05 jan 2018

Para além dos protestos: as especulações sobre os filmes favoritos ao Globo de Ouro

É bem provável que os comentaristas de moda que costumam fazer a festa no tapete vermelho do Globo de Ouro exercitem variações sobre o mesmo tema em 2018. “Meryl Streep usa um pretinho básico”. “Saoirse Ronan ousa no preto”. E assim por diante com Jessica Chastain, Emma Stone, Frances McDormand, Michelle Williams, Nicole Kidman, Margot Robbie e Octavia Spencer.

As atrizes já sinalizaram que apoiam o protesto contra os casos de assédio que sacudiram Hollywood. O Globo de Ouro será palanque para tal. Por isso, depois da cerimônia é bem provável que comentemos mais sobre os posicionamentos políticos do que sobre os resultados propriamente ditos.

Vale lembrar que ano passado Mrs. Streep arrasou com muita força em discurso anti-Trump. Registro que a homenageada com o Cécil B. De Mille este ano é Oprah Winfrey. Não tem cara de que vai ficar calada.

Mas e os filmes? Temos favoritos?

Ok, o Globo de Ouro pode até não ter a mesma força que teve no passado no sentido de prever os “Oscarizáveis”. Mesmo assim, para quem curte a temporada de prêmios do cinema, não deixa de ser um abre-alas bem interessante. Esquenta o burburinho, abre as apostas. Estas, inclusive, andam bem abafadas pelo prometido protesto.

Além disso, está mesmo difícil apostar. Confira abaixo os pitacos da Indiewire, Rolling Stone, Entertainment Weekly e Vulture para as principais categorias e a minha opinião sobre isso.

 

Confira no link as previsões sobre as séries. 

 

A forma da água é o favorito a melhor filme de drama. Crédito: Reprodução da Internet

Melhor Filme de Drama

Indicados:

  • Me chame pelo seu nome
  • The Post
  • Dunkirk
  • A forma da água
  • Três anúncios para um crime

Aposta: O novo longa de Guillermo del Toro, A forma da água, é a aposta da IndieWired, Entertainment Weekly e Rolling Stone. Concordo com eles. É produção que mais recebeu indicações e as fantasias do diretor mexicano radicado na Espanha faz o tipo dos votantes da Imprensa estrangeira em Hollywood.

Azarão (ões): The Post é o preferido da IndieWire e Me chame pelo seu nome do The Independent e Rolling Stone. Quem saiu totalmente do padrão de apostas foi a Vulture. Para a revista, Três anúncios para um crime leva o prêmio. Será?

 

Melhor Filme – Comédia e musical

  • Artista do Desastre
  • Corra!
  • I, Tonya
  • Lady Bird: É Hora de Voar
  • O Rei do Show

Aposta: Lady Bird: é hora de voar é um caso raro de aprovação na plataforma do Rotten Tomatoes. Como a nota no site é baseada em crítica e são os jornalistas que votam no Globo de Ouro, parece mesmo um caminho meio óbvio que o filme da diretora Greta Gerwig. O site Entertainment Weekly acredita na força de Corra!. Sei não, viu … sou mais Lady Bird.

Azarão (ões): Corra! é um atípico filme de terror e tem tudo a ver com esse movimento de protestos sociais que estamos vivendo. A IndieWire e a Rolling Stone apostam nesta produção independente como possível azarão.

 

Melhor atriz – Drama

  • Frances McDormand – Três Anúncios Para um Crime
  • Jessica Chastain – A Grande Jogada
  • Meryl Streep – The Post: A Guerra Secreta
  • Michelle Williams – All the Money in the World
  • Sally Hawkins – A Forma da Água

Aposta: Categoria bem diversificada nos palpites internacionais. O embate é forte entre Frances McDomard e Sally Hawkins. Para a Indiwire, Vulture e Rolling Stone, McDormand leva a melhor. EW ousa pouco e vota em Meryl Streep.

Azarão (ões): Só se der Jessica Chastain e Michelle Williams. O Ibope delas está baixo nos sites consultados.

 

Continua após a publicidade

 

 

Melhor atriz – Musical ou comédia

  • Emma Stone – A Guerra dos Sexos
  • Helen Mirren – The Leisure Seeker
  • Judi Dench – Victoria e Abdul – O Confidente da Rainha
  • Margot Robbie – I, Tonya
  • Saoirse Ronan – Lady Bird: É Hora de Voar

Aposta: Vulture, The Independent, EW e RS vão de Saoirse Ronan. Acha que eu discordo? Claro que não.

Azarão: Judi Dench corre por fora. Mas ela é o tipo de atriz que deveria ser hor concours.

 

Melhor ator – Drama

  • Daniel Day-Lewis – Trama Fantasma
  • Denzel Washington – Roman J. Israel, Esq.
  • Gary Oldman – O Destino de uma Nação
  • Timothée Chalamet – Me Chame pelo Seu Nome
  • Tom Hanks – The Post: A Guerra Secreta

Aposta: Os palpites estão bem divididos entre o Winston Churchil de Gary Oldman (Independent, IndieWire, EW) ou o personagem de Timothée Chalamet (Vulture), de Me chame pelo seu nome. O veterano leva vantagem. Também acredito que leve.

 

Melhor ator – Musical ou comédia

  • Ansel Elgort – Em Ritmo de Fuga
  • Daniel Kaluuya – Corra!
  • Hugh Jackman – O Rei do Show
  • James Franco – Artista do Desastre
  • Steve Carell – A Guerra dos Sexos

Aposta: James Franco está disparado nessa categoria. Está irreconhecível na pele do protagonista. E ainda tem um detalhe curioso: ele dirige e produz esse filme.

Azarão: Se o vento virar, pode ser que Daniel Kaluuya se dê melhor. Pouco provável.

(From L-R) Michael Stuhlbarg, Michael, Shannon, Director/Writer/Producer Guillermo del Toro and David Hewlett on the set of THE SHAPE OF WATER. Photo by Kerry Hayes. © 2017 Twentieth Century Fox Film Corporation All Rights Reserved

Melhor diretor

  • Christopher Nolan – “Dunkirk”
  • Guillermo del Toro – “A Forma da Água”
  • Martin McDonagh – “Três Anúncios Para um Crime”
  • Ridley Scott – “All the Money in the World”
  • Steven Spielberg – “The Post: A Guerra Secreta”

Apostas: A disputa está complicada nesta categoria. Guillermo del Toro é o favorito para IndieWire e EW. Mas para Independent e Vulture o prêmio fica com Chirstopher Nolan. A Rolling Stone é mais tradicional e acredita que Steven Spielberg será o vencedor. Ou seja, sem espaço para azarões.

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

‘Eu, Tonya’:  drama familiar mais pesado que uma biografia esportiva

Eu, Tonya começa como se fosse um documentário. Apesar de se basear em fatos reais, é um longa de ficção que comete pequenas ousadias na forma como conta a história da patinadora Tonya Harding. Além dos falsos depoimentos, em alguns momentos da narrativa, no meio da cena, os personagens se distanciam da ficção e fazem […]

Leia Mais

‘The Post: a guerra secreta’: as impressões decantadas sobre o belo encontro entre Meryl, Hanks e Spielberg

Eu sou suspeita para escrever qualquer coisa sobre filmes que tem o jornalismo como protagonista. A paixão pela profissão me faz sair emocionada na maioria das experiências que tive com o gênero. Com The Post: A Guerra Secreta não foi diferente. Sabe aquela coisa de achar maravilhosa toda cena que tem rotativa, o ritual do […]

Leia Mais

‘Três anúncios para um crime’: o violento preço da passionalidade

Três anúncios para um crime faz pensar sobre impunidade. Sobre a raiva também. É um filme forte. O mais tenso entre os nove indicados ao Oscar em 2018. Mais até do que os de guerra. Em reconstituições de época – como Dunkirk e O destino de uma nação, por exemplo – somos “protegidos” pelo distanciamento […]

Leia Mais

Comentários