alunos, o sabido, o burro e o esperto, ancorados pelo professor. A versão televisiva surgiu em 1957 e era exibida dentro de outros programas em canais como TV Rio, TV Excelsior, Tupi e, por fim, Globo.

Apenas em 1990 a Escolinha virou um programa solo por ideia do próprio Chico Anysio. Dessa forma, passou a ter 20 alunos. O programa contava com grandes humoristas brasileiros,entre eles Grande Otelo, Lúcio Mauro, Zilda Cardoso, Costinha e Zezé Macedo. Também revelou outros sucessos como Tom Cavalcante. 

Um remake da Escolinha do Professor Raimundo foi produzido pelo Canal Viva com novos atores fazendo antigos personagens, e Bruno Mazzeo, filho de Chico Anysio, no papel de Professor Raimundo. 

O programa está disponível no Globosat PlayJá os sete episódios do remake está no Globo Play.

Família Trapo

De 1967 a 1971 a Record TV exibiu esse que foi um dos maiores sucesso na época, líder de audiência durante três anos seguidos no seu horário de exibição. O formato era parecido com um teatro, pois o cenário era composto por um palco,  plateia e os atores contracenavam de improviso. A narrativa foi inspirada na família von Trapp do filme A noviça Rebelde e do musical The sound of music e contava a história de uma família engraçada e confusa. O elenco era composto por Ronald Golias, Renata Fronzi, Jô Soares, Otello Zeloni, Renato Corte Real e Cidinha Campos. Também recebeu Pelé, Roberto Carlos, Sônia Ribeiro e Elis Regina. 

Aclamado, inspirou produções posteriores como A Grande Família, Sai de Baixo e Toma Lá Dá Cá, da Globo, e Meu Cunhado, do SBT. 

Alguns episódios de Família Trapo estão disponíveis no YouTube. 

programas de humor

A Praça é Nossa. Foto: Eve Schwarz / SBT

A Praça é Nossa

Um homem sentado em um banco de praça que conversa com as mais diferentes figuras que passam pelo local. Esse é o formato da Praça é Nossa, um dos programas de humor de maior sucesso no Brasil. Desde 1987 no ar pelo SBT, o programa é apresentado por Carlos Alberto de Nóbrega e foi inspirado n’A Praça da Alegria, comandado por Manuel de Nóbrega, pai de Carlos Alberto.

O programa se destaca pela diversidade de comediantes e seus personagens e também nas temáticas. Mais de 250 papéis já foram representados frente às câmeras. Só para citar alguns, João Plenário (Saulo Laranjeira), Paulinho Gogó (Maurício Manfrini), Velha Surda (Roni Rios) e Filó (Gorete Milagres), já se sentaram no banco ao lado de Nóbrega. E não para por aí! Pelé, Dercy Gonçalves, Clodovil e Sílvio Santos também participaram. 

Vários episódios da Praça estão disponíveis no YouTube. Na televisão vai ao ar todas as quintas-feiras, às 23h15. 

photo

Acústico MTV: cinco shows que marcaram a história do programa

Instrumentos acústicos e encontros mais intimistas. Eis a combinação de sucesso que marcou a o Acústico MTV. O programa foi inspirado na série MTV Unplugged, uma exibição norte-americana criada em 1989. No Brasil, a iniciativa também começou como um programa de televisão, em 1991, com o grupo Barão Vermelho. Entretanto, acabou se transformando em um […]

LEIA MAIS
photo

Entenda o que é o META e as reivindicações do setor cultural para vencer a crise

Está prevista para terça-feira, dia 26, a votação, na Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei 1075/2020 que dispões sobre ações emergenciais para a cultura no cenário de pandemia. A apreensão e pressão do setor são grandes. Claro, afinal de contas, a crise se agrava com o passar dos dias e até hoje nada foi […]

LEIA MAIS
photo

Cinema na quarentena: Retrato de uma Jovem em Chamas

No filme Retrato de uma Jovem em Chamas, vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes em 2019, a pintora Marianne (Noémie Merlant) recebe uma missão um tanto quanto diferente. Ela precisa fazer um retrato de Héloïse (Adèle Haenel) baseado, apenas, nas próprias memórias. A jovem nobre que passa temporada em uma isolada […]

LEIA MAIS