Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Memorial Vale exibe títulos premiados da mostra “É Tudo Verdade”

Gostou? Compartilhe!

Única itinerância da 29ª edição do É Tudo Verdade tem início em BH nesta quinta-feira, dia 6 de junho, e segue até o domingo, 9

A partir desta quinta-feira, dia 6 de junho, o Memorial Vale recebe, pela primeira vez, a única itinerância da 29ª edição do É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, dedicado ao audiovisual não-ficcional. Assim, a iniciativa exibe todos os nove filmes, brasileiros e internacionais, que venceram ou receberam menções dos dois júris oficiais do evento. Lembrando que a edição competitiva aconteceu de 3 a 14 de abril, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Os títulos premiados do É Tudo Verdade, tanto em longa quanto em curta-metragem, terão a estreia em Belo Horizonte em sessões gratuitas, que seguem até o domingo, 9 de junho.

“Diários da Caixa Preta”, de Shiori Ito, retrata a batalha vivida por ela após tornar público o fato de ter sido estuprada por um célebre jornalista (Frame)
“Diários da Caixa Preta”, de Shiori Ito, retrata a batalha vivida por ela após tornar público o fato de ter sido estuprada por um célebre jornalista (Frame)

Abertura

A abertura do É Tudo Verdade, na quinta-feira, às 19h30, terá a exibição de “Tesouro Natterer”, de Renato Barbieri, vencedor da competição brasileiras de longas-metragens de 2024. O documentário remonta o período e o trabalho do naturalista austríaco Johann Natterer no Brasil de 1817. Ele veio como membro da Expedição Austríaca e foi o responsável por uma coleção de mais de 50 mil objetos. Desse modo, compondo o maior acervo etnográfico sobre os povos indígenas do Brasil.

O diretor-fundador do É Tudo Verdade, Amir Labaki, apresenta a sessão de abertura, junto a Barbieri. A retirada de ingressos deve ser feita 1 hora antes do evento, sendo apenas um ingresso por pessoa.

O festival

Vale lembrar que, a convite da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, o É Tudo Verdade é um festival classificatório para a disputa do Oscar de melhor longa documental e de melhor documentário de curta-metragem. Assim, os quatro vencedores das competições oficiais brasileira e internacional qualificaram-se diretamente a inscrição para o Oscar 2025.

Sexta-feira, 7 de junho

Na sexta-feira, 7 de junho, às 14h, acontece uma atividade formativa conduzida por Renato Barbieri, com o tema “Cinema Social de Impacto”. Para participar, é necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência e as vagas são limitadas. Às 16h30, o programa exibe os dois curtas-metragens brasileiros distinguidos pelo júri do É Tudo Verdade deste ano.

Desse modo, contemplado com a menção honrosa, “Aguyjevete Avaxi’i”, da diretora Kerexu Martim, traz a celebração da retomada do plantio do milho na aldeia Kalipety. O local, antes uma área seca e degradada, foi reocupado e transformado pelos Guarani m’bya em 2013. O segundo título da sessão é o vencedor da competição de curtas brasileiros do É Tudo Verdade, “As Placas São Invisíveis”, de Gabrielle Ferreira. Nele, cinco estudantes negras cotistas revelam o que é estar dentro de uma das instituições de ensino mais elitizadas do país.

Sábado, 8 de junho

O sábado, dia 8, traz dois destaques da competição internacional de longas-metragens. Primeiramente, uma das menções especiais do júri internacional: “Diários da Caixa Preta”, da diretora japonesa Shiori Ito. Desse modo, o filme retrata a batalha que a cineasta enfrentou após tornar público o estupro que sofreu de um dos mais célebres jornalistas do país. Sábado, às 14h.

A produção alemã “Cento e Quatro”, de Jonathan Schornig, foi a grande vitoriosa da competição internacional do É Tudo Verdade 2024. O filme flagra a emergência da crise de imigração no Mediterrâneo, através de seis câmeras de uma operação humanitária de resgate em alto mar. Sábado, 16h.

Domingo, 9 de junho

A programação do domingo, dia 9, começa às 11h, com a exibição dos três curtas-metragens distinguidos pelo júri. Dois receberam menções especiais. A primeira das menções coube a “Como Agradar”, da diretora Elina Talvensaari, que retrata o iraquiano Wed al-Asadi e experiência kafkiana com o labirinto do sistema de asilo finlandês. A segunda ficou com “Parentesco Indesejado”, filme alemão dirigido pelo bielorusso Pavel Mozhar, com relatos das vítimas civis da ocupação russa e bielorrussa da Ucrânia.

Encerra a sessão o vencedor da competição de curtas internacionais. Dirigido pela costarriquense Kim Torres, “Só a Lua Entenderá” captura, numa narrativa híbrida, o que significa crescer num lugar como Manzanillo, cidade no litoral caribenho da Costa Rica. A seleção especial do É Tudo Verdade no Memorial Vale apresenta, na sessão de encerramento, às 14h, o segundo longa contemplado com menção especial. “Zinzindurrunkarratz”, do espanhol Oskar Alegria, é um “road movie” que revisita a história familiar buscando refazer o caminho que os pastores da sua cidade faziam para chegar às montanhas.

Serviço

É Tudo Verdade 2024 – 29º Festival Internacional de Documentários

Nove títulos premiados da mais recente edição.

Direção: Amir Labaki

Onde. Memorial Minas Gerais Vale (Praça da Liberdade, 640, esquina com Rua Gonçalves Dias).

Quanto. Acesso gratuito.

Horário de funcionamento do espaço: Quarta, sexta e sábado: das 10h às 17h30, com permanência até as 18h. Quinta, das 10h às 21h30, com permanência até as 22h. Domingo, das 10h às 15h30, com permanência até as 16h. Entrada Gratuita.

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]