fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Campeão de audiência no drive-in: por que O Rei Leão é um filme tão amado?

Longa lidera, pela segunda semana seguida, as bilheterias de cinemas drive-in nacionais e tem fãs fieis de todas as gerações

Por Jaiane Souza *

13/08/2020 às 16:33 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Crédito: Disney / Buena Vista

Em tempos de drive-in, filmes que entraram e já saíram de cartaz nas salas de cinema convencionais estão com a bola toda. O Rei Leão, de 2019, lidera a bilheteria nacional há duas semanas e já arrecadou mais de R$ 18 mil, de acordo com dados da ComScore. Ele vem seguido de Dois irmãos: uma jornada fantástica e Extraordinário. Mas o que O Rei Leão tem de tão especial que arrebata corações de todas as idades? 

O novo filme da Disney, mesmo criticado, impressionou pela qualidade técnica praticamente impecável. Já o “original”, de 1994 não tem igual. “Quando você mistura  uma peça de Shakespeare com músicas do Elton John não tem como dar errado, e foi o caso do Rei Leão”, destaca Hanna Rocha, roteirista de cinema e fã do filme.

Na clássica peça teatral, Hamlet é um príncipe que quer vingar a morte do pai morto pelo próprio irmão, que tomou o trono para si. No caso do filme, Simba é o príncipe, Mufasa o rei morto e Scar o irmão que roubou o trono. Assim, O Rei Leão foi  baseado nessa história, a levou para a animação e ainda é encenada por animais. “Os personagens são super cativantes, os alívios cômicos funcionam, as músicas são maravilhosas. Eu acho um trabalho incrível”, acrescenta Hanna. 

Memória afetiva

Dá para arriscar dizer que esse é o principal motivo pelo qual as pessoas mais amam O Rei Leão e tudo que ele envolve. “Eu acho que foi o primeiro filme que me lembro de ter visto, eu tinha três ou quatro anos. Eu sei que sempre amei esse filme. Tive cachorro, periquito, peixinho, tudo com o nome de Simba”, relata a publicitária Evelyn Silva. Ela afirma ter, hoje, um carinho ainda maior pelo longa por se lembrar da infância. “Eu acho que quanto mais o tempo passa, mais aparece um entendimento diferente do filme”, pontua. 

E não apenas este como os outros clássicos da Disney vivem no imaginário das pessoas, principalmente os musicais. “A trilha sonora faz parte da minha infância e eu me emociono com as músicas até hoje. Mas unido a tudo isso, a história do Rei Leão é muito inspiradora e ensina muita coisa, principalmente pensando que ele foi feito para crianças, pessoas em formação”, destaca Aline Azevedo, outra fã do filme. 

 

o rei leão

Crédito: Disney / Buena Vista

Personagens

Os personagens do filme são um show à parte. A começar pela improvável amizade entre um javali e um suricato. Timão e Pumba são, de longe, os personagens mais queridos. Grandes parceiros de aventuras e peça-chave na jornada de Simba. Eles são os responsáveis por apresentar o Hakuna Matata para o leão. Além disso, fazem tudo por um suculento inseto, ensinam lições de amizade e que família não é só de sangue. 

O sucesso dos dois é tanto que ganharam uma série própria. Ela é transmitida pela Disney na TV a cabo, mas se você procurar, encontra alguns episódios no YouTube.

Lições

Acima de tudo, O Rei Leão é um filme que ensina lições. De amizade, com Timão e Pumba, de família e autoconhecimento. A saga de Simba e o seu afastamento das origens só prova o quanto isso é doloroso. “Ele lida com um dilema que muitos de nós passamos ou vamos passar. Ao longo da vida tentamos descobrir quem realmente somos e, durante essa descoberta, percebemos como tudo que fazemos, erros ou acertos, acontecem para nos ensinar algo e nos ajudar a sermos melhores no futuro”, destaca Aline Azevedo. “E é por isso que esse filme ainda mexe com muita gente mesmo na fase adulta”, completa. 

O live action

Nos 25 anos de lançamento da animação, veio o remake em live action. Dirigido por Jon Favreau, o filme é parte de um projeto da Disney de fazer novas versões de grandes sucessos. Dessa forma, o longa foi totalmente construído em computação gráfica. O resultado é impressionante e divide opiniões. O ponto principal das discussões é a expressividade dos personagens. 

“O único problema é que como eles fizeram como se fossem bichos de verdade, acaba que os personagens não têm a mesma expressão do desenho e fica mais difícil de se conectar com eles”, destaca Aline Azevedo. Mas é de consenso quase geral que o filme manteve a sua essência. Uma das novidades são as dublagens. O Simba foi interpretado por Donald Gloover, a Nala por Beyoncé, o Scar por Chiwetel Ejiofor e o Mufasa pelo dublador original James Earl Jones. No Brasil, Ícaro Silva, Iza, Rodrigo Miallaeret e Saulo Javan, respectivamente.

O live action foi indicado ao Oscar 2020 de Melhores Efeitos Visuais. Já a versão de 1994, ganhou o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original e Canção Original para Can you feel the love tonight, de Elton John e Tim Rice; Globo de Ouro de Canção Original para a mesma música do Oscar, Melhor Filme (Comédia/Musical) e Melhor Trilha Sonora Original.

O Rei Leão de 2019 está disponível na Amazon Prime Vídeo e o de 1994 no YouTube Filmes e Google Play.

photo

Tamara Franklin sobre novo single: “É luta de homens e mulheres pretas que não aceitam abaixar a cabeça”

Aos 14 anos, Tamara Franklin escreveu a letra do novo single Encosta na parede, do disco Fugio, que será lançado em breve. Entretanto, só agora os versos ganharam o mundo. Eles são potentes ao passar a mensagem de luta de homens e mulheres pretas que não aceitam abaixar a cabeça. Além disso, também se destaca […]

LEIA MAIS
photo

Por que você deveria ver o documentário Sandy e Junior – A História?

A cada novo produto lançado pela dupla Sandy e Junior os parâmetros sobre “fenômeno” são atualizados. Goste ou não da música que os irmãos fazem, não conseguir ver o impacto que geram no mercado do entretenimento é puro negacionismo. Se a turnê “revival” de 2019 provocou uma corrida sem precedentes pela compra de ingressos, o […]

LEIA MAIS
photo

Cinco filmes para entender o Cinema Novo

O descontentamento de um grupo de cineastas em relação a questões sociais e políticas foi um dos motes para o surgimento do Cinema Novo. O movimento cinematográfico existiu no Brasil durante os anos 1960 e 1970, foi influenciado pelo Neorrealismo Italiano e pela Nouvelle Vague Francesa. Além disso, também veio como resposta ao cinema que […]

LEIA MAIS