Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Evento traz lançamento de dois livros neste sábado

Gostou? Compartilhe!

Dois primos, dois livros: o escritor Marcos Xavier revela seus contos, já Malluh Praxedes, entrevistas com grandes músicos

Patrícia Cassese | Editora Assistente


Além de serem primos, Malluh Praxedes e Marcos Xavier são escritores. Diante do fato de os dois terem, recentemente, feito lançamentos no mercado editorial, nada mais natural que fizessem uma manhã de autógrafos conjunta. E ela acontece neste sábado (3), a partir das 11h, na Livres – Livraria do Mercado, no Mercado Novo. A jornalista e escritora Malluh Praxedes vai caprichar nas dedicatórias de “40 Anos de Entrevista Musical”, que traz algumas das várias entrevistas que fez com grandes nomes da cena musical, muitas das quais publicadas no jornal Estado de Minas.

Marcos Xavier e Malluh Praxedes: lançamento conjunto de livros (foto Alexandro Rodrigues/Divulgação)
Marcos Xavier e Malluh Praxedes: lançamento conjunto de livros (foto Alexandro Rodrigues/Divulgação)

Já Xavier autografa “Mundo Imperfeito e Outros Contos”, que contém oito histórias, a maioria ambientada em Belo Horizonte, como pontua o autor. Caso de “Um dia alucinante em BH”, que ele faz uma espécie de homenagem à cidade de uma forma singular. “Assim, através de uma viagem psicodélica ao passado, feita pelo personagem principal”, elucida ele.

Tom filosófico e lembranças de bons tempos

Por outro lado, “Talkbox” foi confessadamente inspirada nos filmes de Jim Jarmusch. A história se passa na BH do início dos anos 1980. “Na trama, faço referências ao célebre Bar do Lulu (com sua famosa jukebox) e à Fafich, ambientes que eu frequentava no bairro Santo Antônio”, desvenda.

O conto “Mundo Imperfeito”, por seu turno, é, como localiza o escritor, mais filosófico, apesar de seus diálogos leves. “Nele, os personagens discutem vários temas: a dualidade da natureza – que estarrece com belas paisagens, mas assusta com trágicos terremotos -, o recente e inoportuno movimento anticiência, a homofobia e o machismo, entre outros”.

O escritor Marcos Xavier, que aposta no formato contos (foto: Arquivo Pessoal)

Marcos Xavier diz que a montagem brasileira da peça “Os Realistas”, de Will Eno, assim como o filme “Os Belos Dias de Aranjuez”, de Wim Wenders, foram as inspirações para esse conto.

Referências presentes

Falando sobre a obra de um modo geral, Marcos localiza que os contos são bem diferentes uns dos outros. No entanto, é possível localizar algumas características compartilhadas. “Primeiramente, eles têm, em comum, muitas referências à literatura, à música e ao cinema. O último conto, ‘Cinema Falado’ (um dos que mais gosto), por exemplo, é explicitamente uma série de citações a músicas, a livros e a filmes preferidos”.

Por outro lado, algumas histórias exploram o sobrenatural, como “Almas digitais” – com fantasmas que acessam redes sociais. Já “Me arruma um cigarro, p*!” é apontado por Marcos como um “thriller vampiresco” com final nada convencional. “Como diz a jornalista Daniele Hostalácio no prefácio, a obra é um ‘liquidificador’, em que cabem ideias, personagens e, ainda, situações muitas vezes bizarras”, resume.

Serviço

Lançamento de “40 Anos de Entrevista Musical”, de Malluh Praxedes, e de “Mundo Imperfeito e Outros Contos”, Marcos Xavier
Neste sábado, a partir das 11h
Livres – Livraria do Mercado (Avenida Olegário Maciel, 742, 3º andar, corredor E, lj 3085).

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]