Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Confira filmes imperdíveis para assistir no Festival Mix Brasil

Evento será híbrido até o dia 22 do novembro. Na lista, produções que passaram pelos dos festivais de Berlim, Toronto, Veneza e outros
Por Thiago Fonseca
Longa "Vento Seco" - Foto: Daniel Nolasco / Divulgação

O Festival Mix Brasil em 2020 será híbrido. Ou seja, até 22 de novembro, o público poderá conferir 101 filmes de 24 países em três plataformas de streaming, no Cine Sesc e outros espaços em São Paulo. O foco, como sempre, será a comunidade LGBTQIA+. Dessa forma, as produções escolhidas abordam a diversidade do tema. Na programação tem títulos que fizeram parte da seleção oficial dos Festivais de Berlim, Veneza, Toronto, Sundance, Cannes e OutFest. 

O Mix Brasil está em sua 28º edição. Os filmes serão exibidos nas plataformas Sesc Digital, Spcine Play e Innsaei. É preciso atenção, pois algumas produções terão sessões específicas, outros seguem nas plataformas para você quando e onde quiser. Além disso, é preciso observar a lotação de cada um. 

Os mais premiados e aclamados, por exemplo, O Príncipe, de Sebastián Muñoz e The World to Come, com a atriz Vanessa Kirby, só poderão ser vistos presencialmente no Sesc. Mas se você não consegue ir até o espaço, não fique triste. Separamos uma lista com filmes imperdíveis para ver de casa. 

Lingua Franca, de Isabel Sandoval

O longa estadunidense foi o melhor filme do Queer Lisboa, seleção oficial de Veneza 2020. É a história de uma imigrante filipina que vive ilegal nos EUA. Para conseguir o green card negocia a compra de um casamento. Tudo dá errado e ela se envolve com o empregado de um matadouro que não sabe que ela é uma mulher trans. Sendo assim, a trama se passa sobre a paranoia da personagem que a qualquer momento pode ser presa e expulsa do país. 

Acesse de 17 a 22/11 no InnSaei.

Meu Nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza

A produção brasileira da cineasta paulista Caru Alves de Souza foi premiada como melhor longa na mostra generation do Festival de Berlim. Esteve ainda, em cartaz e foi tema de debate na Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte no início do mês de novembro. O filme, em resumo, mostra a vida de uma skatista, de 17 anos, que vive na Freguesia do Ó, que tem a vida mudada ao se juntar a um grupo de mulheres skatistas. 

Disponível na plataforma Sesc Digital de 17 até 18/11.

Saint-Narcisse, de Bruce LaBruce

Saint-Narcisse é um longa sobre fé, narcisismo e incesto. Dessa vez, o ousado cineasta Bruce LaBruce, conhecido pelos filmes com cenas de nudismo, filma um jovem que tem fetiche por ele mesmo e achava que a mãe estava morta. Mas ele descobre que ela vive com uma mulher e tem um irmão gêmeo. O longa foi exibido nos festivais de Toronto e Veneza

Assista de 12 até 22/11 o no InnSaei.

Vento Seco, de Daniel Nolasco

Depois de passar pelo Festival de Berlim, Queer Lisboa, Outfest Los Angeles LGBTQ Film Festival, entre outros, o longa brasileiro chega ao Mix Brasil para contar a história de Sandro. Ele vive em uma pequena cidade do Goiás e namora Ricardo, mas a relação se torna um triangulo amoroso com a chegada de Maicon, um jovem misterioso. Em síntese, a obra apresenta como é a cultura queer no interior. No elenco tem Mel Gonçalves, ex-Banda Uó.

Disponível de 17 até 22/11 no InnSaei.

Vil, Má, de Gustavo Vinagre

Seleção oficial na Berlinale e no Queer Lisboa, Vil, Má, mostra os dois lados de uma escritora e jornalista, de 74 anos, que escreve contos eróticos e dominatrix, mas é mãe de três filhos, esposa e religiosa. A trama tenta mostrar quem criou a outra. 

Veja de 12 até 16/11 no Sesc Digital. 

Foto: Manjericão Filmes / Divulgação

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!