fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Vendedor de sonhos: motivos para ouvir o álbum em homenagem a Fernando Brant

O disco já está disponível todas as plataformas de streaming e conta com grandes nomes da música brasileira

Por Jaiane Souza *

09/12/2019 às 09:06 | * Escreveu com a supervisão de Carolina Braga

Publicidade - Portal UAI
Foto: Myriam Vilas Boas

Há cinco anos nascia a ideia de fazer uma homenagem sonora a um dos maiores nomes da música mineira e brasileira: Fernando Brant. Robertinho Brant, sobrinho do artista e também músico foi quem pensou na iniciativa de gravar O vendedor de sonhos (Selo Biscoito Fino), disco que acaba de sair em todas as plataformas digitais.

Foi o próprio Fernando quem escolheu a dedo quais seriam as músicas que fariam parte do álbum. O projeto, no entanto, foi interrompido depois da morte dele, em junho de 2015.

Ao todo, 20 canções foram selecionadas. Se você ainda não ouviu, aqui vão algumas razões para dar o play. Confira:

Artistas

Milton Nascimento, Beto Guedes, Boca Livre, Mônica Salmaso, Lô Borges e Flávio Venturini. Esses são apenas alguns dos nomes dos artistas convidados para as regravações. A seleção foi feita com base na forte relação que todos eles tinham com a vida e têm com a obra de Fernando Brant. Só para exemplificar, Milton Nascimento era um dos principais parceiros de Brant. Eles se conheceram no contexto dos bares localizados no térreo do Edifício Maletta, no centro da capital mineira. Foi neste lugar que Milton Nascimento apresentou algumas músicas para Fernando Brant, o que fez nascer umas das consideradas mais significativas parcerias da música popular brasileira. 

Um texto completo passa pela trajetória de Brant e está disponível no site da União Brasileira de Compositores, instituição na qual Fernando foi presidente por quase dez anos defendendo os direitos autorais. Em Vendedor de sonhos, Milton Nascimento canta O medo de amar é o medo de ser livre. A letra foi uma parceria entre Brant e Beto Guedes e fez parte do álbum Amor de índio, de Guedes, em 1978. 

Além de Milton Nascimento, os outros nomes que completam o lançamento são: Djavan, Dori Caymmi, Nina Becker, Toninho Horta, Roberta Sá, Seu Jorge, Fernanda Takai, Samuel Rosa, Tadeu Franco, Zé Renato, Paulo Santoro, Tavinho Moura e Marina Machado. 

Outro destaque vai para Vander Lee. O artista morreu em agosto de 2016. Entretanto, antes disso, gravou a faixa Canoa canoa para Vendedor de Sonhos. 

Clube da Esquina

Outro ponto para prestar atenção em Vendedor Sonhos é a participação em peso daqueles que fizeram parte do movimento Clube da Esquina. Além, é claro, de Fernando Brant e Milton Nascimento, participaram da gravação do disco Lô Borges, Beto Guedes, Flávio Venturini, Toninho Horta e Tavinho Moura. Ou seja, isso mostra a importância do grupo para a música brasileira e como ele continua presente neste contexto. 

As músicas

Não dá para saber qual foi o critério utilizado por Fernando Brant quando escolheu as 20 músicas para o disco. No entanto, só por terem sido escolhidas por ele, podem ser consideradas as mais importantes, mesmo que afetivamente. Travessia, por exemplo, surgiu do que inicialmente foi considerada como uma brincadeira por Brant. Após voltar do Festival Nacional de Música Popular da TV Excelsior (1966), Milton Nascimento mostrou uma melodia e pediu para que o amigo fizesse a letra. A insegurança por parte de Brant vinha da inexperiência, uma vez que, nesse período, Nascimento já escrevia com Márcio Borges e Baden Powell. Fernando não achava que os estilos combinavam, mas, mesmo assim, escreveu a letra, tendo como guia a história de um caixeiro-viajante que nunca consegue manter os seus amores. A música entrou, então, para o primeiro álbum de Milton Nascimento e também dava título ao trabalho de 1967. 

Travessia, então, foi a primeira composição de Fernando Brant, que o ajudou a ficar inclinado para o mundo da música. Na carreira profissional, cursou Direito e trabalhava no Juizado de Menores do estado.

Arranjos

As regravações contam com novos arranjos, pois, além da produção musical de Robertinho Brant, Guilherme Monteiro e Pedro Martins assumem as guitarras, Rafael Vernet os pianos e órgãos, Lincoln Cheib as baterias, Marco Lobo as percussões, Enéias Xavier os baixos, Tattá Spalla os violões e Jorge Continentino os sopros.

 

vendedor de sonhos

Foto: Samuel Gê

photo

Confira dez lugares para passar a virada do ano

O fim de 2019 está se aproximando. Tem quem acredite que a energia da virada do ano dita como será o que está por vir. Quem tem fé nesse dito popular não deixa de celebrar o réveillon em grande estilo. Neste post separamos uma lista com dez lugares para comemorar a chegada de 2020. Entre […]

LEIA MAIS
photo

Culturadoria visita os bastidores de Dogville

Em abril o Culturadoria foi convidado a cobrir o Festival de Teatro de Curitiba e entre as peças escolhidas para a maratona teatral no sul do Brasil estava Dogville. Pois assim como noticiamos na época, o espetáculo dirigido por Zé Henrique de Paula chega a BH para temporada no Centro Cultural Banco do Brasil. Dogville […]

LEIA MAIS
photo

Música brasileira: quem vai permanecer de acordo com Chico César?

Quem na música brasileira vai continuar fazendo sucesso? Quem de novo vem por aí? E quem vai permanecer? Não é possível saber ao certo, mas dá para fazer apostas. Chico César, por exemplo, já tem as próprias apostas. Ele esteve em BH para arrasar no show de lançamento do novo disco durante o Festival de […]

LEIA MAIS