fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Lançamentos musicais de abril: confira o que chegou nos últimos dias

Tem a união entre os baianos Gilberto Gil e BaianaSystem, Anavitória, Bob Dylan e a volta dos Strokes

Por Jaiane Souza *

23/04/2020 às 16:30 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Gilberto Gil e BaianaSystem, Foto: Magali Moraes / Divulgação

Os lançamentos e produções artísticas não param mesmo no período de isolamento social. Afinal, é preciso se manter ativo, já que o setor cultural é um dos mais afetados com a pandemia do novo coronavírus. Pensando nisso, destacamos neste post alguns dos lançamentos musicais do mês de abril para você conferir. Entre as novidades, a união entre os baianos Gilberto Gil e BaianaSystem, Anavitória, Bob Dylan e a volta dos Strokes. Ou seja, opções para todos os gostos. Confira!

Gilberto Gil e BaianaSystem

De uma apresentação no evento Encontros Tropicais, em novembro de 2019, nasceu o disco Gil Baiana ao vivo em Salvador. O álbum foi lançado neste mês e já está disponível para encomendas por meio do NOIZE Record Club no formato de LP. O repertório é composto por clássicos de Gilberto Gil, como Extra e Sarará miolo, e por sucessos do grupo baiano. A seleção de músicas teve como base o ponto de conexão da obra de ambos os artistas. Além disso, o disco conta com versões de Is this love, de Bob Marley, e Água de beber, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes. A previsão da chegada de Gil Baiana ao vivo em Salvador nas plataformas de streaming é em 30 de abril. 

A Outra Banda da Lua

A banda é liderada por Marina Cena, também integrante do grupo Rosa Neon, e acaba de lançar o seu primeiro disco. O grupo atua na tentativa de alcançar uma atmosfera psicodélica e contemporânea, mas possui com influências iniciativas e nomes como Clube da Esquina, a Tropicália e vanguarda paulista, por exemplo.

Assim como outros lançamentos dos últimos tempos, a ideia do grupo de Montes Claros é oferecer um respiro diante da quarentena. Dessa forma, as músicas versam sobre o contemporâneo e o ancestral, o regional e o pop, a potência e a delicadeza. O álbum, que também recebeu o nome de A Outra Banda da Lua está disponível em todas as plataformas de streaming. 

Fiona Apple 

Fiona Apple precisou de oito anos para lançar um novo disco. Fetch The Bolt Cutters foi gravado, em grande parte, no home estúdio da artista e é especulado por alguns críticos de música como o disco do ano em 2020. Por ter uma característica caseira, é possível ouvir em muitas músicas os ruídos ao fundo como latidos, por exemplo. Inclusive, a artista creditou os próprios cachorros na ficha técnica.

Instrumentalmente, a produção conta com piano e percussão nos arranjos e as letras falam sobre intimidade, vida pessoal, canções de amor para alguém que Fiona ainda não conheceu, relações afetivas e outros temas. O disco está disponível nas plataformas de streaming.

Anavitória

Para a alegria dos fãs a dupla Anavitória lançou de surpresa a faixa inédita Me conta da tua janela. E mais: veio acompanhada de clipe! A música foi produzida no período de isolamento social e fala justamente sobre o momento pelo qual estamos passando. São versos como “Tô com saudade de te encontrar” e “eu vi o tempo parar pra gente se lembrar da força que é alguém do lado”, que traduzem o sentimento de muitas pessoas em tempos de pandemia, como angústia e  ansiedade. 

O último trabalho lançado pelas artistas foi N, um álbum com regravações de Nando Reis, incluindo as clássicas Relicário, Pra você guardei o amor, All Star e As coisas tão mais lindas.

Strokes

Foram necessários sete anos para os Stokes retornarem para os holofotes. Com o lançamento do disco The new abnormal, lançado no dia 10 de abril, a banda volta à origem sonora que a tornou popular há vinte anos. Ou seja, tendo como referência, por exemplo, grupos nova iorquinos como Velvet Underground e Television. A sonoridade do novo trabalho transita entre o rock e o pop e, ao mesmo tempo em que tenta se reinventar no lançamento do disco inédito, não abre mão das raízes sonoras do conjunto. 

Um dos destaques do disco, que já está nas plataformas de streaming, vai para a capa, que é a obra Bird on Money, feita em 1981 pelo artista Jean-Michel Basquiat. 

Bob Dylan

Sem aviso prévio e oito anos após nenhum lançamento, Bob Dylan apresentou ao público duas novas canções. Uma foi no fim de março e a outra em abril. A primeira, Murder most foul, de 17 minutos, mesmo tendo sido lançada dentro do período de quarentena e em um Estados Unidos com o maior número de mortes devido ao coronavírus, fala sobre outra coisa. O pano de fundo é o assassinato do presidente John F. Kennedy, em 1963.

Já a segunda canção, intitulada I contain multitudes (eu contenho multidões), é bem menor, mas mantém a linha da primeira. Ambas as composições têm o ar intimista de Dylan, pois a voz é acompanhada basicamente por um único instrumento, e são como declamações de uma poesia. Murder most foul e I contain multitudes já estão disponíveis nas plataformas de streaming. 

lançamentos musicais abril

Bob Dylan – Foto: Dave J Hogan / Getty Images

photo

Acústico MTV: cinco shows que marcaram a história do programa

Instrumentos acústicos e encontros mais intimistas. Eis a combinação de sucesso que marcou a o Acústico MTV. O programa foi inspirado na série MTV Unplugged, uma exibição norte-americana criada em 1989. No Brasil, a iniciativa também começou como um programa de televisão, em 1991, com o grupo Barão Vermelho. Entretanto, acabou se transformando em um […]

LEIA MAIS
photo

Cinema na quarentena: Por que Olaf é o melhor personagem de Frozen 2?

Para quem gostou de Frozen 1, a continuação da história das irmãs Elsa e Anna não deixa de ser um balde de água fria. Agora dá para entender o motivo que fez com que a animação fosse esnobada no Oscar 2020. Que roteiro é esse, minha gente? Não merecia mesmo. E vou falar mais: nem […]

LEIA MAIS
photo

Entenda por que produções espanholas tem feito tanto sucesso no Brasil

Historicamente o público brasileiro sempre teve resistência a conteúdos em língua espanhola. Seja na música, no cinema e principalmente na televisão. Vale lembrar as novelas mexicanas dubladas que davam um tom kitsch. Mas isso até a chegada da globalizada Netflix e La Casa de Papel. A estreia, em 2018, fez com que pouco a pouco […]

LEIA MAIS