Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Marcelo Chiaretti e Cristiano Vianna lançam disco instrumental

Por Thiago Fonseca

26/09/2018 às 13:35

Publicidade - Portal UAI
Foto: Simone Pazzini / Divulgação

Foi da parceria de longa estrada entre os músicos Marcelo Chiaretti e Cristiano Vianna que o disco ‘Entre o Norte e o Poente’ surgiu. Um trabalho que mostra as peculiaridades musicais da dupla em 13 canções inéditas compostas em parcerias. Músicas que contam histórias e memórias de lugares de Belo Horizonte e de outras cidades do mundo. Sendo assim, totalmente instrumental, o disco será lançado no dia 10 de outubro, às 20h, na Fundação de Educação Artística.

Marcelo é flautista e Cristiano violonista. Ambos tiveram contato com a música na adolescência. Percorreram caminhos diversos e se encontraram há 18 anos tocando em grupos de choro e música brasileira por aí, como por exemplo, no grupo Copo Lagoinha. Em parceria, foram ainda finalistas do prêmio BDMG Instrumental em 2011. Nesse hiato, acumularam muitas composições e decidiram que era hora de registrar algumas em disco.

“Eu estava em Barcelona e o Marcelo em Paris. Fazíamos as canções por e-mail. Ele enviava alguns compassos e eu acrescentava. Nessa brincadeira fizemos várias e decidimos criar o disco”, conta Cristiano. O álbum foi gravado entre junho e agosto de 2018 no ‘Estúdio Motor’. Em suma, a primeira parte traz estilos mais regionais e choro, já a segunda parte, mostra uma produção mais jazzística. Canções que começaram a ser compostas em 2008, período em que os amigos estavam em países diferentes.

 

[youtube modulo=”2″]-oHING20QFY[/youtube]

 

Continua após a publicidade...

 

O disco

“Nosso disco dialoga com as matrizes da música brasileira, como por exemplo, o choro, bossa nova e a música mineira. Tínhamos muitas canções, lapidamos bastante o repertório para que pudesse representar de um lado a música mais ligada ao choro e de um outro lado a música ligada ao jazz. O disco é uma parceria. Um processo de um oferecer ideia para o outro”, explica Marcelo. Parcerias com músicos amigos também estão presentes no disco, o que faz o projeto ter um repertório instrumental em diversos arranjos e formações.

‘Entre o Norte e o Poente’, vem do nome de uma das canções dos discos. Segundo Marcelo, uma das mais lentas. “O nome vem de um trecho de Guimarães Rosa que fala que os rios bonitos são aqueles que nascem no Norte e correm no poente. Dessa forma, olhamos como uma metáfora poética que significa um pouco do processo de parceria e o fluxo, como o rio que flui”.

O álbum é patrocinado pelo UniBH via Lei Municipal de Incentivo Cultura. O show será na Fundação de Educação Artística. Espaço que representa muito para os dois músicos. Eles estudaram lá. Marcelo é também professor na instituição. “É uma alegria enorme poder fazer de lá o local de lançamento do disco. Assim, esperamos que as pessoas que nos acompanham estejam presentes. A música instrumental precisa de muito apoio”, afirma.

 

Continua após a publicidade...

photo

Conheça o Sonastério, o mais novo (e melhor) estúdio de BH

Sonastério Por Mariana Peixoto É só olhar para esta foto para entender o porquê do nome Sonastério. “Queria fazer um estúdio único, afastado da cidade, em que o músico pudesse ter uma experiência imersiva de criação”, afirma Bruno Martins, que está à frente do projeto. Não só afastado – são 30 km de Belo Horizonte – […]

LEIA MAIS
photo

Toni Garrido participa de bate-papo musical no próximo Campus Aberto do UniBH

Toni Garrido, vocalista do Cidade Negra, compositor, ator e apresentador, é a atração do próximo Campus Aberto do UniBH. O evento será realizado no dia 25 de maio e terá um formato diferente: bate-papo musical, seguido por apresentação do cantor. Dessa maneira, terá curadoria do especialista em MPB, Júlio Diniz. A iniciativa propõe aproximar o público da […]

LEIA MAIS
photo

Kell Smith, dona do hit ‘Era uma vez’, lança primeiro disco e chega a BH

Talvez a vida de Kell Smith não seria a mesma se seu pai não lhe desse de presente uma vitrola que encontrou no lixo. Foi aos 12 anos que nela escutou ‘Falso Brilhante’, de Elis Regina. Mesmo já tendo contato com a música as canções fizeram com que artista iniciasse a carreira. Hoje, 13 anos […]

LEIA MAIS