Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Donald Glover: Conheça um dos artistas mais completos da história recente

Gostou? Compartilhe!

Conhecido também pelo pseudônimo Childish Gambino, Glover conquistou sucesso em vários âmbitos da arte, além de uma legião de fãs.

Por Caio Brandão | Repórter

A história do entretenimento conta com muitos marcos. Atores, atrizes, músicos, diretores, roteiristas… Nos mais variados ofícios que florescem do núcleo central deste setor, inevitavelmente alguns nomes acabam se destacando mais que os outros, passando a ser reverenciados mundo afora.

Conhecido também pelo pseudônimo Childish Gambino, Glover conquistou sucesso em várias facetas da arte
Donald Glover, ou Childish Gambino - Foto: Kevin Winter/Getty Images

Contudo, vez ou outra, um evento, digamos assim, raro, acontece. E eis que surge um expoente que acumula várias dessas funções ao mesmo tempo. Não bastasse, executando todas com excelência. Um caso notório na história recente desta indústria é Donald Glover. 

Acumulando sucessos incontestáveis em várias esferas artísticas, Glover já é, sem exagero, um dos grandes ícones culturais pós-2010. Não por outro motivo, o estadunidense é o nome esquadrinhado da vez aqui, no Culturadoria. Confira, a seguir, um pouco mais a carreira desse grande artista!

Origens

Nascido na base Edwards da força aérea norte-americana, na Califórnia, Donald McKinley Glover se mudou ainda muito jovem, com a família, para Stone Mountain, na Geórgia. Localizada nas imediações de Atlanta, a comunidade era predominantemente branca, sendo a família de Glover uma das poucas de ascendência africana por lá. 

À época, o pai e mãe trabalhavam, respectivamente, nos correios e em uma creche, e eram testemunhas de Jeová, o que teve um forte impacto na infância de Donald. Por conta da crença, os pais acolhiam esporadicamente, em casa, várias crianças em situação vulnerável, o que gerava, nas palavras do próprio Donald, um ambiente “um pouco caótico”. Somado a isso, ele tinha quatro irmãos, sendo dois deles adotados.

Posteriormente, no ensino médio, o interesse pela arte começou a surgir na vida de Glover, que passou a se envolver em montagens de peças teatrais e musicais. Essa afinidade contemplaria, ainda, o tempo dele no ensino superior. Em seguida, Glover frequentou a Tisch School of the Arts, que faz parte do programa da New York University. Lá, obteve o diploma de escrita dramática, em 2006. Após a graduação, formou, com ex-colegas, o grupo de comédia Derrick Comedy.

O começo da carreira

Antes de aparecer nas telas, Donald Glover foi trabalhar atrás das câmeras, como roteirista na série “30 Rock”. Tinha apenas 23 anos. Ainda vivendo em um dormitório universitário, ele foi recrutado pela consagrada comediante Tina Fey para um trabalho que acabou abrindo várias possibilidades para o jovem escritor.

Porém, após trabalhar por três temporadas em “30 Rock”, Glover foi convidado para interpretar o personagem “Troy”, na sitcom “Community”. O papel acabou sendo revolucionário na trajetória do artista. A obra foi extremamente aclamada e é tida com uma das melhores da história das séries de comédia, mostrando um humor que beirava o surrealismo. 

Ainda que se passasse em uma universidade, “Community” trazia um frescor extremamente necessário para o universo das sitcoms, após a saturação da fórmula estabelecida por séries como “Friends”. Juntamente a nomes como Joel McHale, Ken Jeong, Alison Brie e Gillian Jacobs, a comédia conquistou uma base apaixonada de fãs. Agora, quase dez anos após o último episódio, foi confirmado que um filme será desenvolvido para fechar a história.

Childish Gambino, Redbone e This Is America

“Community”, embora tenha sido decisiva para a carreira de Glover, não foi o único fator que fez o artista conquistar uma legião de seguidores. Simultaneamente à série, Donald construía uma carreira musical usando o pseudônimo Childish Gambino. Os primeiros álbuns – “Camp”, “Because the Internet” e “Kauai” – foram obras polarizantes, mas, no geral, acabaram agradando a maioria, entregando hits como “Bonfire”, “3005” e “Sober”.

Porém, em 2016, as coisas ficaram sérias. Quando Gambino lançou o álbum “Awaken, My Love!”, o mundo se curvou perante o talento do artista. Fundindo soul, funk, R&B, além de outros estilos, a obra foi explosiva – e colocou Glover de vez em um patamar artístico muito acima da média.

“Awaken, My Love!” foi indicado a melhor álbum do ano e a melhor álbum urbano contemporâneo nos Grammys. Além disso, “Redbone”, faixa que acabou se tornando o grande sucesso da obra, somou três nomeações: melhor música de R&B do ano, gravação do ano e melhor performance tradicional de R&B (acabou faturando esta estatueta).

Posteriormente, em 2018, Glover lançou o polêmico clipe do single “This Is America”, que se tornou um sucesso instantaneamente.

A obra surgiu em um contexto de tensão nos Estados Unidos, por conta da violência policial e racial vigente no país, trazendo, assim, uma crítica visceral a esse ambiente por meio de um videoclipe que, ao longo do tempo, se tornou icônico. 

Recebendo muita atenção do público, bem como da mídia, a faixa fez história ao ganhar as categorias de música do ano e gravação do ano nos Grammys. Mais tarde, Glover, ainda lançou mais trabalhos, sendo destaque o álbum “3.15.20” e o single “Feels Like Summer”.

“Atlanta” e a consolidação de um ícone

Também em 2016, Donald iniciou outro projeto que coleciona prêmios. No começo daquele ano, o artista compôs o elenco de “Atlanta”, série que conta a história de um ex-universitário que largou o curso para gerir a carreira de rapper do primo. Assim, o roteiro inteligente e sensível, humor afiado, além da direção excelente, propulsionaram a produção para a aclamação do público e da crítica.

Consequentemente, “Atlanta” contou com impressionantes seis indicações ao Emmy ainda na primeira temporada. Totalizando todas as nomeações recebidas, a série foi contemplada 25 vezes, faturando seis Emmy no processo! Esse fato, por si só, já é um atestado de qualidade, então, resta apenas dizer: vá assistir “Atlanta” imediatamente!

Ademais, Glover recebeu três indicações pelo papel de “Earnest Marks” na obra, vencendo a categoria de melhor ator em uma série de comédia, em 2017. Achou que era só isso? O artista ainda recebeu nomeações como roteirista, diretor e produtor executivo, levando para a casa o prêmio de melhor direção em uma série de comédia, também em 2017. Sendo assim, o currículo de Donald é um dos mais pesados que a indústria do entretenimento já viu.

Outras obras

Somando feitos a uma carreira, que, por si só, já era absurda, Glover ainda compôs o elenco de “Solo: A Star Wars History”, no icônico papel de Lando Calrissian. O papel, a maioria sabe, foi originalmente interpretado por Billy Dee Williams, em “O Império Contra-Ataca”, de 1980. Posteriormente, o artista ainda estrelou, ao lado de Rihanna, o curta “Guava Island”, produzido pela Amazon.

Donald ainda esteve presente na adaptação em CGI do clássico “Rei Leão”, fazendo a voz de Simba. Aliás, o elenco também contou com a presença de ninguém menos que Beyoncé, interpretando Nala; e de Seth Rogen, como Pumba, além de outros nomes de alto calibre.

Atualmente, o artista é co-criador e produtor executivo da série “Swarm”, da Amazon Prime Video, junto a Janine Nabers. Portanto, não é exagero dizer que, do alto de seus 39 anos, Donald Glover se posiciona como um dos maiores talentos da geração. Aos fãs, resta apenas aguardar o que o futuro reserva para um artista de consistência ímpar como ele. 

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]