Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Cia Dos à Deux cria mostra online com sete peças do repertório

Além dos espetáculos, que serão disponibilizados no YouTube, os atores também oferecem workshop gratuito e preparam uma nova peça
Por Carol Braga
Cia Dos à Deux. Foto: Renato Mangolin/Divulgação
Cia Dos à Deux. Foto: Renato Mangolin/Divulgação

Não dá para esquecer a sensação ao sair do teatro depois de ver Aux Pieds de la Lettre. A primeira peça da Cia Dos à Deux fez parte da programação da 8ª Edição do FIT-BH, em 2000. Lá se vão 20 anos, mas lembro como se fosse hoje as pernas bambas ao descer o pequeno lance de escadas do Teatro Marília. Depois, a cada espetáculo, meu encantamento com o trabalho dos atores André Curti e Artur Luanda Ribeiro só cresceu.

Pois a Cia Dos à Deux nos oferece agora uma retrospectiva do repertóriodos a deux pelo canal do YouTube. O nome que André e Artur escolheram para a mostra é certeiro: A singularidade de uma trajetória. É isso mesmo, desde aquele primeiro encontro até o mais recente com Gritos (2016) observo que o teatro que eles fazem é absolutamente singular.

Singularidade

Mas, para Artur Luanda Ribeiro, o que os diferencia é o fato de serem dois atores que se conheceram em um camarim em Paris e decidiram criar uma companhia sem palavras na terra da palavra. E foi assim mesmo. A Dos à Deux nasceu há 23 anos na França e nenhuma montagem tem qualquer fala convencional. O diálogo brota do corpo, do olhar, da música e todos os elementos que compõem as montagens.

“Uma das principais preocupações é se estamos comunicando. Se essa pesquisa híbrida, todas as linguagens que a gente desenvolve estão tocando o público. Isso é o motor principal”, conta Artur. Os espetáculos têm em comum um questionamento sobre o homem contemporâneo.

Além de disponibilizar as gravações de estreias de sete montagens, o projeto inclui, também, um workshop gratuito e online. Entre os dias 16 e 19 de março, via Zoom, os atores vão compartilhar o conhecimento acumulado sobre movimento, linguagem do gesto e teatralidade. São apenas 16 vagas exclusivas para participantes do Estado do Rio de Janeiro.

Artur Luanda Ribeiro conta que a seleção das peças para compor a mostra foi um processo intenso. De acordo com ele, foi bonito observar as próprias evoluções gestuais, como cada trabalho contribuiu para o desenvolvimento de uma linguagem estética diferente. “Foi muito emocionante ver o rigor técnico, a precisão”, conta.

Segundo o ator, apesar de serem mais de duas décadas, os corpos parecem não ter noção desse tempo. “São espetáculos que nos acompanham, como filhos que a gente viu crescer”.

A Mostra

Dos à Deux – A singularidade de uma trajetória exibe os vídeos de “Dos à Deux – 2º ato” (2013), “Aux Pieds de la Lettre” (2001), “Saudade em Terras d’Água” (2006), “Fragmentos do Desejo” (2009), “Ausência” (2012), “Irmãos de Sangue” (2013) e “Gritos” (2016). Após cada sessão, os atores conversam ao vivo com parceiros de jornada. Sendo assim, o ator Luis Melo, a marionetista, cenógrafa e artista plástica russa Natacha Belova e o músico português Fernando Mota são alguns dos convidados.

De acordo com Artur Luanda Ribeiro, ao observá-los em perspectiva é possível notar o amadurecimento. “Talvez o mais singular seja envelhecer com estes espetáculos, no bom sentido. Como um vinho, foram ficando cada vez mais saborosos“, diz.

Próxima montagem

Desde 2015, André e Artur deixaram a França para montar a sede da companhia no Rio de Janeiro. Sendo assim, é na própria sede que moram, criam residências artísticas e geram a próxima montagem. O nome é lindo: Enquanto você voava, eu criava raízes.

É um espetáculo que, segundo Artur, está evoluindo junto com eles durante a pandemia. Inicialmente eles queriam explorar o medo, mas muitas ramificações se abriram.

“É um grito sobre questões essenciais nesse momento pra gente. Sobre esse homem que está a beira de um abismo e perdeu o chão”, conta Artur. De acordo com André, é uma montagem que está caminhando no sentido de uma estética um pouco diferente. “Estamos retratando sensações: de medo, insegurança, liberdade caçada, liberdade de expressão, desejos, vontades”, adianta.

 

"Cia

 

Programação

Segunda, 08/03, às 20h: “Dos à Deux – 2º Ato”
Terça, 09/03, às 20h: “Aux Pieds de la Lettre”
Quarta, 10/03, às 20h: “Saudade em Terras d’Água”
Quinta, 11/03, às 20h: “Fragmentos do Desejo”
Sexta, 12/03, às 20h: “Ausência”
Sábado, 13/03, às 18h: “Irmãos de Sangue”
Domingo, 14/03, às 18h: “Gritos”

[O QUE] Dos à Deux – A Singularidade de uma Trajetória [QUANDO] Exibição dos espetáculos: de 8 a 14 de março [ONDE] YouTube  (bit.ly/dosadeux) [QUANTO] GratuitoApós as exibições haverá um bate-papo ao vivo com a Cia. Dos à Deux

[O QUE] Workshop “A Poesia do Cotidiano – Presença/Corpo/Precisão” [QUANDO] De 16 a 19 de março, das 15h às 18h [ONDE] Plataforma Zoom. Inscrições até 7 de março pelo e-mail: dosadeux.workshop@gmail.com [QUANTO] Gratuito. Vagas limitadas a 16 participantes do Estado do Rio de Janeiro.

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!