fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Programas de culinária: inspirações para cozinhar na quarentena

Tem competições amadoras, profissionais, que passam por confeitaria e criação de pratos inusitados

Por Jaiane Souza *

24/03/2020 às 12:05 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
MasterChef Brasil Foto: Carlos Reinis / Band

Pensando em mais dicas de como aproveitar a quarentena de maneira produtiva, selecionamos alguns programas e séries relacionados à gastronomia e culinária para você se deliciar. Esse tipo de produção tem se tornado cada vez comum e explora diferentes nuances em relação à comida, como cultura e história.

Dessa forma, entre as nossas dicas, estão programas de confeitaria, passando por comidas tradicionais e chegam até às comidas feias, que, aparências à parte, podem ser deliciosas. Confira!

MasterChef Brasil

Exibido pela Bandeirantes, e também com canal oficial no YouTube, O MasterChef Brasil é baseado na produção de mesmo nome exibida pela BBC no Reino Unido. O sucesso do formato é tanto que ele está presente em 50 países. Isso inclui todos os da América Latina. Trata-se de uma competição eliminatória. Os chefs amadores têm um tempo pré-estabelecido para criar o prato e depois são avaliados pelos jurados Érick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça. Além da versão amadora, o programa tem MasterChef Júnior, composto por crianças, e MasterChef Profissionais, que conta com profissionais da cozinha. Logo após ser exibido na TV aberta, o episódio vai para o YouTube.

Chef's Table

A série documental original Netflix, além de dar água na boca, também mostra a história e o dia a dia de grandes nomes da cozinha mundial. Já foram documentados nomes como Massimo Bottura, da Itália, Ben Shewry, da Austrália, e Francis Mallmann, da Argentina. Do Brasil, participou o já consagrado Alex Atala, dono do D.O.M, em São Paulo. A equipe do Chefs Table acompanhou o brasileiro durante 20 dias até o Vale do Paraíba e o Amazonas, locais de origem da maioria dos ingredientes do chef. O diferencial do programa é mostrar a capacidade dos profissionais de transformar ingredientes comuns em pratos inusitados. Além disso, explora a vida pessoal de cada um e fala até mesmo de empreendedorismo.

Zumbo Just Dessert

Doze confeiteiros amadores são desafiados a cada episódio desta série. Ela foi criada por Adriano Zumbo, australiano confeiteiro que é conhecido por fazer sobremesas complexas a partir de diversas técnicas. Uma das primeiras coisas que chama atenção de quem assiste é o cenário parecido com a Fantástica Fábrica de Chocolate. É extravagante e colorido. Todo mundo bem ambientado, né? A competição é dividida em duas etapas: na primeira os competidores fazem uma criação original e na segunda tentam recriar sobremesas de Zumbo.

Bake Off Brasil

Neste programa, confeiteiros amadores se unem para disputar quem é o melhor do Brasil. A apresentação fica por conta de Nadja Haddad, acompanhada da dupla de jurados composta pelos chefs Oliver Anquier e Beca Milano. Então, os participantes cumprem provas técnicas e criativas de culinária. Ele é exibido por pelo SBT e pelo Discovery Home & Health. Foi baseado no original The Great British Bake Off, da BBC One, Reino Unido. Em resumo, bolos, pães, tortas, doces e salgados de todos os tipos, são feitos neste programa. Ah! E tem participação de adultos e crianças (Júnior Bake Off Brasil).

Ugly Delicious

O programa é comandado pelo chef David Chang, renomado profissional de Nova York, proprietário de 17 estabelecimentos. Um deles, o Momofuku, tem até estrela do Guia Michelin (o mais importante do mundo). O que faz Ugly Delicious ser uma série muito divertida e inteligente é o fato de o chefe sair por aí (Estados Unidos e outros países) provando a comida do dia a dia, a que todo mundo come normalmente na rua ou feita por famílias. A partir dos pratos, o chef conhece a história das pessoas. Em resumo, é possível conhecer e refletir sobre comida, sociedade, cultura, história e até mesmo economia.

 

Somebody Feed Phil

Culturas, tradições diferentes e lugares incríveis. Além de culinária a série documental também explora outros aspectos de envolvem a comida. Em cada episódio, Philip Rosenthal roda o mundo passando por restaurantes, bares, padarias, barraquinhas de rua e lanchonetes tradicionais para provar pratos. Ele já visitou cidades como Cidade do México, Lisboa, Bangkok e até o Rio de Janeiro. É uma oportunidade de conhecer o mundo pela parte mais gostosa sem sair de casa. 

Mandou bem

A série mais bem humorada da nossa lista. Trata-se de uma competição na qual três confeiteiros amadores devem recriar sobremesas em um tempo determinado. A comicidade está no resultado dos pratos: muitas vezes, a apresentação final é desastrosa. A partir daí, os competidores são classificados em “mandou bem” e “mandou mal”. Para completar, a apresentadora é Byer, uma comediante, atriz e escritora, conhecida por fazer a série Loosely Exactly Nicole, baseada em sua própria vida.

culinária
Mandou Bem Foto: Netflix / Divulgação
photo

Cinco palestras do TED que podem te inspirar durante a quarentena

Em uma das reflexões que registrou no livro TED Talks: o guia oficial do TED para falar em público, Chris Anderson, o editor, assume o objetivo de convencer cada leitor de uma coisa. No futuro que já se tornou presente, é fundamental saber falar em público. Ou seja, na opinião dele, é uma aptidão imprescindível. […]

LEIA MAIS
photo

Cultura na quarentena: dicas de atividades para fazer on-line

Não tem como escapar da quarentena. E nem pense em ficar desatento quanto aos cuidados básicos:  lavar as mãos com frequência, tossir e espirrar usando a parte interna dos cotovelos, entre outras medidas para evitar a propagação do vírus. As medidas necessárias que nos afastam de atividades presenciais não significam, no entanto, que a cultura […]

LEIA MAIS
photo

Cinco canais no YouTube para quem ama arte e cultura

“Arte é assim: quanto mais a gente vê, mais a gente gosta”. Essa é a frase dita por Vivi, do canal Vivieuvi, no vídeo de apresentação do canal que mantém no YouTube. E ela tem razão, pois ter contato com a arte aumenta o senso crítico, a empatia e o conhecimento de mundo. Sendo assim, […]

LEIA MAIS