fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

La Movida abre convocatória para nova temporada em BH

Projeto lançado em 2017, La Movida terá uma sede permanente para o rodízio de micropeças de teatro e bar

Por Carol Braga

28/01/2019 às 15:48

Publicidade - Portal UAI
Crédito: Arthur Mission

O La Movida vai voltar e isso é uma ótima notícia para quem gosta de teatro e bar em BH. Dessa maneira, estão abertas até o dia 14 de fevereiro as inscrições de artistas interessados em apresentar suas micropeças. A retomada das atividades, desse que é um dos projetos mais interessantes criados na capital nos últimos anos, estão previstas para abril. Em 2019 o tem o patrocínio do UniBH.

Inspirado em uma ideia espanhola, o La Movida promove todas as semanas a apresentação de quatro cenas curtas simultâneas. Elas são apresentadas para plateias de até 15 pessoas. Ao mesmo tempo em que o público pode conferir os espetáculos, há espaço de confraternização com os amigos no bar que funciona no mesmo local.

A partir da experiência da primeira temporada, os idealizadores Clarice Castanheira e Marco Túlio Zerlotini estão animados com o retorno. O plano é que o La Movida seja um projeto permanente na cidade e não mais itinerante como foi no princípio. A dupla ainda procura o espaço que vai abrigar as salas de apresentações e o bar.

Cena efervescente

“O foco é a região leste, onde tem uma efervescência artística e cultural que a gente quer fazer parte”, comenta Clarice. Segundo ela, já visitaram muitos lugares mas as características são específicas. Tem que ter, no mínimo, dois quartos, espaço para o bar e para o atendimento. “Estamos vislumbrando o desdobramento do projeto com locais para exposições. Dessa maneira, queremos ampliar as possibilidades do La Movida”, completa Marco.

A nova dinâmica do bar vai funcionar de acordo com o espaço da casa. Sendo assim, os idealizadores ouviram os antigos frequentadores e pretendem elaborar o cardápio a partir das sugestões que receberam.  “Procuramos entender a dinâmica de quem consome. Não podemos trabalhar focados só no microteatro ou no bar. As duas coisas precisam conversar”, diz Clarice.

Segundo os organizadores, o cardápio terá opções vegetarianas e será elaborado a partir da consultoria de outros estabelecimentos. Eles também pretendem ampliar as opções de cervejas e continuar servindo vinhos.

 

Clarice Castanheira e Marco Túlio Zerlotin  – Foto: Andréia Carvalho / Divulgação

 

 

Experimentação

Assim como o curta-metragem é para o cinema espaço de experimentação e risco, assim também é a cena curta para o teatro. Ao longo da primeira temporada, inúmeros projetos apresentados se tornaram espetáculos de sucesso. Por exemplo, Sapato Bicolor, de Fabiano Persi, Homem-Bomba, de Luiz Arthur começaram suas trajetórias no La Movida. A segunda, inclusive, fará temporada na Campanha de Popularização do teatro a partir do dia 20 de fevereiro, no Centro Cultural Banco do Brasil.

A possibilidade de experimentar lugares diferentes, sensações, estéticas, textos é uma das características que mais chama a atenção de Luiz Arthur. “Depois de muitos anos de carreira é uma boa provocação para não ficar acomodado”, diz. Dessa maneira, os atores que estão na grade do La Movida estão abertos para o risco. “O ator que sempre opta pelas mesmas ferramentas se estrepa”.

Durante a primeira temporada, como as salas de teatro ficavam muito próximas do bar, as apresentações demandavam ainda mais atenção e técnica dos artistas para trabalhar em condições adversas. “Tem que conceber já pensando que vai ter barulho. Não dá para ignorar a essência do que é o projeto”, comenta Luiz Arthur.

Fazer quatro sessões seguidas foi outro exercício interessante, na opinião do criador de Homem-bomba. Como eram muitas apresentações, Luiz Arthur fez a peça, por exemplo, para a plateia lotada (15 espectadores) e para menos de cinco pessoas.

A estreia

De uma maneira geral, a primeira temporada de degustação, em 2017, foi um sucesso. A plateia da cidade ainda não conhecia a dinâmica de poder ver uma cena curta, sentar com os amigos no bar, comer, beber e depois ver mais um pouco de teatro. O La Movida funcionou durante cinco meses em uma casa no bairro Funcionários. Ao longo deste período, realizou 1.104 apresentações.

Em 2018, o projeto assumiu o formato Inbox, com apresentações dentro de containers. Dessa forma, o La Movida ocupou praças na região de Contagem.

Os artistas interessados em participar da edição 2019 devem enviar suas respectivas propostas para os endereços oficiais do La Movida Microteatro nas redes sociais Facebook e Instagram: @lamovidamicroteatro. O edital está disponível na página. Serão selecionadas até 30 propostas de micropeças que comporão a grade de programação do La Movida Microteatro.

Os artistas podem ser de qualquer estado. “Quem tiver vontade de vir, a gente abre o espaço”, diz Marco. A combinação é que a produção fique com 100% da bilheteria, mas divida o trabalho de divulgação com a equipe do La Movida.

 

Continua após a publicidade...

photo

Rodrigo Lombardi e Sérgio Mamberti apresentam ‘Um Panorama Visto Da Ponte’ em BH

O diretor de teatro Zé Henrique de Paula ficou surpreso e feliz ao receber um telefonema do ator Rodrigo Lombardi no ano passado. Era o convite para dirigir ‘Um Panorama Visto Da Ponte’, espetáculo que chega a BH nos dias 9 e 10 de Março, no Cine Theatro Brasil Vallourec. A montagem de 2018 foi […]

LEIA MAIS
photo

Culturadoria para o seu fim de semana: #30mar_02abr

O fim de semana está com atrações interessantes principalmente na música. A programação tem desde veteranos como Lô Borges comemorando os 45 anos do “Disco do Tênis” como representantes da novíssima geração revelada pela internet, elenco do Festival Sai da Rede. No teatro, Letícia Sabatella traz a Belo Horizonte montagem que está mais para show […]

LEIA MAIS
photo

Culturadoria do fim de semana: #14a16abr

Fato é que o fim de semana prolongado diminuiu a oferta cultural. A área de gastronomia é que está mais farta. Começam Comida di Buteco, Botecar e Restaurante Week.  Confira as apostas do Culturadoria. VELOZES E FURIOSOS 8 O filme que é considerado “sinônimo de carros envenenados e adrenalina nas alturas” chega ao oitavo “capítulo”. […]

LEIA MAIS