Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Leandro Erlich e os desafios lúdicos da percepção humana

A tensão, com obras do artista argentino Leandro Erlich, inicia temporada no Brasil pelo Centro Cultural de Belo Horizonte
Leandro Erlich. Foto: Carol Braga/Culturadoria
Leandro Erlich. Foto: Carol Braga/Culturadoria

Que tal desafiar sua percepção? Brincar com espelho que não é espelho? Nuvem que é e não é ao mesmo tempo? Janelas, elevadores e até se aventurar a tomar um banho de piscina no pátio do Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte sem se molhar? Estes são alguns dos convites que o artista argentino Leandro Erlich nos faz na exposição A Tensão, em temporada no Brasil até junho de 2022. 

A capital mineira é a primeira a receber as instigantes obras de Erlich, criadas desde o final da década de 1990. É dessa época, por exemplo, Swimming Pool, de 1999 e a grande estrela da mostra. Mas, apesar de suntuosa e realmente bem divertida, a piscina que ocupa todo o pátio do CCBB-BH é apenas a maior delas. Todo o trabalho de Leandro Erlich é muito interessante. 

Por causa dos protocolos para a abertura durante a pandemia da Covid-19, os interessados em visitar a exposição precisam retirar os ingressos online. As visitas são previamente agendadas e as salas têm um limite máximo de visitantes por vez. Clique aqui para marcar seu horário. 

Linguagem própria

O curador Marcello Dantas conta que teve o primeiro contato com as criações do artista por volta do ano de 2004. Logo no primeiro contato, se impressionou por ser uma obra que articula arquitetura, cinema, invenção e uma ideia de ilusão. “Vi ali um artista com um potencial realmente transformador pois tinha uma linguagem que era só dele. Ninguém fazia nada parecido no mundo. Ele se aventurou por esse caminho e construiu um legado”, explica. 

Como Marcello salienta, as invenções de Leandro Erlich são capazes de envolver os sentidos dos visitantes. De fato, as pessoas se sentem desafiadas a experimentar o que ele propõe. 

É curioso como as instalações de Leandro Erlich despertam uma participação natural. Ou seja, você não precisa ensinar ou explicar nada para ninguém. Automaticamente vamos descobrindo o jogo e, claro, refletindo sobre o que nos provoca. 

As obras

Logo na entrada na exposição montada no Centro Cultural de Belo Horizonte nos deparamos com o Salão de Beleza, de 2008. No espaço instagramável o artista convida a uma reflexão sobre nossos espelhos, reflexos. Curiosidade: é muito difícil tirar uma foto que consiga captar a sensação de estar ali. Tente! Será um desafio que ele nos apresenta? 

“O reflexo me interessa por muitos motivos. Ao longo da minha obra tem carga simbólica e metafórica distinta. No caso do salão, o espelho é como se fosse um portal. Uma maneira poética para, além da ilusão de ótica, trazer a ideia de que uma pessoa pode se reconhecer visualmente em um reflexo mas também é possível se reconhecer no próximo”, revela Leandro Erlich. 

Ao todo são 19 obras. Elementos cotidianos da arquitetura como portas e janelas aparecem em muitas delas. Assim como os vidros e os espelhos que, como ele comenta, tem carga poética sempre renovada. O que também é curioso na proposta do artista é o fato de ser um jogo com o visitante. Ou seja, não há mágica. É possível desvendar o que ele faz e parte da graça está justamente nisso. 

É uma linguagem que consegue envolver os sentidos das pessoas que absolutamente se sentem desafiadas a contrastar a sua máquina da percepção versus a máquina da razão”, comenta o curador Marcello Dantas.

Visite a exposição:

 

Humor e crítica 

É certo que a maior parte das obras desperta uma sensação de brincadeira e divertimento. Mas não podemos dizer que não há crítica. A instalação Sala de Aula, criada em 1999, mostra exatamente o oposto disso. E mais: é uma criação que tem seus sentidos – e suas críticas – renovados.  Nela o visitante é convidado a se sentar em uma sala escura e, ao olhar para o lado, se vê fantasma em uma sala de aula em ruínas. 

Embora tenha sido feita em outra época é inevitável não associar o espaço escolar abandonado ao que acabamos de passar na pandemia. Escolas fechadas e, certamente, muitas delas, despedaçadas. 

Cinema 

A última parte da exposição é dedicada ao cinema. Leandro Erlich conta que foi muito influenciado pelo cinema. Então, ele criou cartazes em pintura para as próprias instalações. É também maneira interessante de observar, com distanciamento e graça, o que ele mesmo tem feito. 

A Tensão, exposição de Leandro Erlich, fica montada em Belo Horizonte até o dia 20 de novembro de 2021. Em seguida, vai para o Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (de 05/01 a 07/03/22), antes de finalizar a temporada brasileira em São Paulo (13/04 a 20/06/22). 

Serviço Leandro Erlich

[O QUE] Exposição: “A tensão”, de Leandro Erlich [QUANDO] CCBB-BH Belo Horizonte, de 15.09 a 22.11.2021; CCBB-RJ,  de 05.01.2022 a 07.03.2022 e CCBB-SP, de 13.04.2022 a 20.06.2022. 

RETIRADA DE INGRESSOS

Por Carol Braga

Jornalista cultural apaixonada, idealizadora e editora do Culturadoria! Acredita que a arte pode mudar o mundo.

Leandro Erlich. Foto: Carol Braga/Culturadoria
Leandro Erlich. Foto: Carol Braga/Culturadoria

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!