fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

O Amor em Tempos Modernos: conheça cinco quadrinistas brasileiras

Carol Rossetti, Laura Athayde, Line Lemos, Lu Cafaggi e Rebeca Prado são convidadas da exposição virtual de dia dos namorados

Por Thiago Fonseca *

08/06/2020 às 13:57 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Line Lemos, Lu Cafaggi, Rebeca Prado, Laura Athayde e Carol Rossetti - Foto montagem de Fernanda Peixoto com fotos de arquivo pessoal das quadrinistas

Carol Rossetti, Laura Athayde, Line Lemos, Lu Cafaggi e Rebeca Prado são quadrinistas que atuam em Belo Horizonte. Elas ganham destaque nesse mercado predominantemente masculino. Prova disso é que a partir desta segunda-feira, dia 8, até o dia 12 de junho, elas vão participar de uma exposição virtual em celebração do dia dos namorados, realizada pela Casa Fiat de Cultura.

“Amor em Tempos Modernos” levará ao público séries de quadrinhos sobre o amor. Sendo assim, as ilustrações serão disponibilizadas todos os dias pelo Facebook e Instagram da instituição. As convidadas integraram a exposição Inarredáveis! Mulheres Quadrinistas, realizada na Casa Fiat em 2018, em parceria com o Festival Internacional de Quadrinhos. A ideia foi celebrar o amor e suas facetas, além disso, fomentar a criação em tempos de pandemia. As tirinhas foram feitas de aquarela, pintura digital, ilustração, lápis de cor, carvão e técnicas mista.

Conheça as artistas:

Quadrinho de Line Lemos é um dos disponíveis na exposição virtual – Foto: Casa Fiat de Cultura / Divulgação

Carol Rossetti

Carol Rossetti, é belo-horizontina, quadrinista, ilustradora, professora e designer. Tem no currículo a publicação de dois livros: Mulheres (2015) e Cores (2016). Além disso, é sócia do estúdio Café com Chocolate Design e dá aulas de aquarela no estúdio Black Ink. Se prepara para lançar a primeira graphic novel, Vento Norte. A quadrinista foi cocuradora do Festival Internacional de Quadrinhos em 2018.

Com traços finos, expressivos e vivo, Carol busca trabalhar o humor em seus trabalhos. Dessa maneira, para a exposição criou um quadrinho sobre um casal que não pode se ver no isolamento. “Quero mostrar como estão lidando com isso, de uma forma que aqueça o coração das pessoas, traga esperança e quando for seguro, o reencontro será maravilhoso”, conta.

Laura Athayde

A quadrinista de Manaus largou a vida de advogada para se dedicar à arte e desde então não parou. Atualmente atua como designer e ilustradora. Seus trabalhos são voltados para temas como feminista e causa LGBTQI+. Já colaborou com editoras como Record, Cia. das Letras e Planeta. Desenhou para o jornal Folha de S.Paulo e a revista piauí. Foi vencedora do Troféu HQMix de 2019, na categoria Publicação Independente de Autor. Estilo visual multifacetado, seus trabalhos são criados com GIS e falam, por exemplo, sobre relacionamento, feminismo e empoderamento.

“Procuro trazer nos meus trabalhos situações da vida real com toque de otimismo e humor. Sendo assim, no quadrinho falo sobre estar isolado e como minha relação me ajuda segurar essa barra”, revela.

Line Lemos

Mestre em História, com formação complementar em Design Gráfico e Artes Visuais, Line Lemos atua como artista visual e quadrinista na capital mineira. Começou a produzir publicações independentes e a realizar oficinas sobre o tema em 2014. É autora de nove zines e os livros Artistas Brasileiras (2018) e FOGO FATO (2020).

Em resumo, cores fortes com técnicas distintas, como a aquarela, marcam as características do trabalho de Line. Ela gosta de trabalhar com assuntos como a história do feminismo e os estudos de gênero. “Desenhei para a exposição uma história sobre amor próprio com a analogia da necessidade de criar uma plantinha”.

Lu Cafaggi

Foi há nove anos que a jornalista belo-horizontina, Lu Cafaggi, ingressou na carreira de quadrinista. Um dos trabalhos mais expressivos da carreira foi uma publicação com Mauricio de Sousa Produções. Além disso, colaborou com o coletivo Lady’s Comics, publicou com a Editora Nemo e desenhou a identidade visual do Festival Internacional de Quadrinhos de 2015.

Lu desenvolve um trabalho autoral e independente. “Criei um quadrinho inspirado em um relacionamento que projetei qualidades que eram coisas que eu gostaria de desenvolver em mim. Mostro um jeito de enxergar poesia na vida”.

Rebeca Prado

Roteirista efetiva da Turma da Mônica, Rebeca Prado é também quadrinista e ilustradora. Autora dos livros Navio Dragão e Baleia #3, e dos zines Baleia #1, Baleia #2, Carne! e Credo (Que delícia). Com o último, foi vencedora do prêmio Ângelo Agostini de 2019. Já teve quadrinhos e ilustrações publicados em diversas revistas, como Dragão Brasil, Omelete Box e Mundo Estranho.

Atualmente, trabalha como e como ilustradora para o mercado editorial, além de projetos pessoais. Em síntese, carrega nos trabalhos dela traços da personalidade em desenhos delicados. “Retrato no quadrinho o cozinhar. Além disso, destaco as diferentes formas de demonstrar afeto, seja nas relações de amor, seja nas de amizade”.

photo

Dicas de perfis do Instagram para aprender mais sobre finanças

Vamos falar sobre dinheiro? Sim, mesmo que a situação financeira não esteja lá essas coisas, o assunto não pode desaparecer do seu radar. A crise que atravessamos é mundial, mas se você tiver organização os impactos tendem a ser menores. É por isso que elaboramos o curso Finanças criativas: a arte de gerenciar seu dinheiro, […]

LEIA MAIS
photo

Coluna Almasculina #4: este assunto diz respeito a você?

A vida é a prioridade máxima. Mesmo óbvio, esse alerta em tempos de pandemia parece soar mais alto aos nossos ouvidos. As questões estruturais da nossa sociedade não foram simplesmente implodidas. Estão lá, mesmo “deletadas” diante da urgência atual. Por exemplo, o racismo estrutural. E na última semana, o mundo foi impactado pelas fortes imagens […]

LEIA MAIS
photo

Conheça Duda Beat: artista que sobreviveu à sofrência e ganhou o Brasil

O desabafo de relações amorosas frustradas e recados de amor próprio dão o tom às canções da artista pernambucana Duda Beat. Após o lançamento do primeiro disco, Sinto muito, em 2018, a cantora começou a ter visibilidade nacional e ganhou até o apelido de “rainha da sofrência pop”. Entretanto, há muita coisa por trás dessa […]

LEIA MAIS