Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Imagem dos Povos celebra as mulheres do audiovisual

Por Thiago Fonseca *

28/05/2018 às 12:21 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Reprodução Cartaz Imagem dos Povos

O protagonismo da mulher na produção audiovisual é o tema da 13º edição da Mostra Imagem dos Povos. Ela ocupa o Cine Sesc Palladium de 29 de maio a 03 de junho. Serão exibidos 23 filmes em 11 sessões comentadas. O projeto ainda conta com quatro MasterClasses, ministradas por mulheres que são destaque no audiovisual, e cinemateca online com mais outros 31 filmes.

A escolha do tema, segundo a diretora e curadora da Mostra, Tâmara Braga, vêm da constatação da minoria das mulheres na produção audiovisual. Segundo levantamento da Agência Nacional do Cinema, em 2016, das 2.583 obras audiovisuais registradas na Agência, apenas 17% foram dirigidas e 21% roteirizadas por mulheres, embora mais da metade da população brasileira seja feminina.

“Queremos mostrar e incentivar as produções feitas por mulheres. É necessária uma paridade entre os sexos nas produções. Dessa forma, esperamos que o festival consiga isso”, explica Tâmara. Como slogan da Mostra a curadoria defende a frase: “As mulheres que fazem história são também as mulheres que contam histórias. E para que suas vidas exemplares sejam reconhecidas e as mulheres assumam o protagonismo das narrativas, convidamos você: Seja como Mulher, Faça História!”

Todas as produções do festival são dirigidas ou roteirizadas por mulheres e os temas também estão ligados à assuntos femininos. “A Mostra trabalha com pesquisa e não seleção. Assim, escolhemos histórias variadas e que tivessem olhares diferentes. Temos desde discussão da política do corpo, como por exemplo, em ‘Meu corpo é político’, de alice Riff, e a relação da mulher contemporânea com a família em “Como Nossos Pais’, de Laís Bodanzky. Todos os filmes tocam no que as mulheres vivem”, explica Maíz d’Assumpção, diretora e curadora da Mostra.

 

Continua após a publicidade...

 

‘O Processo’, de de Maria Augusta Ramos é um dos filmes que integra a Mostra – Foto: Still Berlim / Divulgação

Programação

‘O Processo’, de Maria Augusta Ramos, lançado há duas semanas, é um dos destaques da mostra e será exibido na quinta-feira, dia 31. Destaque ainda para a pré-estreia de ‘As Boas Maneiras’ com a presença da diretora Juliana Rojas, na quarta-feira, dia 30. Integram ainda a mostra ‘Era o Hotel Cambridge’, de Eliane Caff; ‘Elena’, de Petra Costa; Cidade onde envelheço, de Marília Rocha; e outros.

Todas as sessões serão apresentadas e comentadas pela curadoria, diretoras, produtoras, roteiristas e atrizes. Os filmes ainda contam acessibilidade. Dessa forma, todas as obras, exceto ‘O Processo’, possuem legenda descritiva ou LIBRAS ou audiodescrição. Os ingressos são gratuitos e devem ser retirados meia hora antes da sessão. A programação completa você acessa aqui.

Além das produções exibidas no Cine Sesc Palladium o público ainda poderá contar com outros 31 filmes no site da Mostra. Eles fazem parte da Cinemateca Alice Guy. Uma homenagem a primeira cineasta a produzir filmes de ficção na história do cinema. “Por algum motivo Alice foi esquecida e tempos depois foi resgatada por historiadores do cinema. Ainda homenageamos ela com a exibição de um curta de sua autoria em todas as sessões e outros exclusivos na web”, conta Maíz.

Desde seu nascimento a Mostra tem por objetivo fomentar o setor audiovisual em Minas e trabalhar com a formação. Nesta edição, o evento aposta em quatro MasterClasses, com carga horária de oito horas cada. Nelas, as convidadas irão apresentar o seu processo criativo dentro da sua especialidade. Estão confirmadas a produtora Débora Ivanov, as diretoras Ana Luiza Azevedo e Maria Augusta Ramos e Martha Kiss, responsável pela direção de arte do filme Elena. As aulas são gratuitas, entretanto, as inscrições se esgotaram em duas horas, assim que foram abertas, semanas antes.

 

Mostra Imagem dos Povos – Foto: Divulgação

Sobre a Mostra

Criada em 2005 a Imagem dos Povos é um mostra internacional de conteúdo audiovisual única no Brasil em múltiplas plataformas: cinema, TV e web. A cada ano muda de tema, de acordo com as demandas de setor, como explica a Tâmara. “Objetivo do festival é fomentar o setor audiovisual em Minas. Trazemos a cada ano temas que podem contribuir para que o setor se desenvolva e possa contribuir para o fomento”.

A Mostra iniciou sua trajetória em Ouro Preto, mas já circulou Minas. Em 13 anos exibiu mais de mil produções, realizou 10 Seminários Internacionais e diversos workshops. A Idealização, realização, direção e curadoria geral é de Tâmara Braga Ribeiro, Maíz d’Assumpção e Adyr Assumpção.

photo

Confira os bastidores de Vaga Carne, o filme

Quem viu Vaga Carne, a peça, saiu do teatro um pouco confuso. O que Grace Passô, autora do texto e atriz da montagem, faz em quase uma hora em que fica sozinha em cena é provocar um caos semiótico em quem assiste. Não há qualquer consenso, por exemplo, ao dizer se a personagem é uma […]

LEIA MAIS
photo

Quatro tópicos sobre o filme Bohemian Rhapsody

Com tantas opções de entretenimento que temos hoje, grande parte delas você nem precisa sair de casa, quando decide ir ao cinema, por exemplo, tem que ser uma experiência que realmente faça diferença. Pois Bohemian Rhapsody, a cinebiografia do Queen, é um filme que deve ser visto sim na tela grande. Se for no IMAX, […]

LEIA MAIS
photo

O primeiro homem: experiência com grife Damien Chazelle

Não há dúvidas de que o diretor de O primeiro homem, Damien Chazelle, é um garoto prodígio. Aos 33 anos ele já recebeu três indicações ao Oscar e tem uma estatueta em casa pela direção de La La Land (2016). Mas não é isso que faz dele um jovem cineasta fora da curva. É o […]

LEIA MAIS