Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Série ‘Videoclipers’ quer transformar a forma como se faz clipes no Brasil

A trama 'Videoclipers' irá contar a divertida jornada do casal Diana Boccara e Leo Longo pelo Brasil para filmar 16 videoclipes

Por Marjorie Riff *

06/03/2019 às 12:02 | * Escreveu com a supervisão de Carolina Braga

Publicidade - Portal UAI
Foto: Sergey Krotov / Divulgação.

Conhecidos pela série ‘A Volta Ao Mundo Em 80 Videoclipes’, Diana Boccara e Leo Longo estão de volta ao batente. É a série ‘Videoclipers’, exclusiva para o Youtube. O casal passou por oito cidades brasileiras, dentre elas Belo Horizonte, para gravar dezesseis clipes de artistas nacionais. A série mostrará também os desafios de ser um filmmaker voltado para clipes musicais no país. Seria possível a atividade se tornar uma profissão mais valorizada?

A largada da temporada foi emRecife (PE) com ninguém menos que o veterano Alceu Valença. Além disso, o clipe da canção “Nas Asas de Um Passarinho” já conta com um divertido making off disponível para o público no canal do casal no Youtube, ‘Couple of Things’. Para ambos, o que difere principalmente ‘Videoclipers’ de ‘A Volta Ao Mundo Em 80 Videoclipes’ é o fato do projeto, desta vez, ser brasileiro. Ademais, no primeiro, segundo Leo, eles não tinham a pretensão de popularizar e influenciar outros makers a fazer o mesmo trabalho. Já ‘Videoclipers’ “tenta incorporar uma metodologia, um estilo de vida”, conta.

Antes de tudo, é importante contar que os clipes feitos pelo casal são em plano sequência, ou seja, sem cortes. “No começo tem muitas pessoas que não conseguem imaginar que uma história pode ser contada em plano sequência”, diz Leo. Todavia, eles possuem um longo acervo para provar o contrário, com clipes diferentes e hipnotizantes de artistas conhecidos e desconhecidos. Pato Fu, Scalene e Selvagens À Procura da Lei fazem parte desse acervo. Vale citar também as canções ‘Before The Night Falls’, da banda britânica The Crookes e ‘In Perfect Rhymes’, da HamsandwicH.

 

Foto: Lumos Estúdio / Divulgação.

 

Desafios

Quanto as dificuldades de um filmmaker no Brasil atualmente, Diana e Leo apontam a falta de recursos. Outro desafio é ser criativo para viabilizar os projetos sem orçamento.“O inesperado é muito importante para o filmaker” enfatiza Diana. Usando um modelo de troca e de muita colaboração, ‘Videoclipers’ pretende mostrar que é possível sim fazer um clipe incrível sem orçamento.

Em BH, a experiência foi com as bandas Young Lights e Sara Não Tem Nome. O casal decerto adorou a capital mineira. “Eu gosto dessa identidade, que me lembra muito os anos 70 com o Clube da Esquina, e com muita influência pop”, detalha. Ao mesmo tempo, Diana menciona que a gravação do clipe do Young Lights, com participação de Gustavo Bertoni da Scalene, foi muito divertida por uma “quebra” no clima tenso da história contada no clipe.

‘Videoclipers’ estreou na quarta-feira, dia 27 de Fevereiro, no canal da ‘Couple of Things’ de Diana e Leo no Youtube. Confira abaixo o clipe de Alceu Valença, que inaugurou a temporada. A ideia é que toda quarta tenha um vídeo novo.

 

 

Bastidores do clipe

 

photo

Culturadoria e Esquema Novo juntos nos palpites do Oscar

O Oscar está aí e os amigos do Esquema Novo me convidaram para bater um papo sobre os filmes indicados. É um bate-papo bem descontraído. Quem gosta de cinema, principalmente quem se diverte com a temporada de prêmios, vai se divertir! Falamos sobre o favoritismo de La La Land: cantando estações, sobre o nível dos […]

LEIA MAIS
photo

Cinco pontos sobre o show de Roger Waters em BH

Show de Roger Waters está para os fãs de Pink Floyd assim como um parque de diversões para crianças. Volte no tempo e pense em todas as emoções que sentiu a primeira vez que experimentou um daqueles brinquedos. Assim como as outras turnês, Us + Them é um espetáculo que, sobretudo, desperta sensações. Deste modo, […]

LEIA MAIS
photo

[CRÍTICA] ‘Insubstituível’ destaca o valor da vocação no mundo capitalista

Todas as vezes que me deparo com uma comédia francesa fico imaginando a força que o gênero tem por lá. Tanto que comédias como Insubstituível, Os Intocáveis, por exemplo concorrem com frequência ao Cesar, o principal prêmio do cinema francês. François Cluzet, o protagonista dos dois filmes, concorreu em 2017 ao trofeu de melhor ator. […]

LEIA MAIS