Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Agenda literária: o livro como protagonista

Gostou? Compartilhe!

Na Scriptum, o sábado é de homenagem ao saudoso Marcelo Dolabella, mas tem muitos outros eventos em torno do objeto livro

Sábado é tradicional: as livrarias da Savassi oferecem, ao público leitor, uma série de lançamentos, com sessões de autógrafos e outras atrações (por vezes, pequenos shows). Mas, no que tange a esta toada, na verdade, este final de semana começa com o lançamento, já nesta sexta-feira, dia 14 de junho, do livro “Hemorragia”, de Myriam Letícia, no Museu Imaginário, no Mercado Novo. Confira, a seguir, mais detalhes.

“Hemorragia” – Myriam Letícia

A autora mineira Myriam Letícia lança o seu primeiro livro de poesias, “Hemorragia” (Editora Toma Aí Um Poema, 114 páginas, R$ 48). A obra reúne 92 poemas, divididos em quatro capítulos: “Sangramentos”, “Arritmia”, “Taquicardia” e “Cicatrizes”, escritos ao longo de 20 anos. O lançamento acontece nesta sexta-feira, 14 de junho, às 19h, no Museu Imaginário do Mercado Novo (Rua Rio Grande do Sul, 499, 3º andar, Centro). Durante o evento, haverá interpretações poéticas, sessão de autógrafos e apresentação de duo instrumental (Marcela Nunes e Tiago Araújo). 

Myriam Leticia, que está lançando o livro "Hemorragia" (Marden Ferreira/Divulgação)
Myriam Leticia, que está lançando o livro "Hemorragia" (Marden Ferreira/Divulgação)

Segundo Myriam, “Hemorragia” é uma obra que transcende o tempo e apresenta uma intensidade na estrutura poética. Assim, pretende trazer à tona a empatia de olhar a si no olhar do outro, criando sentidos a cada nova leitura. “Os poemas, apesar de terem sido escritos em épocas diferentes, propositalmente não foram datados. Agora fazem parte do mundo dos leitores, não pertencendo mais ao tempo”, diz ela. Para a autora, cada um deles um universo e, tal qual, cada verso uma constelação de sentimentos e pensamentos, “que provocam e aguçam a sensibilidade à vida e às experiências humanas”. 

“Desse modo, não apenas compartilho minhas obras, mas também um pedaço da minha alma que, entre linhas e entrelinhas, encontra eco nas próprias vivências das pessoas”, explica Miryam. Entre os temas abordados, estão o existencialismo e feminismo, permeados por brincadeiras com a própria linguagem.

Poesia Orbital

Neste sábado, 15 de junho, a partir das 11h30, o projeto Poesia Orbital festeja os 25 anos com homenagem ao poeta Marcelo Dolabela. Haverá, ainda, lançamento de livros. O evento acontece na Livraria Scriptum (Rua Fernandes Tourinho, 99, Savassi). A coleção Poesia Orbital marcou história ao publicar livros de poetas moradores de Belo Horizonte, durante o centenário da capital (1897-1997). Agora, a coleção está de volta reunindo autores que participaram da edição anterior e novos poetas convidados. O projeto atual foi viabilizado por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Lançamento de livros acontece neste sábado, na Livraria Scriptum, na Savassi (Instagram Scriptum/Reprodução)
Lançamento de livros acontece neste sábado, na Livraria Scriptum, na Savassi (Instagram Scriptum/Reprodução)

A coleção homenageia o poeta Marcelo Dolabela, idealizador desse projeto. A primeira edição da Poesia orbital reuniu 62 livros de 69 poetas, com uma enorme diversidade de “órbitas poéticas”. Para celebrar esse importante acontecimento, a coleção está de volta com 20 livros inéditos, com a participação de 28 poetas, com a marca Poesia Orbital 25 anos. Comissão editorial: Brenda Marques, Flávia Craveiro, Mário Alex Rosa e Vera Casa Nova.

“Sonhei-te” – Ana Rocha

Neste sábado, dia 15 de junho, a partir das 11h, a artista e poeta Ana Rocha lança, no estúdio da Polvilho Edições, na Galeria São Vicente, seu mais novo livro de poesias e ilustrações “Sonhei-te”. São, ao todo, 24 poesias. E, ainda, uma nova coleção de cerâmicas, intitulada Aqui Jaz uma Caminha, com 24 peças. Ela é composta por camas manufaturadas em cerâmica de alta temperatura, com lençóis, travesseiros e colchões removíveis. Do mesmo modo, estarão à venda, por lá, o cartaz “Dormitório” (tiragem de 200 exemplares) e os carimbos “despertar” e ‘adormecer”, pertencentes ao que ela chama de família gráfica “Sonhei-te”. Anote o endereço: .Avenida Amazonas, 1.049, sobrelojas 55/56, Centro. Leia a matéria completa clicando aqui.

Festival Benengeli,

Belo Horizonte também recebe ações do Festival Benengeli – Semana Internacional das Letras em Espanhol, promovido pelo Instituto Cervantes. No dia 14 de junho, o Benengeli convida a jornalista e ensaísta espanhola Begoña Gómez Urzaiz. Ela vai conversar com a escritora e pesquisadora brasileira Maria de Lourdes Caldas Gouveia e a atriz mineira Carolina Correa. Será na Livraria da Rua (Rua Antônio de Albuquerque, 913, Savassi), às 18h. As três conversam sobre o tema que conduz esta edição do festival: “Literatura: humor ou tragédia”. Assim, refletem, por exemplo, se essas categorias seguem vigentes na criação contemporânea. Ou se as nuances e os cruzamentos entre elas é que definem a imaginação atual.

No dia 15 de junho, às 11h, Begoña Gómez Urzaiz apresenta o livro “As Abandonadoras”. O título foi recém-publicado no Brasil pela Zahar/Companhia das Letras (na foto acima, a capa da publicação). Assim, no Instituto Cervantes (Rua dos Inconfidentes, 600, Savassi), a autora conversa com a pesquisadora e curadora Carla Maia sobre a obra. O livro traz reflexões sobre culpa materna, maternidade competitiva e a mãe como sujeito criativo. Acesso gratuito.

“A História do Mal”

Neste sábado, a partir 11h, na Livraria e Café Quixote (Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi), acontece o lançamento de “A História do Mal”, de João Lacerda Cimbleris e Raphaela Prado. Ilustrações por Aline Besouro. Editado em parceria com a Fada inflada, “A História do Mal” é descrito como um livro de imagem e texto para pessoas de todas as idades. Ou seja, para quem quer expandir a imaginação e pensar fora da curva, para quem gosta de enigmas, parábolas e poemas. Nascido da parceria entre João e Raphaela, a reflexão sobre o Mal surge a partir da experiência de estar vivo de uma forma misteriosa e radicalmente única.

João, intrigado com o vilão Hawk Moth, do desenho Miraculous, e recorrendo a suas próprias vivências e sentimentos, elabora questionamentos que nos convidam a pensar sobre as diferentes camadas a respeito do Mal, essa entidade tão familiar e intrigante. O livro foi viabilizado por uma campanha de financiamento coletivo.

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]