fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Daisy Jones & The Six: uma história de amor, música e perspectiva

"Todo mundo conhece Daisy Jones & The Six, mas ninguém sabe o motivo por trás de sua separação no auge absoluto de sua popularidade... até agora"

Especial para o Culturadoria | Por Maria Lacerda

03/11/2020 às 08:52

Publicidade - Portal UAI
Foto: Editora Paralela / Divulgação

Sabe aquele tipo de livro que, quem lê, se apaixona tanto que passa toda a paixão pra frente? Fala com empolgação, parece ter ficado bem íntima/o dos protagonistas? Pois é, Daisy Jones & The Six, de Taylor Jenkins Reid é assim. Conta a história da banda fictícia, homônima ao livro, descrita como uma das mais famosas da década de 1970. A ascensão e a queda de um dos maiores nomes do rock’n’roll setentista é reconstruída e descrita de maneira singular. Além disso, em resumo, busca esclarecer o que levou ao prematuro e misterioso fim do grupo.

A história – ainda – não contada da banda é remontada num formato documental. Sendo assim, usa relatos falados, e-mails, entrevistas e letras de músicas escritas por e para os personagens. Ou seja, remete mais a um script que a um livro. Dessa maneira, Reid transporta o leitor para os anos 1970 de forma tão concreta e intensa, que beira o não-ficcional, desvendando a história e as singularidades de cada personagem.

A escritora trata dos altos e baixos da vida sob holofotes, explorando as diferenças entre as aparências midiáticas e a vida real das celebridades retratadas. Assim como em seu romance Os sete maridos de Evelyn Hugo, é singular a forma como Reid dá vida a seus personagens. Você se sente compelido a buscar por fotos, vídeos, ou qualquer outro tipo de registro que comprove a existência de cada um.

Perspectivas

Ao contar a história como a transcrição de um documentário – a autora conta ter se inspirado na série “Por Trás da Música”, produzida pela emissora VH1, Taylor Jenkins Reid faz uso das múltiplas perspectivas para construir a história da conexão entre os sete membros da banda e sua interação com o mundo ao redor. Sendo assim, conhecemos os espirituosos vocalistas Daisy Jones e Billy Dunne; o guitarrista e irmão mais novo de Billy, Graham Dunne; Eddie e Pete Loving, irmãos e respectivamente guitarrista e baixista; a tecladista Karen Sirko, ou Karen Karen e o baterista Warren Rhodes.

Para além da banda, somos apresentados a Camila Dunne, esposa de Billy; Simone, melhor amiga de Daisy Jones e cantora, e outras personagens essenciais para o desenrolar da história dos integrantes e do grupo em si.

No decorrer da história vemos o encontro entre duas forças, Daisy Jones, a it-girl de espírito livre que tem tudo, menos o afeto e a validação alheia que tanto procura. Já Billy Dunne, rockstar nato, tenta, com dificuldade, conciliar a vida como artista e pai de família.

 

Taylor Jenkins – Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Influências musicais

Taylor Jenkins Reid constrói uma narrativa que se assemelha ao processo de criação do famoso Rumours, o álbum de um dos ícones do rock dos anos 1970, Fleetwood Mac. A dinâmica entre Daisy e Billy remete à relação tempestuosa entre Stevie Nicks e Lindsey Buckingham, vocalistas da banda setentista.

Outra inspiração da autora foi o duo The Civil Wars, composto por Joy Williams e John Paul White, que se separou em 2013, sem dar muitas explicações ao público. Além disso, a personagem Simone, melhor amiga de Daisy, é vagamente baseada em Donna Summer, estrela do disco. Essa correspondência com a realidade é mais um dos métodos utilizados pela autora para humanizar, com êxito, seus personagens.

Adaptação

O comprometimento de Taylor para a verossimilhança da história é tanto que, ao final do livro, temos todas as músicas de Aurora, o primeiro e último álbum de Daisy Jones & The Six. Reid cria uma história digna de uma série de sucesso. Ela já foi comprada pela Amazon Prime e será dividida em 13 episódios.

Ainda não existem mais informações sobre a data de estreia da série. O que já se sabe é que contará com produção executiva de Reese Whiterspoon. Além disso, a adaptação terá músicas originais. Riley Keough (Daisy Jones) e Sam Clafflin (Billy Dunne) serão os protagonistas.

Como livro, Daisy Jones & The Six convida o leitor a um exercício de empatia ainda mais intenso que o comum. Taylor Jenkins Reid nos entrega um acesso aos bastidores, imperdível para qualquer um que, como eu, sempre quis um vislumbre do que acontece por trás da fama.

photo

Especial Halloween: como curtir o dia das bruxas com arte?

O final de outubro está chegando e com ele o Halloween. Também conhecido como Dia das Bruxas, o 31 de outubro é marcado por celebrações em vários lugares do mundo, principalmente nos países falantes da língua inglesa. Não existe uma origem certeira para a data, mas, em muitos lugares, acredita-se que o Halloween tenha surgido […]

LEIA MAIS
photo

Séries com protagonismo negro para ver no streaming

Representatividade em todas as áreas é fundamental para que pessoas se enxerguem capazes de estar em qualquer lugar. Quando se fala em arte, então, a missão é ainda maior, já que ela é uma das responsáveis por formar repertório e promover a empatia, por exemplo. Por isso, o nosso papo aqui são séries com protagonismo […]

LEIA MAIS
photo

Quem é Maria: cantora carioca de 20 anos que surpreendeu depois de bombar no YouTube

O nome Vitória Nascimento Câmara até passa despercebido. Mas e Maria? É o nome artístico da cantora, compositora, dançarina e atriz carioca. Ela tem 20 anos, começou na música em 2018 e despontou em 2020. No YouTube, nas redes sociais e no Spotify coleciona números robustos. Em resumo, fala sobre amores, superação e empoderamento feminino. […]

LEIA MAIS