fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

No que você deve ficar de olho na próxima Virada Cultural de BH?

Depois do intervalo de três anos, evento volta a ocupar o hipercentro entre os dias 20 e 21 de julho

Por Carol Braga

23/04/2019 às 18:01

Publicidade - Portal UAI
Foto: Mariane Botelho/Divulgação

Foram três adiamentos e agora a data está garantida. A próxima Virada Cultural de Belo Horizonte está marcada para começar às 17h de sábado, dia 20 de julho até às 17h de domingo, dia 21 de julho de 2019. A expectativa da prefeitura é que o evento atraia cerca de 500 mil pessoas. Ou seja, como sempre, nada pequeno. “Vamos manter a tradição do melhor, com espetáculos para todos os gostos e a possibilidade de desfrutar o centro da cidade”, assegura o secretário de cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira.

A experiência da Virada de BH ainda será nova para ele, já que assumiu o posto em 2017 e a última edição do evento foi em 2016. “Ano passado não pudemos fazer por falta de recursos e de uma estrutura mínima para trabalhar”, diz. Sendo assim, ele guarda memórias e muita experiência do que viveu quando era secretário de cultura de São Paulo. Vamos combinar que a coisa lá é bem maior do que a nossa.

Em 2019, em Belo Horizonte, serão mais de 400 atrações, sendo 120 delas escolhidas por edital. O orçamento previsto é de R$ 850 mil, verba que poderá ser ampliada se surgirem outros patrocínios.

Espera

A Virada é um evento relativamente novo se comparado a festivais mais tradicionais promovidos pela prefeitura como o Fan (Festival de Arte Negra), o Fit (Festival Internacional de Teatro e o Fiq (Festival Internacional de Quadrinhos). Mesmo sendo a caçula, caiu nas graças do público por apresentar diversidade. “Em qualquer lugar que eu vou as pessoas me perguntam sobre a virada”, conta Juca Ferreira.

A última edição teve entre os artistas convidados, nomes como Elza Soares, Sandra de Sá, Criolo, Lenine, Chico César, Renegado, Baby do Brasil, Otto, Grupo Teatro Oficina. Embora os nomes para 2019 ainda não tenham sido divulgados, vale confiar no secretário quando ele disse que vai manter a tradição.

Confira a seguir alguns pontos para você ficar de olho na Virada 2019.

 

Foto: Mariane Botelho/Divulgação

 

Tudo concentrado no centro

Nos primeiros anos da virada, as atrações realmente se espalharam pelas regionais da cidade. Em 2019, serão seis palcos oficiais, todos eles na região do hipercentro de BH. São eles: Aarão Reis (embaixo do Viaduto), Parque Municipal Américo Renné Giannetti, Praça Sete, rua da Bahia com avenida Santos Dumont, rua Guaicurus e rua Goiás.

Dessa maneira, como Juca Ferreira destaca, “a Virada está ligada ao direito à cidade”. Segundo o secretário, pesquisas realizadas pela prefeitura contam que muita gente mora em BH mas não conhece a cidade. “É de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Não conhece e não desfruta”.

 

Intervenções urbanas

Não fique preso somente nas atrações principais, que ainda serão divulgadas. Uma das novidades da Virada 2019 é a de também preencher com arte os trajetos que vão ligar um ponto e outro. Ou seja, fique de olho nas intervenções urbanas e performances. Se você for artista, também pode propor um trabalho para estes espaços. Dessa maneira, as intervenções tendem a fazer com que a caminhada entre um palco e outro fique mais divertida. A Virada, de fato, proporciona isso pra gente: caminhar, ver a cidade de uma maneira que você raramente observa.

 

Diversidade de atrações

Sendo assim, uma das características da Virada que mais empolgam o secretário Juca Ferreira é justamente o fato dela estar ligada ao “direito à cidade” a possibilidade de satisfazer todos os gostos. “A programação é feita para isso”. No caso da edição 2019, a distribuição da programação pelos palcos oficiais do hipercentro vai levar em conta o perfil da região. Ou seja, se tiver rap, certamente estará debaixo do viaduto de Santa Tereza. Se não estiver lá, será uma quebra intencional. Que não seria má ideia justamente para fazer o público explorar zonas desconhecidas.

 

Participação local

Como sempre, está aberto o chamamento para os artistas interessados em participar da Virada Cultural. Eles têm até o dia 12 de maio para enviar propostas de projetos. Serão aceitos nas áreas de arte urbana, música, dança, circo, cinema, teatro, artes visuais, gastronomia, moda, games, espetáculo infantil, cultura popular e outros segmentos.

Tudo será feito pelo site www.viradacultural.pbh.gov.br. Desde o envio de documentos até a disponibilização de conteúdos por meio de links que apresentem o trabalho proposto. O resultado será divulgado no site oficial do evento.

 

Continua após a publicidade...

photo

Lenine leva ‘tecnologia do afeto’ para show em Inhotim

“Confesso que como cidadão nunca vi tanta falta de justeza”, desabafa Lenine. Assim mesmo, usando uma palavra que parece fora do lugar para falar sobre adequação. “É porque a justiça está banalizada. Isso gera um desencanto, essa cor sombria que o projeto ‘Em Trânsito’ tem”, justifica. É também por isso que ele abre o disco […]

LEIA MAIS
photo

Por que você deveria ver os dois filmes mineiros que acabaram de chegar na Netflix?

Quem acompanha o cinema nacional tem vivido uma montanha russa de emoções no noticiário especializado, né? Um dia rola uma notícia terrível sobre a paralisação da liberação de verbas na Ancine. No outro, quatro filmes nacionais são anunciados na programação do Festival de Cannes. É esse tipo de informação que a gente prefere fazer circular […]

LEIA MAIS
photo

La Movida volta à ativa em novo endereço no bairro Floresta

Fim do mistério: a nova casa do La Movida, microteatro bar será no bairro Floresta. Precisamente, na Rua Marechal Deodoro, 308, esquina com Avenida Francisco Sales. Se situou?  Pois é naquela região, que já teve o Teatro Alterosa em atividade, que o projeto liderado por Clarice Castanheira, Marco Túlio Zerlotini e Alice Lucchesi passará a […]

LEIA MAIS