fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Séries com protagonismo negro para ver no streaming

Sitcom, comédia dramática e investigação. Confira cinco dicas de série com personagens encantadores disponíveis no streaming.

Por Jaiane Souza *

28/10/2020 às 09:26 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Rede Globo

Representatividade em todas as áreas é fundamental para que pessoas se enxerguem capazes de estar em qualquer lugar. Quando se fala em arte, então, a missão é ainda maior, já que ela é uma das responsáveis por formar repertório e promover a empatia, por exemplo. Por isso, o nosso papo aqui são séries com protagonismo negro. Cada vez mais a produção audiovisual destaca atores negros e discutem racismo, questões sociais e políticas. Desde sitcoms até narrativas dramáticas. 

Pensando nisso, selecionamos cinco séries com protagonismo negro para você se divertir, refletir, se emocionar e conhecer novas narrativas com personagens encantadores. É uma ótima forma de aprender e conhecer outras realidades sem sair de casa. Confira!

Atlanta

As série de comédia dramática foi criada por Donald Glover, Childish Gambino no mundo da música. Além disso, ele também é produtor, diretor e atua na produção. A narrativa gira em torno Alfred “Paper Boi” Miles (Bria Tyree Henry), que sonha em ser um rapper de renome, mas não gerencia a carreira para estar de fato sob os holofotes. Dessa forma, Ernest Marks (Glover) deixa o emprego e passa a ser o empresário do primo. Ambos sonham em melhorar a própria vida e a da família.

No entanto, a série não se atém apenas a essa narrativa. Na verdade, vai muito além disso, mostrando o dia a dia de pessoas negras nos Estados Unidos, a realidade do racismo e outros tipos de preconceito. Atlanta recebeu três Globo de Ouro: Melhor série de televisão musical ou de comédia, em 2017, e Melhor ator em série de comédia ou musical com Childish Gambino, em 2016 e 2018. 

As duas temporadas estão disponíveis na Netflix

Black-ish

A sitcom fala de racismo com bom humor e muitas referências do mundo pop. Andre “Dre” Johnson (Anthony Anderson) é o pai de uma família que mora em um bairro de classe média alta, em meio a várias pessoas brancas, como vizinhos e colegas de trabalho. Mesmo assim, ele tenta fazer com que os quatro filhos entendam a sua essência, ou seja, não quer que eles cresçam sem saber o que é a negritude e todas as suas implicações.

O fato de ser uma série engraçada não invalida discussões fundamentais de racismo e discriminação. Black-ish já conta com sete temporadas e o sucesso é tanto que duas séries derivadas estão em produção. São elas Mixed-ish, centrada na infância de Rainbow “Bow” Johnson (Tracee Ellis Ross) a matriarca da família, e Old-ish, com foco nos avós dos personagens principais.

As seis primeiras temporadas de Black-ish estão disponíveis na Amazon Prime Video. 

séries com protagonismo negro

Foto: Chris Duys / Netflix

Queen sono

Esta é primeira produção original da Netflix 100% africana! Todo o elenco, equipe e ambientação são na África do Sul. E mais: é sobre espionagem. Na narrativa, a jovem espiã Queen Sono (Pearl Thusi) resolve investigar a morte da mãe, mas a tarefa não é fácil, já que a mãe foi uma grande revolucionária. Sendo assim, Queen se mete com gente perigosa e situações adversas para alcançar os seus objetivos. A série estreou em fevereiro deste ano e já está com segunda temporada confirmada. A primeira você confere na Netflix

Mister Brau

Os ótimos Taís Araújo e Lázaro Ramos são as estrelas dessa série. Mr. Brau (Ramos) é um artista de sucesso, que alcançou a fama em pouco tempo. Sua esposa, Michele (Taís Araújo) participou de todo o processo como empresária e coreógrafa. Ambos são de origem humilde e, com a riqueza, decidem se mudar para um condomínio de luxo. No entanto, encontram problemas quando os novos vizinhos não ficam muito felizes com a chegada de gente nova. 

Ao todo, quatro temporadas foram produzidas. Elas estão disponíveis no Globo Play

Insecure

A série acompanha Issa (Rae) e Molly (Yvonne Orj), que, aos 30 anos de idade enfrentam questões profissionais, amorosas e relacionadas à família. Com naturalidade e leveza, a produção mostra temas fundamentais como a solidão da mulher negra, o racismo, questões de masculinidade e desigualdade no salário entre os gêneros.

A série estreou em 2016 e, em 2017, foi selecionada pelo American Film Institute como um dos 10 melhores programas de televisão do ano. Além disso, recebeu nada menos que oito indicações ao Emmy 2020 pela quarta temporada. Ademais, esteve no Globo de Ouro e em outras edições do Emmy. 

Veja na HBO.

 

photo

Enola Holmes: dica para quem quer um filme leve, divertido e engajado

Se Sherlock Holmes de fato teve uma irmã ainda é um mistério a se resolver. Mas, seja ideia de fã ou não, fato é que o filme que conta a história da caçula da família, Enola Holmes, existe e é a pedida perfeita para quem quer se divertir. Ouvi muita gente dizer que deu o […]

LEIA MAIS
photo

Quem é Maria: cantora carioca de 20 anos que surpreendeu depois de bombar no YouTube

O nome Vitória Nascimento Câmara até passa despercebido. Mas e Maria? É o nome artístico da cantora, compositora, dançarina e atriz carioca. Ela tem 20 anos, começou na música em 2018 e despontou em 2020. No YouTube, nas redes sociais e no Spotify coleciona números robustos. Em resumo, fala sobre amores, superação e empoderamento feminino. […]

LEIA MAIS
photo

Emily em Paris: saudosismo à moda dos anos 2000 ou apenas mais do mesmo?

Mesmo depois de três semanas da estreia, no início de outubro de 2020, Emily em Paris se mantém no topo das séries mais assistidas da Netflix. A nova queridinha da plataforma tem dividido opiniões sobre o styling da protagonista antes mesmo do seu lançamento. Isso sem falar, claro, da polêmica levantada na França. A produção […]

LEIA MAIS