Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Mais madura, Maria Gadú flerta com rock no show de Guelã

Por Carol Braga

08/05/2017 às 15:05

Publicidade - Portal UAI
Reprodução Instagram

Por Tainá Silveira*

Quem conhece Maria Gadú pela típica música de barzinho se surpreenderia no show “Guelã ao vivo”. A cantora foi atração de sábado (06/05) no Cine Theatro Brasil, em Belo Horizonte. O som calmo que fez a artista da nova MPB ser conhecida em todo Brasil hoje se confunde com um rock psicodélico e progressivo.

Com o italiano Federico Puppi no violoncelo, Dudinha, que substituiu Lancaster Pinto no baixo, Felipe Roseno na percussão e bateria, Gadú na guitarra e surdo e todos nos vocais, o repertório aposta em uma atmosfera alucinógena. Daquelas que entram no seu ouvido devagar e vão te empolgando. A iluminação de Marcos Franja também ajudou para a sensação de “barato”.

Sincronizada, em alguns momentos, com o pulso das músicas e em outros dando foco ao artista que protagonizava o som.

Maria Gadú amadureceu para o palco. É hoje bem menos tímida do que quando começou e muito mais cênica na interpretação das músicas. Ne Me Quitte Pas, Trovoa e Altar Particular, foram algumas das canções que surpreenderam no show de BH. O corpo da cantora mexia na mesma onda das emoções ditadas pelas letras. Passando a sensação de sofrimento, confusão e desconforto.

Axé Acappella de Dani Black e Luisa Maita foi interpretada como um protesto contra todos os tipos de preconceito e opressão. Contra o racismo, o machismo, o feminicídio e principalmente contra a homofobia. Gadú refletiu sobre os tempos que passamos e como o mundo clama por calma, silêncio e paciência.  Ao fim da música, é claro, rolou um “FORA TEMER”.

O bis foi praticamente outro show. Com grande parte do público de pé próximo ao palco, as músicas antigas – inclusive o primeiro sucesso Shimbalaiê –  foram adaptadas ao clima de “Guelã”, com guitarra, baixo, bateria, cello, percussão e surdo. O encerramento definitivo ficou por conta de “Dona Cila”, música que a artista compôs para sua avó.

Evolução

O que fica claro em Guelã ao vivo é quem antes tocava apenas a calmaria agora é versátil. Saiu da mesmice de voz e violão e agregou novos instrumentos que conversam entre si e que, em momento algum, ficam desconexos ou carregados demais.
As críticas ao show não são muitas, mas fortes. Maria Gadú não estava bem. Tossiu seco ao fim da abertura do show e confessou estar doente. Segundo ela, não achou que conseguiria fazer a apresentação. Até injeção tomou, o que parecia estar funcionando até aquele momento.

O contraste entre o estado de saúde dela e a demanda do público ficou claro. Ninguém deu trégua. A plateia esperava mais, sempre mais da cantora. Isso traz a reflexão do modo como exploramos nossos artistas. Se atualmente o mundo clama por paciência silêncio e calma, Gadú precisa de descanso também.

*Sob a supervisão de Carolina Braga.

photo

Conheça a pianista Luísa Mitre, uma das poucas (e boas) compositoras na cena instrumental de BH

Por Mariana Peixoto Não fosse o convite do projeto Música Nova, a pianista Luísa Mitre, nome em ascensão na cena instrumental de Belo Horizonte, poderia continuar inédita como compositora. Segunda mulher a vencer, em 18 anos, o Prêmio BDMG Instrumental – e a primeira a vencer também na categoria melhor arranjo – ela se prepara para lançar o álbum de estreia do Luísa Mitre Quinteto. Sabia que […]

LEIA MAIS
photo

Febre do vinil: procura por discos cresce no Brasil

Um levantamento da eBay, empresa internacional de marketplace, revelou que os brasileiros compram mais de 100 discos de vinil por mês na plataforma. Ainda segundo o último levantamento da indústria discográfica, divulgado em 2016, de 1991 até a data da pesquisa, as vendas e produções dos discos cresceram 53% em todo o mundo. No mesmo […]

LEIA MAIS
photo

Jojo Todynho: a dona do hit que explodiu a internet brasileira

Por Thiago Fonseca* Preta, gorda, favelada e dona do hit mais estourado do Brasil. Jojo Maronttinni, mais conhecida como Jojo Todynho, se define assim. Bombada na internet com a música “Que Tiro Foi Esse?”, a cantora ainda não teve tempo de entender tudo o que está se passando na vida dela. É show seguido de […]

LEIA MAIS