fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Paula Pimenta lança livro com lado B de Fazendo meu filme

Novo livro da série conta a versão de Leo para o romance com Fani, protagonistas de Fazendo meu filme

Por Carol Braga

05/11/2019 às 17:02

Publicidade - Portal UAI
Paula Pimenta. Foto: Marcio Rodrigues / Lumini Fotografia

A escritora Paula Pimenta não coloca panos quentes. Fazendo meu filme, a série de livros que marcou a estreia dela no gênero romance, é a preferida. E olha que sucesso não falta na carreira que começou em 2001, mas digamos que chegou ao auge da popularidade em 2008 com a história que ela retoma agora.

Sim, não deixa de ser uma retomada. Em Fazendo meu filme – Lado B, (Editora Gutemberg, Grupo Autêntica, R$ 44,90) Paula compartilha com os fãs da série o que se passava na cabeça de Leo, o “par romântico” de Estefânia Castelino Belluz, a Fani, a protagonista de Fazendo meu filme. O quarto – e até então último – volume da história deles saiu em 2012. “Eu não queria fazer uma continuação porque eu acho que eu dei o melhor final feliz para a Fani”, diz Paula.

Acontece que veio uma efeméride. Em 2018, o início da série completou a primeira década. O momento pedia uma homenagem e aí surgiu a oportunidade da troca de lado. “Foi bem interessante voltar. Matei muita saudade”, conta. Paula Pimenta disse que nunca pensou em fazer um Fazendo meu filme 5 pois gosta de deixar elementos em aberto para a imaginação do leitor.

Capa do livro de Paula Pimenta

Capa de Fazendo meu filme – Lado B de Paula Pimenta. Foto: Grupo Autêntica – reprodução

Comédias românticas 

Assim como suas protagonistas, Paula Pimenta é uma fã de comédia romântica. Em diversos formatos: no cinema, na TV e também na literatura. Ela reconhece que o gênero já teve uma fase melhor na telona. “As séries estão melhores do que os filmes. Como não tem nenhum filme icônico, sou da torcida de pegar os clássicos”, constata.

De acordo com a escritora, a queda da qualidade das comédias românticas tem a ver com a forma como as pessoas tem encarado o amor. “Acho que estão desesperançosas. Muita gente me diz que depois de ler os livros, voltam a acreditar”, conta. Paula Pimenta vê com bons olhos as produções lançadas por serviços de streaming. Do catálogo da Netflix recomenda títulos como Barraca do Beijo e Para todos os garotos que já amei.

Adaptação

O próximo ano será de muita expectativa para os fãs de Fani e Leo. Está previsto o lançamento do longa-metragem baseado na série. Desta vez, a própria Paula Pimenta é co-roteirista da trama. “Aprendi muita coisa com Cinderela Pop. Ainda bem que o Fazendo meu filme não foi o primeiro”, diz.

Protagonizado por Maísa, Cinderela Pop foi o primeiro filme baseado em um romance de Paula Pimenta. Foi lançado em fevereiro de 2019 e alcançou o público de 477 mil espectadores no cinema. Pelo menos para a autora, a expectativa para Fazendo meu filme parece ser maior. Dessa maneira, como a Fani é a personagem predileta de Paula Pimenta, ela fez questão de participar mais ativamente.

Ela assina o roteiro com Bruna Horta. Como os livros dela são escritos em primeira pessoa, diz que foi necessário tirar muita coisa da cabeça dos personagens e transformar em ação. “Tive que criar cenas para o pai e a mãe da Fani, as amigas dela e o próprio Leo”, adianta. Embora já tenha escolhido pessoalmente os atores que vão interpretar o jovem casal, diz que não pode revelar. “Quero que não sejam atores muito marcados e sejam lembrados como Fani e o Leo”. Ainda não há uma previsão de lançamento do longa que deve ser rodado em 2020.

Sendo assim, enquanto os personagens não vão ao cinema, vale conferir o que o Leo pensou e, sobretudo, sentiu desde quando viu Fani pela primeira vez. Os românticos que Vander Lee já dizia serem poucos, certamente vão suspirar.

O Culturadoria conversou com a escritora Paula Pimenta. Veja o víde!

photo

Redação do Enem: Por que é importante pensar na democratização do acesso ao cinema no Brasil?

Que bela oportunidade tiveram os estudantes que fizeram o Enem neste domingo, hein! Sim, nos dias de hoje, chega a ser um privilégio ter que pensar sobre no papel que o cinema desempenha na sociedade. Sem isso, seria muito difícil chegar a qualquer reflexão sobre democratização do acesso. Outro ponto de extrema importância, sobretudo em […]

LEIA MAIS
photo

Conheça projetos que contribuem para a difusão e acesso ao cinema

Falar sobre a difusão e acesso ao cinema nunca foi tão importante.  Em tempos em que a cultura sofre com cortes, o tema da redação do Enem 2019 nos aguça ainda mais a refletir sobre assunto. Neste texto, em tom opinativo, registramos as primeiras impressões. Mas o assunto não merece se esgotar. Mesmo que, para […]

LEIA MAIS
photo

Quem é Elisa de Sena: tambor, poesia e mistura contra o atraso

Como se conta a História? A cantora e compositora Elisa de Sena começa com o tambor. A artista criada no bairro Goiânia, em Belo Horizonte, formou-se em História, atuou com produção cultural e agora lançou seu primeiro disco, aos 37 anos. Sendo assim, ela é a convidada deste terceiro episódio do podcast Quem é. “Eu […]

LEIA MAIS