Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Maurício de Sousa ganhará cinebiografia em 2023

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Dirigido por Pedro Vasconcellos, o filme ‘Maurício de Sousa – O Caçador de Sonhos’ vai contar detalhes sobre a trajetória do criador da Turma da Mônica.

Por Bárbara Barroso | Culturadora

Maurício de Sousa vai ganhar uma cinebiografia. O filme ‘Maurício de Sousa – O Caçador de Sonhos’, dirigido por Pedro Vasconcellos, contará a história do criador dos personagens do bairro do Limoeiro e está previsto para 2023. O longa-metragem é uma parceria da MSP (Maurício de Sousa Produções) com a Disney.

Maurício de Souza nos anos 70, no estúdio do prédio das Folhas. Foto: Instagram/Reprodução
Maurício de Souza nos anos 70, no estúdio do prédio das Folhas. Foto: Instagram/Reprodução

Ao longo de 86 anos de idade e mais de meio século de carreira, Maurício de Sousa publicou em mais de 100 países. Claro que ele ainda tem muito para compartilhar.

Carreira nos quadrinhos

Maurício nasceu em Santa Isabel e cresceu em Mogi das Cruzes. Aos 19 anos, em 1954, foi tentar a sorte em São Paulo. Trabalhou no jornal Folha da Manhã e, após um período como repórter policial, conseguiu uma vaga como ilustrador. Em 1959, criou seus primeiros personagens, o cãozinho Bidu e seu dono Franjinha, que apareciam nas tirinhas.

Quatro anos depois, o cartunista começou a desenhar para o caderno infantil da Folha de São Paulo, conhecido como “Folhinha”. No mesmo período, em 1963, surgiu a Mônica – inspirada na filha de Maurício. Ela estreou na tira de número 18 do Cebolinha, ao lado do coelho de pelúcia Sansão.

Posteriormente e ainda no jornal, Maurício deu vida à Turma do Penadinho, repleta de monstros e assombrações que tentam se divertir no cemitério. Nessa época, também, criou Horácio, um dinossauro filhote de Tiranossauro Rex. De acordo com o cartunista, ele “nasceu para passar mensagens de amor e paz”. Teve, ainda, o Astronauta, personagem criado após Yuri Gagarin viajar para o espaço.

O fenômeno “Turma da Mônica”

Mônica começou como personagem secundária. Assim, ainda que tenha passado por diversas modificações estruturais em seu desenho, logo tomou a frente nas tirinhas. Sendo assim, em maio de 1970, a personagem ganhou sua própria revista. Nela, Mônica compartilhava aventuras no Bairro do Limoeiro com Cebolinha, Cascão e Magali.

A fonte de Maurício para criar os personagens vinha de sua própria família. Mônica e Magali são inspiradas e levam os nomes de suas filhas. Dessa maneira, Magali, que tinha um gato siamês, tem sua imagem nos quadrinhos sempre acompanhada por Mingau, um gatinho angorá. Nimbus e Do Contra são reflexos de seus também filhos, Mauro Takeda e Maurício Takeda. 

Já Chico Bento, por exemplo, tem personalidade baseada no tio-avô do cartunista. Cascão e Cebolinha, são baseados em amigos da época de Mogi das Cruzes. A lista de personagens é extensa e você pode conferir completa clicando aqui.

Com o sucesso contínuo, a Turma da Mônica começou a chegar a diferentes países e se desdobrar em materiais como brinquedos, jogos eletrônicos, livros em braille e, até mesmo, produtos de higiene e alimentação. Sendo assim, eles também ganharam desenhos e animações em forma de longas e curta-metragem. Em 2019, por exemplo, foi lançado um filme live-action (Turma da Mônica: Laços), disponível no Globoplay.

Turma da Mônica estampa rótulos de frutas. Foto: Divulgação.
Turma da Mônica estampa rótulos de frutas. Foto: Divulgação.

O Parque da Mônica, maior parque temático coberto da América Latina, com diversão para toda a família, também reabriu as portas recentemente  após um período fechado devido à pandemia da COVID-19.

Atualmente, Maurício desenvolve histórias para a Turma da Mônica Jovem . Ou seja, é uma releitura da Turma da Mônica em versão adolescente, para dialogar com o público desta faixa etária.

Curiosidades

De acordo com o portal “O Tempo”, Maurício de Sousa já criou mais de 440 personagens e tem mais de 1 bilhão de revistas vendidas. Em 1947, Maurício criou o Capitão Picolé, quando tinha apenas 12 anos de idade. Ele aparece em algumas tirinhas, mas não como protagonista.

Capitão Picolé aparece em HQs de Maurício.
Capitão Picolé aparece em HQs de Maurício.

Ele também é membro da Academia Paulistana de Letras, na cadeira de nº 24 e recentemente lançou o livro “Sou Um Rio”, um manifesto em defesa do meio ambiente. O envolvimento do cartunista com causas sociais não é de hoje. Dessa maneira, em 2007, foi homenageado como “Escritor para Crianças” do UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a personagem Mônica, embaixadora do UNICEF.

Capa do Livro de Maurício de Souza "Sou um Rio". Foto: Nova Fronteira
Capa do Livro de Maurício de Souza “Sou um Rio”. Foto: Nova Fronteira

O cartunista já foi homenageado pela escola de samba Unidos do Peruche, que desfilou em 2007 em São Paulo. No sambódromo, fantasias contavam a vida e obra do criador da Turma da Mônica.

O filme sobre Maurício de Sousa não vai apenas falar sobre uma personalidade brasileira. Maurício nos ensinou que a arte das histórias em quadrinhos pode ir além do entretenimento, funcionando também como uma forma de educação e inclusão, características fortes em sua trajetória.

Bárbara Barroso é jornalista e escreve sobre cultura, música e cotidiano. 

Se quiser conversar sobre, basta chamar. Seu instagram é @barbarabarrosod.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!