fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

BH recebe Mostra de Diretoras Negras no Cinema Brasileiro

Por Thiago Fonseca *

15/05/2018 às 08:42 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI

Um levantamento da Agência Nacional do Cinema (Ancine) apontou que nenhum filme foi dirigido ou roteirizado por uma mulher negra no ano de 2016. A pesquisa teve como base 142 longas-metragens brasileiros lançados comercialmente em salas de exibição. Deste modo, com o objetivo de incentivar a produção cinematográfica de diretoras negras a ‘Mostra de Diretoras Negras no Cinema Brasileiro’ chega à BH. Será no Sesc Palladium, do dia 15 a 27 maio.

O evento faz retrospectiva cinematográfica, de 1984 a 2017, de diretoras expoentes do cinema negro brasileiro. A  curadoria é de Kênia Freitas e Paulo Ricardo de Almeida. Serão apresentados mais de 40 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens. O evento ainda conta com debate sobre o tema. Após o Rio de Janeiro, Belo Horizonte é a terceira cidade a receber a Mostra, que estreou no ano passado em Brasília.

“A Mostra surge como uma ideia do Paulo Ricardo, após conhecer o trabalho da cineasta Adélia Sampaio e constatar que era necessário conhecer outras cineastas negras pelo Brasil a fora. A ideia é tentar fazer um panorama geral das diretoras negras em atividade no país. Foram escolhidas mais de 20 de diferentes regiões. Em suma, queremos mostrar que existem mulheres negras que fazem cinema”, explica Kênia Freitas que divide a curadoria com Paulo Ricardo.

O tema dos filmes era livre, entretanto, a curadora ressalta que quase todos possuem um teor político, seja ele racial, de relações humanas e/ou afetivas. “Muita gente acha que não existe cinema produzido por mulheres negras, mas existe, e, muito. Falta é informação para que elas sejam conhecidas. Isso se dá pela estrutura racista e machista institucionalizada. Desse modo, é necessário políticas públicas para incentivar a classe”, pontua Kênia.

Cena de ‘Personal Vivator’, de Sabrina Fidalgo – Foto: Reprdoução

Programação

A mostra percorre os trabalhos desde as pioneiras como Adélia Sampaio e Danddara, passando por nomes contemporâneos, como Juliana Vicente, Lilian Solá Santiago, Renata Martins, Sabrina Fidalgo, Yasmin Thayná, Ceci Alves, Tainá Reis, Elen Linth, Keila Serruya, e outras outras.

Entre os mais de 40 filmes, estão “Amor Maldito” (1984), de Adélia Sampaio; “Gurufim na Mangueira” (2000), de Danddara; “Graffiti” (2008), de Lilian Solá Santiago; “Um filme de Dança” (2013), de Carmen Luz; “O Dia de Jerusa” (2014), de Viviane Ferreira; “Kbela” (2015), de Yasmin Thayná; “Rainha” (2016), de Sabrina Fidalgo; e “Maria” (2017), de Elen Linth e Riane Nascimento. Filmes importantes, que de acordo com Kênia, vão além da política e são bem produzidos.

A sessão do dia 24 será especial com de debate com Juliana Vicente e Tatiana Carvalho, às 19h. A programação completa dos filmes você confere aqui. Os ingressos são gratuitos e devem ser retirados meia hora antes da sessão.

[O QUE] Mostra de Diretoras Negras no Cinema Brasileiro [QUANDO] 15 a 27 maio [ONDE] Cine Sesc Palladium – Av. Augusto de Lima, 420, Centro – BH [QUANTO] Gratuito

 

 

photo

Oito maiores expectativas dos fãs para o fim de ‘Game of Thrones’

O final da épica série da HBO está próximo. Considerada por muitos a série de fantasia mais amada, ‘Game of Thrones’ chega a sua última temporada neste ano. E certamente os fãs tem muitas expectativas para esse aguardado desfecho. Pensando nisso, separamos oito das maiores expectativas dos fãs da série para esse adeus na TV. […]

LEIA MAIS
photo

[Crítica] Raiz e identidade como força em ‘Lion – uma jornada para casa’

De todos os indicados ao Oscar 2017, Lion: uma jornada para casa é um dos que mais me emocionou. Assim como Estrelas além do tempo, também é baseado em uma história real. Gosto disso. As duas histórias tem força arrebatadora. Se na trama sobre as mulheres que conquistaram lugar de destaque na carreira profissional na […]

LEIA MAIS
photo

Atriz Bárbara Luz segue o caminho dos pais em estreia no cinema

Em uma das primeiras cenas de Unicórnio, filme de Eduardo Nunes baseado na literatura de Hilda Hilst, a atriz Bárbara Luz aparece em plano fechado. Não há texto. Apenas um olhar vago que diz muito sobre aquela garota. Em um breve instante já é possível perceber a ótima relação entre a atriz e a câmera. […]

LEIA MAIS