fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Sérgio Pererê abraça o eletrônico em novo disco

Por Thiago Fonseca *

24/10/2018 às 09:11 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Tamás Bodolay / Divulgação

Sérgio Pererê confessa que está mais nervoso para lançar o novo disco ‘Cada Um’ do que esteve nos outros. É porque, segundo ele, o quinto álbum solo traz canções com uma estética diferente do habitual. Desta vez, o músico apostou em composições rítmicas variadas, com a presença do eletrônico e que dialogam entre si. Elementos que apontam a transformação e a intimidade na carreira de Pererê.

O show de lançamento do disco será no dia 3 de novembro no Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Mas antes, o Culturadoria te mostra o disco e o primeiro clipe, com exclusividade.

“Nesse trabalho tive a vontade de fazer algo sobre meu momento atual. Falar sobre a existência humana, a vida e a morte. As canções mostram minha busca pessoal de uma série de coisas. O que digo às pessoas são as minhas próprias feridas que acabam fazendo sentido. Dessa forma, quis fazer um disco diferente com a presença do eletrônico e tranquilidade nas músicas. Agora as pessoas vão encontrar um Sérgio sem máscaras. É um encontro direto comigo”, afirma o músico.

Em ‘Cada Um’ Pererê firmou parceria com Barulhista e Richard Neves numa proposta “eletroorgânica”. Dessa maneira, formam uma composição rítmica bastante diversa. Quem está acostumado com canções do músico cheia de tambores e voltadas para o afro sentirá um estranhamento bom.

Nas onze canções do álbum o músico trabalha mais no eletrônico, entretanto, não deixa de lado elementos que passaram por sua trajetória. Sendo assim, o afro ainda está presente nas canções, mas conforme Pererê salienta, de maneira contemporânea.

 

 

As canções

A ideia do disco, segundo o músico, surgiu há três anos. Mesmo período que conheceu Barulhista. Surpreendido pelo trabalho do produtor musical, por inserir o eletrônico no acústico e na música popular, Pererê logo o chamou para a nova empreitada.

Richard é parceiro de longa data e, dessa forma, não poderia ficar de fora. No disco, as reflexões de Sérgio Pererê se distribuem em onze faixas: ‘Silêncio Interior’, ‘Casa de flores’, ‘Inseguro’, ‘Caminho do sol’, ‘Cada um’, ‘Woman’, ‘Guardiões da memória’, ‘Tudo mudou’, ‘É leve’, ’Mestre Samurai’ e ‘Sertão’.

“Selecionei músicas que conseguiam dialogar com minha proposta de mostrar o existencialismo. Letras que compus nos últimos anos e ainda algumas mais antigas, como por exemplo, ‘Sertão’. Fiz a canção há 12 anos e cantava para meus filhos. Todas as composições são minhas e uma em parceria com o Richard. Gosto muito de compor e escreve praticamente todos os dias. Quem estiver muito concentrado nas músicas verá que elas formam um texto único e que há personagens comuns nelas”, conta.

O nome do disco é homônimo da quinta canção do álbum. Segundo Pererê, chegou primeiro na canção e depois de muita reflexão no disco. “Comecei a sentir que a música sintetizava a ideia do disco”, conta. Na canção, Pererê diz que é preciso de forças para acreditar, que o que diz não é profecia, e sim, feridas abertas no coração dele. ‘Silêncio Interior’, que abre o disco, foi a escolhida para o primeiro clipe, dos que virão, da coletânea. Foi gravada em um ferro-velho em BH e, em resumo, fala sobre o mundo atual e mostra a origem angolana de Pererê. Confira em primeira mão o clipe.

 

[youtube modulo=”2″]jz1TInYM-lo[/youtube]

 

O lançamento do disco

Para o lançamento do disco Pererê preparou um show especial no dia 3 de novembro, às 21h, no Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Além Barulhista e Richard, a cantora Laura Catarina, também divide o palco com o músico no show. Apenas hoje, aos 42 anos, é que o artista reconhece o lugar que ocupa na história da música mineira. Dessa forma, no show pretende devolver ao público o carinho. “É tão difícil a trajetória que a gente custa a perceber que ocupamos determinado lugar. Entretanto, Hoje já reconheço. É uma alegria enorme e me sinto com coração leve”, afirma.

[O QUE] Lançamento do disco “Cada um”, de Sérgio Pererê [QUANDO] 3 de novembro, às 21h [ONDE] Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube – Rua da Bahia, 2.244, Lourdes – BH [QUANTO] R$ 20

[COMPRE AQUI] 

 

photo

Impressões sobre o show de Sandy e Júnior em BH

Generosidade. Foi essa a palavra que apareceu em mim quando o relógio já marcava 23h do dia 17 de agosto na Esplanada do Mineirão. Sandy e Júnior ainda estavam no palco. Precisamente diante de uma plateia que não sabia se gritava, chorava ou dançava. O show termina e, antes do bis, entra mais um vídeo. […]

LEIA MAIS
photo

BH terá três festivais de jazz no fim de semana

O mês de agosto começa agitado. Só neste fim de semana três festivais dedicados ao jazz entram em cena. Todos com programação diversificada e ampla. Confira o que há de melhor neles. Savassi Festival Desde sua primeira edição, há 16 anos, o Savassi Festival tem se consolidado como uma das principais plataformas dedicadas ao gênero […]

LEIA MAIS
photo

Confira as novidades sobre o novo show do Lagum

Pedro Calais, o vocalista da banda Lagum, é um rapaz de frases curtas. Uma objetividade que serve para esconder certa timidez. Isso, no entanto, não significa que ele tenha pouco a dizer. Muito menos quando o assunto se relaciona diretamente com quem faz parte da mesma geração que ele. Tanto é que Coisa de geração, […]

LEIA MAIS
photo

Conheça Lagum, a banda mineira que caiu no gosto de Neymar

O dia 30 de junho seria mais uma data qualquer na trajetória da banda Lagum. Isso se não fosse o Neymar. Era fim de show na República Intrometeu, em Diamantina, quando os celulares dos cinco integrantes da banda começaram a tocar sem parar. Amigos e fãs davam a notícia que o jogador de futebol havia publicado […]

LEIA MAIS
photo

Lu e Vitor Cafaggi comentam adaptação de ‘Turma da Mônica -Laços’ para o cinema

A graphic novel mais vendida do país. Bem, este era o “posto” ocupado por Laços, trabalho dos irmãos Lu e Vitor Cafaggi. Aqui cabe o passado pois a história criada pelos roteiristas e desenhistas mineiros foi a escolhida para o primeiro filme em live-action da Turma da Mônica. O que isso significa? Que além do […]

LEIA MAIS