fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Festival Sarará: apostas e expectativas para a edição 2019

Sarará tem atração para todos os gostos, de Gilberto Gil a Lagum

Por Jaiane Souza *

28/08/2019 às 15:11 | * Escreveu com a supervisão de Carolina Braga

Publicidade - Portal UAI
Foto: Gérard Giaume / Divulgação

Está na hora do Sarará. O festival que já chega à quinta edição vai ganhando corpo e se tornando um dos principais do país. Em todas as edições a equipe de organização busca inovar e trazer para BH o que está bombando na cena nacional. Para contemplar todos os estilos e gostos, o line-up de 2019 vai desde Gilberto Gil, ícone da música popular brasileira, até nomes como Silva, Djonga e Mano Brown, Duda Beat com participação de Pabllo Vittar. 

Além das atrações musicais, outros quatro coletivos de Belo Horizonte estarão no evento. São eles as festas Alta Fidelidade e Noite Maravilhosa,  ambos fazem festa na área open bar. Tem ainda outro rolê famoso na night 1010 e o Lá da Favelinha, que se apresentam em dois espaços abertos. 

O tema de 2019 do Festival Sarará é a empatia e o olhar atento ao próximo. A equipe é composta por transexuais, deficiente e por pessoas com mais de 60 anos. O objetivo é oferecer espaço e oportunidade para quem não têm espaço no mercado de trabalho. 

Em relação ao ano passado, quando o evento teve sérios problemas com os atrasos, há mudanças na disposição. São dois grandes palcos montados lado a lado. Ou seja, acaba a apresentação em um, começa no outro, quase que imediatamente. Tomara que assim funcione. Em 2018, de fato, a distância entre um palco e outro tornou a experiência fisicamente mais cansativa. Aliás, quem esteve lá não teve ter engolido até hoje o fato de Criolo ter sido “obrigado” a encerrar o show logo após subir ao palco. Enfim, águas passadas. 

Prepare-se para uma maratona com duração de cerca de 12 horas.  A seguir você encontra um guia básico de sobrevivência no festival e também as nossas apostas (e expectativas) para os shows dos palcos principais. 

Nossas apostas e expectativas para os shows do Sarará

A lista abaixo está organizada em ordem de desejo, sem seguir a cronologia. Mas, colocamos o horário dos shows do ladinho para você se orientar! 

Foto: Gérard Giaume / Divulgação

Gilberto Gil – 21h30

Que Gilberto Gil dispensa apresentações todo mundo já sabe. Ele é um dos maiores nomes da música popular brasileira e prova a sua versatilidade ao se apresentar em festival como o Sarará. Aos 76 anos de idade, Gil dialoga com a nova geração da música brasileira e a obra fica cada vez mais atual. No fim de 2018 ele lançou o álbum de canções inéditas Ok Ok Ok e está em turnê pelo país com o trabalho. Entretanto, no Sarará, Gilberto Gil vai fazer um passeio pelos seus mais de 50 anos de carreira. Serão hits de diferentes épocas para todo mundo cantar junto.

Duda Beat – 19h

Também chamada de “rainha da sofrência pop”, Eduarda Bittencourt Simões, ou Duda Beat, é um nome recente do movimento manguebeat. A cantora é de Recife, Pernambuco, que é justamente a terra do manguebeat e de outras tradições musicais. O nome artístico é justamente devido ao estilo musical. Duda associou o seu sobrenome ao movimento manguebeat e pronto, estava decidido. Em entrevista ao programa Papo de Música, Duda Beat contou para a jornalista Fabiane Pereira que fez o seu primeiro disco, “Sinto muito”, já pensando que ele seria sucesso. 

PS: E o show dela no Sarará terá a participação de ninguém menos que Pabllo Vittar. Não vai querer perder essa dupla no palco, não é?

Foto: Fernando Tomaz / Divulgação
Foto: Cartaxo / Divulgação

BaianaSystem – 20h

Eles também vieram do Nordeste, de Salvador, na Bahia, e estão bombando como a Duda Beat. No caso do grupo BaianaSystem a música é voltada para o rock e o reggae. A popularidade começou de vez quando a música “Playsson ” entrou para a trilha sonora do jogo Fifa 2016. O grupo, na verdade, trata-se de um projeto, formado em 2009, para encontrar e experimentar possibilidades sonoras para a guitarra baiana. O instrumento foi criado nos anos 1940 e foi responsável pela origem do trio elétrico. Concluímos que a sonoridade é um tanto particular e diferente, né? 

Mano Brown – 15h

Encontro de gerações ícones do rap nacional. O mineiro Djonga sobe ao palco ao lado do paulistano Mano Brown, um dos pioneiros  do estilo rap no Brasil. Se Mano e sua turma tem uma importância extrema no reconhecimento do rap como potência, Djonga é um dos mais importantes nomes da nova geração da música. 

Na apresentação, além das músicas do mineiro, os artistas cantam sucessos do Racionais MCs. O repertório completo não foi divulgado, mas a apresentação promete!

Foto: José de Holanda / Divulgação
Leitores do Culturadoria tem 10% de desconto nos ingressos para o show de Arnaldo Antunes
Foto: Bruno Machado e Juliana Rocha

Letrux – 12h30

Letrux em Noite de Climão foi o primeiro álbum solo lançado por Letícia Pinheiro de Novaes. Foi eleito o 10º melhor disco brasileiro pela revista Rolling Stone Brasil, em 2017. É inegável que o trabalho dela é relevante no nosso cenário musical, já que também é atriz, cantora e escritora. Em suas apresentações mescla leitura de poesias e canta em português, inglês, francês, espanhol e italiano. Por outro lado Letrux, como é conhecida artisticamente, declama e lê poesias de autores e autoras que admira. São eles Sylvia Plath, Hilda Hilst, Drummond, Bruna Beber, Alberto Pucheu e muitos outros.  

Ah! Não podemos deixar de contar quem Letrux vai convidar para subir ao palco na Esplanada do Mineirão: Marina Lima. Este também é um encontro de gerações imperdível. Cantora e compositora, Marina Lima iniciou a carreira quando teve uma música gravada por Gal Costa (Meu doce amor). Depois disso, decidiu musicar alguns poemas do irmão mais velho e obteve reconhecimento.

Silva – 13h45

Os fãs de Silva afirmam que você deve ir ao show porque ele é “perfeito, lindo e maravilhoso”. Os relatos são de que as músicas de Lúcio Silva de Souza nos fazem pensar na vida e viajar, flutuar e sentir a energia com a qual ele faz o seu trabalho. A presença no show de Silva é obrigatória pois, além de cantar as próprias composições, ele também canta Marisa Monte. 

Essa é a opinião dos fãs, nós não vamos concordar nem discordar até assistir ao show no Festival Sarará. E você?

Foto: Breno Galtier / Divulgação
Foto: Julia Amaral / Divulgação

Lagum – 17h

Os cinco jovens da Lagum já são sucesso absoluto em todo o Brasil. Eles estiveram no Sarará de 2018 e retornam agora. Só para exemplificar, é a banda mineira com maior número de ouvintes mensais nos players de música. A rapaziada da Lagum tem o som pop e alternativo e convida a cantora, compositora, apresentadora e publicitária Iza. Esse vai ser um encontro de peso já que, assim como a Lagum, Iza é sucesso nacional. O primeiro álbum dela, Dona de mim, de 2018, recebeu indicação para o Grammy Latino de Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

Baco Exu do Blues – 18h

Mais um baiano desembarca em BH para participar do Sarará. Baco Exu do Blues é um dos maiores rappers contemporâneos da música (em empate com o Djonga) e o sucesso começou a ganhar ascensão quando lançou a faixa “Suicídio”. A canção foi escrita por Diomedes Chinaski e nela os músicos fazem uma crítica ao rap nacional, que é concentrado em São Paulo e no Rio de Janeiro. 

O artista esteve envolvido em polêmicas. Em duas músicas que cita Jay-Z e Beyoncé ofensivamente. Ele se defendeu dizendo que em momento nenhum faltou com respeito, mas, mesmo assim, as críticas continuaram. De toda forma, Baco se destaca pela sonoridade, vale conferir o show de Baco no Sarará pela sua musicalidade.

Está bom ou quer mais? Quem quiser mais e tiver comprado ingresso para a área open bar do Festival Sarará, vai poder acompanhar apresentação do MC Kevin O Chris. O artista é cantor, produtor, DJ, compositor e aos 22 anos é um dos nomes mais importantes do funk 150 bpm. Depois de 12 horas de Sarará acompanhar o MC vai encerrar com chave de ouro a sua maratona de shows. Vai perder?

photo

Arnaldo Antunes vem aí! Leitor do Culturadoria tem desconto para o show

Setembro tem Arnaldo Antunes em BH. E o melhor: os leitores e seguidores do Culturadoria tem 10% de desconto para conferir o show. Ele chega acompanhado do RSTUVXZ Trio para uma apresentação que mistura samba e rock. Bom, o que não falta à carreira de Arnaldo Antunes é referência em diversos gêneros, musicais e literários. […]

LEIA MAIS
photo

Por que o filme “No Coração do Mundo” prova o amadurecimento do cinema mineiro?

Outro dia ouvi no podcast Mamilos de férias uma curiosa categorização para os filmes. Há os “batata frita”, fast-food e aqueles que realmente alimentam o espectador de alguma forma. Para você saber se acaba de ver um ou outro, o exercício é simples. Se nunca mais pensar no que assistiu, foi batata frita. No Coração […]

LEIA MAIS
photo

Leitão é protagonista em novo gastrobar em BH

De muitas maneiras diferentes, cozinha é afeto. Você já experimentou comer uma receita que alguém fazia muito bem e a lembrança volta na hora, com o melhor que ela possa ter? Pois foi exatamente essa a sensação que veio só de ver a secura da pele do leitão à Bairrada que o chef Cristóvão Laruça […]

LEIA MAIS