fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Morena Nascimento: “A arte é o olhar que você dá para as coisas e não as coisas em si”

Bailarina participou do Show da Tarde, que vai ao ar todas as quartas no Instagram do Culturadoria, e falou sobre novo cenário para os artistas da dança

Por Jaiane Souza *

15/07/2020 às 15:58 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: André Frade / Divulgação

Onde e como você enxerga a arte? Para os artistas, essa sempre foi uma reflexão presente. Agora, em momentos de isolamento social tem sido um desafio. A bailarina Morena Nascimento, por exemplo, participou do Show da Tarde, no Instagram do Culturadoria, e contou que no início estava aversa às lives, ficou em um momento de introspecção e só com o tempo entendeu o formato e se rendeu. “Porque dança pede presença, pede toque, pede suor. E eu gosto muito de estar presente com os meus alunos, por exemplo”, explica. 

Agora, a coisa mudou de figura! A artista viu no formato digital uma possibilidade de ressignificação. Atualmente, dá aula de dança contemporânea a convite do Centro de Referência da Dança de São Paulo pela plataforma Zoom. “Eu consigo reunir 100 pessoas em uma aula virtual. Então, é muito bonito também essa possibilidade de cada um estar no seu espaço íntimo, dentro da sua casa… Todo mundo conectado por um mesmo propósito”, relata. Em resumo, destaca a tecnologia como aliada nesse processo. 

Ressignificação da dança e temporalidade

Assim como o teatro ganhou novas perspectivas, de acordo com Debora Lamm, a dança, para Morena se transformou. “Parece que é outra coisa, não é necessariamente dança que a gente tá fazendo. Nós estamos ressignificando a forma de se comunicar”, comenta. No caso da dança contemporânea isso fica ainda mais evidente, já que os artistas refletem como ela era antes e como vai ser a partir de agora. 

Além disso, a temporalidade mudou e o acesso a apresentações de dança ficou até mesmo mais democrático, mesmo que enquadrado em formato de telas “A música tem o acesso mais fácil porque você baixa ou compra o disco, por exemplo. A dança e o teatro têm essa característica mais efêmera porque acontece ali, ao vivo, mas agora a gente também está chegando até a casa das pessoas”, conta. 

Carreira e espetáculos

Morena Nascimento foi bailarina intérprete da Tanztheater Wuppertal Pina Bausch, companhia fundada pela coreógrafa e dançarina Pina Bausch, e trabalha como artista independente desde 2001. Ela participou da programação do Sesc ao Vivo com a dança-improviso MADEIRA, uma dança para o meu pai. O espetáculo fez uma homenagem ao pai falecido há quatro anos. “Eu ainda não tinha criado uma homenagem ou agradecimento a ele. Então, senti essa necessidade já que faço dança para momentos e situações”,  detalha a bailarina. 

O tema familiar está presente na obra da bailarina há muito tempo. Só para exemplificar, em 2018 ela se apresentou no Tiradentes em Cena com o solo Pacha Harvey Mama Zulu, dedicado à mãe dela. 

morena nascimento

Foto: Julio Bretas / Divulgação

photo

Conheça o trap: sub gênero do rap é um dos que mais cresce nas plataformas digitais

Letras genéricas, efeitos que distorcem a voz, batidas graves e acompanhadas de rimas carregadas. São características do trap, que vai muito além de um gênero musical. É uma cultura. Surgido na década de 2000, em Atlanta, nos Estados Unidos, foi criado pelo DJ Paul. Mas o sucesso veio à tona em 2007. No Brasil, chegou […]

LEIA MAIS
photo

Por que The Office é uma série tão querida?

Aparentemente uma série pseudo documental sobre um escritório que vende papel não é nada interessante. Entretanto, The Office está aí para provar o contrário. Há 15 anos, a versão estadunidense da produção estreava na NBC e se tornava umas das comédias mais queridas. O diferencial é que o falso documentário não tinha as clássicas risadas […]

LEIA MAIS
photo

“Fazer canções de amor seria o maior ato de resistência da minha carreira”, diz Sérgio Pererê

Falar de amor. É essa a principal arma que o cantor, compositor e escritor Sérgio Pererê tomou para si para enfrentar os tempos estranhos que estamos vivendo. “A quarentena me trouxe muita reflexão”, diz. Isolado em casa, acompanhando as notícias sobre o movimento #blacklivesmatter, nos Estados Unidos e no Brasil, o artista chegou a uma […]

LEIA MAIS