Grupo Corpo resiste a clichês e faz bela homenagem a Exu em nova coreografia

Gira, novo espetáculo do Grupo Corpo. Crédito: Carolina Braga

O Grupo Corpo recebeu a imprensa em sua sede nesta segunda (17) cheio de novidades. A principal delas é Gira, novo balé da companhia. É a 39º montagem da carreira! Como de costume, a estreia será no Teatro Alfa, em São Paulo, no dia 04 de agosto. Estará em cartaz em Belo Horizonte entre os dias 02 e 06 de setembro.

Com trilha sonora do trio Metá Metá a nova coreografia do Corpo flerta abertamente com a Umbanda. “Gira é uma festa para Exu”, resume o coreógrafo Rodrigo Pederneiras. O balé tem cerca de 40 minutos e durante todo esse tempo o Corpo resiste bravamente aos clichês de brasilidade que poderiam surgir em uma homenagem a uma entidade espiritual.

Desafio

A proposta conceitual e temática partiu do trio formado pela cantora Juçara Marçal e os músicos Thiago França (sax) e Kiko Dinucci (guitarrista). Paulo Pederneiras, o diretor artístico, gostou da ideia e logo apresentou a ideia para Rodrigo. Criado em família católica, o coreógrafo até então tivera pouquíssimo contato com o sincretismo proposto pela religião de matriz africana.

Os criadores do Corpo visitaram terreiros, conversaram com as entidades e transformaram tudo o que viveram em uma coreografia que respeita as referências, mas não exagera na reverência. Os movimentos característicos da companhia mineira estão no palco dando vida uma trilha mais contemporânea.

Gira, novo espetáculo do Grupo Corpo. Crédito: Carolina Braga

A música faz lembrar os tempos de parcerias com o Uakti, com mais modernidade. Por isso também foi legal saber que Gira fará dobradinha com Bach. Há certo diálogo espiritual entre elas. A montagem de 1996 tem trilha de Marco Antônio Guimarães (ex-Uakti) e foi inspirada na obra de J. S Bach.

Os 21 bailarinos apresentaram Gira na íntegra nesta segunda. O que me chamou atenção é que, pela primeira vez, os artistas estarão o tempo todo em cena. O que exigirá outro tipo de concentração e também a oportunidade de ver de local privilegiado o trabalho dos colegas. Bem, escreverei mais sobre a nova montagem do Corpo nas proximidades da estreia. Hoje é só para deixar o gostinho!

Por enquanto estão à venda somente os ingressos para a temporada paulista. Em Belo Horizonte cada entrada custará R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia). Estarão disponíveis na bilheteria do Palácio das Artes ou então pelo site www.ingressorapido.com.br.

Streaming

Outro anúncio feito pelo Grupo Corpo foi o lançamento das trilhas de todos os balés nas plataformas de streaming de música. Desde 1992 a companhia encomenda músicas inéditas para  seus trabalhos. Agora podem ser ouvidas em plataformas como Google Play, Napster e Spotify.

São treze discos. Estão entre eles, trilhas mais antigas como Nazareth, de José Miguel Wisnik, de 1993 e também as mais recentes como Suíte Branca, composta por Samuel Rosa e Marco Antônio Guimarães, ambas de 2015. Além deles, também estão disponíveis para audição on-line criações de Caetano Veloso, Moreno +2, Lenine, Arnaldo Antunes e Tom Zé.

[O QUE] Gira e Bach com Grupo Corpo [QUANDO] 04 A 13 de agosto, Teatro Alfa em SP; 23 a 27 de agosto, Theatro Municipal do Rio de Janeiro; 02 a 06 de setembro, Palácio das Artes em Belo Horizonte; 07 e 08 de outubro, Teatro do Sesi, Porto Alegre [QUANTO] São Paulo: R$ 50, R$ 90 e R$ 160; Rio de Janeiro: R$ 60, R$ 90 e R$ 120; Belo Horizonte, R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia); Porto Alegre: R$ 70; R$ 90 e R$ 100.