Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Conheça o projeto Graphic MSP, da Mauricio de Sousa Produções que revelou grandes artistas

Criado em 2009, projeto já contou com mais de 150 quadrinistas e mudou a vida de muito deles

Gostou? Compartilhe!

Já pensou em dar vida a uma história com os personagens da Mauricio de Sousa Produções? Pois é, esse feito já foi realizado por mais de 150 artistas de todo o país graças ao projeto Graphic MSP. Criado em 2009, em homenagem aos 50 anos do criador da Turma da Mônica, o selo já revelou grandes nomes como os irmãos Vitor e Lu Cafaggi, Rafael Calça, Jefferson Costa e Fefê Torquato. Tem sido um fenômeno.

Os irmãos Cafaggi, por exemplo, ganharam tanto destaque com a história que criaram para a Turma da Mônica que até filme rendeu: o Laços. E o Graphic MSP só tem crescido. Neste mês de julho de 2020 será lançada a nova graphic: Penadinho – Lar, dos autores Paulo Crumbim e Cristina Eiko.

E as novidades não param por aí. Outros lançamentos foram anunciados para o segundo semestre de 2020. Como a 5º graphic do Astronauta, assinada pelo Danilo Beyruth. O personagem também ganhará uma série animada em parceria com a HBO, chamada de Astronauta: Propulsão, ainda sem data de estreia prevista. Jeremias – Pele também ganhará uma série live action. Por fim, em dezembro, chegará às telinhas o live action Turma da Mônica – Lições, também dos irmãos Cafaggi.

Vitor e Lu Cafaggi, criadores da trilogia Turma da Mônica - Laços, Lições e Lembranças - Foto: Celso Tavares / Divulgação

O início

Tudo começou com a representação dos personagens de Mauricio por 50 quadrinistas brasileiros. O resultado fez com que, nos anos seguintes, fossem publicados mais dois livros: MSP +50 (2010) e MSP Novos 50 (2011). “Quando eu propus essa linha de produtos, que começa com a MSP 50, ela me permitiu ajudar o mercado nacional e projetar esses autores”, conta Sidney Gusman, criador do projeto.

Mauricio de Sousa deu o aval para a ação. O pontapé inicial foi dado pelo título: Astronauta – Magnetar, lançado em 2012, do roteirista Danilo Beyruth e da colorista Cris Peter. E o projeto rendeu frutos. “Fico honrado por fazer parte da memória afetiva de todos esses autores e por conseguirmos criar um mercado maior para o quadrinho do leitor jovem adulto”, destaca Mauricio de Sousa.

A ideia do editor Sidney, era que o selo atingisse todos os públicos, uma mistura de ficção científica, nostalgia e uma capa que lembrava quadrinhos de super-heróis. Hoje, em resumo, o selo Graphic MSP já conta com 26 títulos publicados, edições em mais de 8 países, estampas em camisetas, séries animadas, live actions e números expressivos em vendas. “O sucesso não é só de vendas, mas de ampliação dos horizontes com algumas delas já virando filmes e animações”, enfatiza Mauricio de Sousa.

 

Mauricio de Sousa – Foto: Arquivo Pessoal / divulgação

Projeção aos artistas

Com o sucesso de Astronauta – Magnetar, a primeira graphic, o próximo passo seria criar uma com os personagens mais icônicos de Mauricio de Sousa, a Turma da Mônica. Dessa forma, em 2013, os irmãos Vitor e Lu Cafaggi, de Belo Horizonte, desenvolveram a HQ Turma da Mônica – Laços, que dava início a uma trilogia seguida de Turma da Mônica – Lições (2015) e Turma da Mônica – Lembranças (2017).

“Receber o convite foi bem legal. A gente não tinha noção do que o projeto seria. Estava no início de tudo. Não imaginávamos o sucesso que iria ser. Laços foi uma vitrine ainda maior para que as pessoas pudessem conhecer meu trabalho”, conta Vitor. “Trabalhar com a Turma da Mônica apresentou meu trabalho para mais pessoas e isso me foi abrindo várias novas oportunidades para continuar trabalhando”, completa Lu.

Novos nomes

Com o sucesso do selo e a consolidação no mercado brasileiro, Sidney achou que era hora de ir além e usar as histórias para abordar temas mais delicados. Jeremias, o primeiro personagem negro do Mauricio, nunca havia protagonizado uma capa das histórias. Nas mãos de Rafael Calça e Jefferson Costa, tornou personagem principal. Sendo assim, em abril de 2018, a Graphic MSP lançou Jeremias – Pele. O quadrinho colecionou prêmios em 2019 e conquistou o Jabuti, inédito para a Mauricio de Sousa Produções.

“O convite foi inesperado. Eu já achava o selo muito interessante, a proposta de reinterpretar os personagens do Mauricio, mas ainda respeitando suas essências, era ótima. Nossa história fez com que muita gente conhecesse nosso trabalho”, revela Rafael Calça.

“O maior presente foi o tema, de podermos falar abertamente sobre racismo com uma personagem que nos permitiu isso. Além disso, o trabalho despertou um interesse por parte do público a conhecer meus outros livros. Trouxe reconhecimento para o meu trabalho”, reconhece Jefferson.

Rafael Calça e Jefferson Costa, criadores de Jeremias – Foto: Sidney Gusman / Divulgação

Força feminina

Em setembro de 2019, foi a vez de da curitibana Fefê Torquato ganhar projeção por meio do projeto. Ela foi responsável pela graphic Tina – Respeito. Dessa maneira, a autora transformou a personagem em uma jornalista, que abandonou os trabalhos como freelancer, para viver o sonho de trabalhar em uma redação.

“Foi uma surpresa muito boa. Falar sobre um assunto tão importante também foi uma grande responsabilidade e pressão. Esse quadrinho fez com que um público muito mais amplo entrasse em contato com o meu trabalho. Ainda me fez enxergar a capacidade do quadrinho em comunicar uma ideia, um questionamento. Em resumo, foi um marco muito importante para mim”, contou Fefê.

O criador da Turma da Mônica revela que nunca imaginou as proporções que os quadrinhos lançados em 1959 iriam tomar, dirá virar um selo que projeta centenas de quadrinistas. A Mauricio de Sousa Produções já publicou mais de um bilhão de revistas e, representa cerca de 86% das vendas de quadrinhos no Brasil, além de serem vendidos em mais de 30 países.

Gostou? Compartilhe!

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]