Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Dez peças infantis na Campanha que valem apostar

Programação transita entre releitura de clássicos a montagens de pesquisa

Por Thiago Fonseca*

08/01/2019 às 10:07

Publicidade - Portal UAI
Daniel Augusto / Divulgação

Dando sequência à nossa curadoria, em meio a tantas peças em cartaz na Campanha de Popularização Teatro e Dança, temos agora a lista para a garotada. Nesta edição, serão 41 espetáculos dedicados aos pequenos. Sendo assim, separamos as nossas dez apostas. Seja como for, elas chamam atenção pela produção, pesquisa, montagem diferenciada e por aí vai. Além desses, cadastramos outros em nossa seção de Eventos.

 

 

 

Moana – Foto: Heloisa Drumond / Divulgação

Moana

Por que ir? Por trabalhar com a construção de elementos cênicos de maneira inusitada

‘Moana, o musical’ conta a história de uma jovem que decide velejar pelo Oceano Pacífico com a ajuda de um semideus, em uma aventura que pode mudar a vida de todos. A montagem é da Miller Produções com direção de Rafael Ventura, que traz uma versão inovadora e ousada. São 16 integrantes e cenários que chamam a atenção. Para o espetáculo, Rafael teve um  trabalho de pesquisa sobre a cultura da Polinésia Francesa.

[O QUE] Moana, o musical, com direção de Rafael Ventura [QUANDO] 04 a 11 jan. Qui e Sex: 16h30 | 12 a 20 jan. Sáb e Dom: 16h [ONDE] Teatro Francisco Nunes e Teatro da Estação [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

Pru-ti-ti, memórias de estimação – Foto: Elmo Gomes / Divulgação

Pru-ti-ti, memórias de estimação

Por que ir? Por ser um trabalho de pesquisa que aborda temas tabus de forma lúdica

A montagem da Insensata Cia é inspirada em ‘O menino e o pinto do menino’, de Wander Piroli e segue uma linha de pesquisa bem interessante. Conta a história de Cau, um garoto que troca latas e panelas velhas por um pintinho e transgride muitas regras para conseguir leva-lo para seu apartamento. A montagem costura memórias sobre os animais de estimação dos atores. Além disso, aborda temas como a frustração e a morte

[O QUE] Pru-ti-ti, memórias de estimação com Insensata Cia [QUANDO] 05 a 13 de jan. Sáb e dom, 16h [ONDE] Centro Cultural Banco do Brasil [QUANTO] R$ 15

[COMPRE AQUI] 

 

É tão belo como um sim – Foto: Henrique Chendes/Divulgação

É tão belo como um sim. Teatro para Bebês

Por que ir? Por ser voltado para bebês

‘Morte e Vida Severina’, de João Cabral de Melo Neto, é a escolha da diretora Débora Vieira e dos integrantes do Grupo Oriundo de Teatro para se inspirarem livremente na criação de um espetáculo teatral para bebês. Só por isso já chama atenção. A proposta da montagem tem o uso limitado do texto e grande aproveitamento do jogo em cena com elementos simples que surpreendem pouco a pouco os espectadores. Em suma, a peça convida a todos a “brincar de Severino”.

[O QUE] É tão belo como um sim. Teatro para Bebês com direção de Débora Vieira e produção do Grupo Oriundo de Teatro [QUANDO] 06 a 13 jan. Sáb e Dom: 11h [ONDE] Teatro Francisco Nunes [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

O Pequeno Príncipe – Foto: Daniel Augusto / Divulgação

O Pequeno Príncipe

Por que ir? Por fazer uma releitura do clássico infantil em musical

Inspirado na obra do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, a montagem da Copas utiliza narrativa poética e lúdica para contar a história do Pequeno Príncipe em musical. Além disso, ressalta os valores que o ser humano deve buscar na sua jornada, entre eles lealdade, amizade, amor e liberdade. O espetáculo conta com cenário e figurino com muitas cores e produção impecável. O que chama atenção é a forma como os personagens são inseridos na história.

[O QUE] ‘O Pequeno Príncipe’ da Copas Produções [QUANDO] De 7 a 31 de janeiro, de segunda a quinta às 16h | De 17 a 24 de fevereiro, domingo às 16h [ONDE] Teatro Pátio Savassi e Sesc Palladium [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

Rei Leão – Foto: Daniel Augusto / Divulgação

O Rei Leão

Por que ir? Pelo encanto e profissionalismo da montagem

Rei Leão é um clássico e emociona qualquer um. A releitura que a Copas faz da história reforça isso. A montagem mineira é um musical baseado no maior sucesso da Broadway. Sendo assim, a história do leão e dos amigos Timão e Pumba é recheada de efeitos especiais, iluminação e aparatos tecnológicos. Além disso, o figurino e os aparatos cenográficos são diferentes e encantam. As canções são interpretadas ao vivo. Uma super produção, de direção de Diego Benicá com 15 atores no palco.

[O QUE] ‘O Rei Leão’ da Copas Produções [QUANDO] De 13 de janeiro a 24 de fevereiro, domingo às 16h [ONDE] Centro de Cultura Sesiminas – Rua Padre Marinho, 60 [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

João & Maria – Foto: Glaydson Alves

João e Maria

Por que ir? Por ter Maurício Canguçu na direção e por ser musical

Maurício Canguçu é conhecido na cidade pelas produções de comédia. A montagem de João e Maria sob sua direção é uma surpresa boa para a garotada. A história dos dois irmãos, que são abandonados pelo pai e a madrasta na floresta e lutam contra as armadilhas da Bruxa Medeia, é contada de um jeito diferente em musical rico em efeitos e com canções autorais.

 

[O QUE] João e Maria com direção Maurício Canguçu [QUANDO] 19 a 27 jan. Sábado e Domingo: 16h [ONDE] Teatro Marília [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

Alice no País das Maravilhas – Foto: Daniel Augusto / Divulgação

Alice no País das Maravilhas

Por que ir? Pela aposta em um formato diferente e interatividade

Alice no País das Maravilhas é a mais recente produção da Copas Produções. O espetáculo traz a história da garota de uma maneira lúdica, divertida e interativa. O musical usa e abusa do mundo do circo para contar a história. Em vez de Alice ir parar no país das maravilhas, ela vai para o circo. Lá dá de cara com os personagens da história que vivem em um circo. O figurino, os números circenses e a forma como os 11 atores prendem a atenção do público impressionam.

[O QUE] ‘Alice no País das Maravilhas’ da Copas Produções [QUANDO] 03 fev, Dom, 17h e 19 de janeiro, sábado, 18h | 03 fev às 17h[ONDE] Cine Theatro Brasil e Teatro João Ceschiatti [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

Chapeuzinho Vermelho – Foto: Gerson Rubim / Divulgação

Chapeuzinho Vermelho

Por que ir? Por dar uma versão contemporânea a história

Nesta versão de Chapeuzinho Vermelho, os atores do ‘O Trem – Cia de Teatro’ apresentam o ponto de vista de cada um dos personagens. Por meio de músicas e muita criatividade, os atores vão se revezando em todos os papéis. Para a história, a trupe traz temas e discussões da contemporaneidade. A direção é de Livia Gaudencio. Está não é a primeira vez que o espetáculo participa da Campanha com o espetáculo que foi sucesso de público.

[O QUE] Espetáculo ‘Chapeuzinho Vermelho’ do O Trem – Cia de Teatro [QUANDO] 16 a 24 de fevereiro, sábado e domingo às 16h [ONDE] Teatro Minas Tênis Clube [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

ParaChicos – Foto: Tati Motta/Divulgação

ParaChicos

Por que ir? Pelo bom trabalho que Mariana Arruda desenvolve

ParaChicos é uma montagem que viaja pelo cancioneiro Chico Buarque, com um olhar lúdico e teatrante da palhaça Begônia, personagem de Mariana Arruda, que tenta ser bailarina, mas vira palhaça e entra no mundo do Circo Roliúde com sua banda animal. Em cena, canções como ‘João e Maria’, ‘Pedro Pedreiro’, ‘Valsa dos Clowns’ e clássicos das trilhas de ‘Os Saltimbancos’. A direção da peça é de Lira Ribas, com direção musical e arranjos de Leandro Aguiar.

[O QUE] ‘Para Chicos’ do Grupo Maria Cutia [QUANDO] 17 de fevereiro às 16h [ONDE] Sesc Palladium [QUANTO] R$ 18

[COMPRE AQUI] 

 

 

De Banda Pra Lua – Foto: Bruno Magalhães / Divulgação

De Banda Pra Lua

Por que ir? Pela proposta de montagem e direção de Eid Ribeiro

O Armatrux é um dos mais importantes grupos de teatro de Belo Horizonte. A proposta que a companhia traz para o palco em ‘De Banda Pra Lua’ é um espetáculo de sombras. A peça contra a história de Tonico, Bié e a Mula Madrugada numa aventura na roça em noite de lua cheia. Sendo assim, os atores se transformam em seres fantásticos como dragões, Lua, São Jorge. A grupo utiliza na peça a manipulação de bonecos de sombra e habitáveis. A dramaturgia e direção é de Eid Ribeiro.

[O QUE] ‘De Banda Pra Lua’ do Grupo Armatrux [QUANDO] 23 e 24 de fevereiro, sábado às 16h e domingo às 11h e 16h [ONDE] CCBB-BH [QUANTO] R$ 15

[COMPRE AQUI] 

photo

A volta de João das Neves à vida de ator

Lá se vão 25 anos desde que João das Neves pisou no palco como ator. Até que, por coincidência, Lazarillo de Tormes, texto do século XVI, de um autor anônimo, arrebatou o artista de 82 anos. “Brincamos de fazer teatro o tempo todo. É muito gratificante e profundo”, revela. Pronto, João está de volta à […]

LEIA MAIS
photo

Em ‘Sublime Travessia’ Dudude coloca pra fora inquietações sobre Brasil presente

Ao longo dos últimos cinco anos a bailarina e coreógrafa Dudude se dedicou a pequenas grandes inquietações traduzidas em espetáculos de “entressafra”. Foram montagens pequenas que circularam por alguns festivais e davam vazão às sempre presentes inquietudes da artista. Sublime Travessia, que cumpre temporada no CCBB-BH até 12 de dezembro tem outro porte. Ou melhor, […]

LEIA MAIS
photo

Cinco tópicos sobre ‘Outros’, nova peça do Grupo Galpão

Toda estreia do Grupo Galpão é precedida de um agradável encontro com os atores. Em geral, ao chegar a este ponto, os discursos sobre a peça estão prontos. Pois o café da manhã para falar sobre Outros, a 24ª peça da Companhia, foi marcado também por diversos momentos em que os próprios artistas comentavam entre […]

LEIA MAIS