Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Professor da UFMG indica cinco passos para ler Grande Sertão: Veredas

Luiz Carlos de Assis Rocha, professor de linguística, é autor do livro Para ler Grande Sertão: Veredas e indicou para os leitores do Culturadoria um passo a passo inicial para a leitura
Grande sertão: veredas
Foto: Arquivo / Secretaria de Educação e Cultura de Goiás

Publicado pela primeira vez há 65 anos, o livro Grande sertão: veredas continua sendo uma das obras mais aclamadas e importantes da literatura nacional. João Guimarães Rosa, tendo como principal referência o sertão brasileiro, uniu elementos como figuras de linguagem, regionalismos e neologismo, para construir a narrativa.

Entretanto, um livro tão inovador e que mudou o panorama literário brasileiro pode ser, ao mesmo tempo, desafiador e até mesmo afastar leitores. Levando em consideração esse desafio da leitura, o professor de linguística da UFMG Luiz Carlos de Assis Rocha, desenvolveu o livro Para ler Grande Sertão: Veredas

O projeto surgiu quando ele ainda era estudante e foi instigado pelo linguajar da obra roseana. A partir daí, mergulhou na literatura do autor, passou a ministrar cursos e desenvolveu um estudo minucioso para explicar palavras e expressões de Grande Sertão: Veredas. A obra foi publicada pela Páginas Editora e está disponível para venda no site.

De acordo com o professor, o livro explica palavra por palavra, frase por frase, além do funcionamento da língua e das figuras utilizadas. 

Nós fomos até o professor Luiz Carlos de Assis Rocha e ele indicou cinco passos iniciais para apreciar o livro Grande Sertão: Veredas. Confira e já prepare a próxima leitura!

Passo 1 – Gostar de literatura

Parece óbvio, mas o primeiro passo é fundamental para o engajamento e persistência na leitura de Grande Sertão: Veredas. O livro tem mais de 500 páginas e uma história que gira em torno do jagunço Riobaldo. Dessa forma, conta suas paixões, tristezas, dores e alegrias das mais variadas formas, dialogando diretamente com o leitor. Outra dica complementar a essa é a de entender mais o contexto histórico da escrita do livro e da narrativa de Guimarães Rosa. Essas informações são facilmente encontradas na internet.

Passo 2 – Ler o livro com muita calma, sem pressa de acabá-lo

O professor Luiz Carlos destaca que há dois grupos possíveis leitores de Guimarães Rosa. O primeiro é o que começa a ler, mas não vai até o fim. O segundo é o que não leu ou não conhece o autor. No caso do grupo 1 é preciso muita paciência. A construção narrativa de Rosa não é tradicional, por isso requer um pouco mais de paciência, principalmente atualmente, onde é tudo pra ontem. É como diria o ditado: devagar se vai ao longe. Ou seja, o importante é avançar. 

Passo 3 – Se possível procurar orientação de pessoas mais experientes, através de palestras, cursos e leituras

O livro do professor Luiz Carlos de Assis Rocha pode ser um auxílio completo, já que fala minuciosamente de Grande Sertão. Entretanto, sempre há outros cursos na internet, bem como vídeos no YouTube e formações gratuitas sobre a obra. 

Passo 4 –  Não se contentar em ler o livro apenas uma vez; ninguém lê Grande Sertão: Veredas apenas uma vez

Já ouviu dizer que quando assistimos novamente a um filme conseguimos apreender outras camadas e mais informações que podem ter passado despercebidas na primeira vez? Pois é, isso vale para outras manifestações artísticas também. No caso de um livro tão cheio de significados e cenários como Grande Sertão: Veredas não seria diferente. Na medida em que descobrimos novas informações externas ao livro dá vontade de voltar à obra para comparar ou até mesmo tirar dúvidas. 

Passo 5 – Acreditar que este vai ser o livro da sua vida

Ok! Pode não ser literalmente o livro da sua vida, mas, com certeza, vai ser lembrado com carinho pra sempre. Não é atoa que ele é um dos maiores livros da literatura brasileira e o mais emblemático da carreira de João Guimarães Rosa. Além disso, o leitor tem a possibilidade de conhecer aspectos íntimos dos personagens que podem, muitas vezes, ser confundidos com os do próprio Guimarães Rosa. Isso porque para construir a história o autor fez duas viagens. Uma em 1945 para o interior de Minas para ver as paisagens da infância e outra em 1952 acompanhando a condução de uma boiada pelo sertão mineiro. 

grande sertão: veredas
Luiz carlos de Assis Rocha, autor do livro “Para ler Grande Sertão: Veredas. Foto: Clarice Poesia

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!