fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Festival de Rock Brasileiro Itinerante ‘Garage Sounds’ chega a BH

Capital mineira recebe festival que começou em Fortaleza. Edição de Minas tem patrocínio do UniBH

Por Jaiane Souza *

09/07/2019 às 11:31 | * Escreveu com a supervisão de Carolina Braga

Publicidade - Portal UAI
Foto: Eduardo Abreu

Desde de 2017 é realizado o Garage Sounds, um festival de rock brasileiro que busca valorizar a música nacional. Melhor dizendo, o rock e as suas vertentes. A ideia surgiu lá no nordeste, em Fortaleza, quando Rafael Moura se juntou com quatro parceiros para fazer um festival. Devido ao sucesso da primeira edição, pessoas de outras cidades começaram a se interessar. Surgiu, então, o Festival de Rock Brasileiro Itinerante Garage Sounds.

Com patrocínio do UniBH, o evento chega à capital mineira recheado de atrações. São elas Gloria (SP), Zander (RJ), Krisiun (RS), Esteban (RS), Hateen (SP), Surra (SP), Molho Negro (PA), Ravel (SP), Carahter, Postura, Elizia, Evil Matchers, Valv, Distúbio Sub-Humano, Last Warning, Kill Movies, Raising Conviction, Riviera, Sacrificed e representando Minas Gerais a banda Montese.

História

O festival começou a ser itinerante em 2018. “As bandas começaram a enxergar mais esse circuito, e o crescimento se deve a isso. Tivemos que ampliar para conseguir atender mais pessoas”, explica o músico Rafael Moura, idealizador do projeto. 

A partir disso, a valorização aumentou, assim como o diálogo entre gerações e com o público. “Nós conseguimos colocar bandas com 20 anos de carreira com bandas de três, quatro anos e isso é muito enriquecedor para ambas as partes. A troca é fundamental nesse processo de valorização da música nacional”, conta.

Recepção

Dessa maneira, a relação entre o público eo  Garage Sounds, conforme ele foi crescendo, também ficou cada vez mais próxima. De acordo com Rafael, cada vez mais as pessoas estão se interessando quando o assunto é rock e as suas vertentes. A apresentação e a interação entre bandas mais velhas de trash metal e mais jovens, de indie, por exemplo, mostra isso. “Todo mundo fica curioso para o ver no que vai dar”, explica. No final, a valorização da música, a cena local e nacional e a música independente sempre saem ganhando. 

 

Foto: Eduardo Abreu

Garage Sounds em Belo Horizonte

Pela primeira vez desde a criação do festival Belo Horizonte recebe a edição do evento. Assim, será realizado no estacionamento do UniBH, campus Buritis. Além de receber o Garage Sounds, o Uni também é patrocinador oficial do evento. A edição de 2019 já conta com 11 cidades. Dessa maneira, em 2019, o festival também passa por Curitiba, Santos, Rio de Janeiro, Aracaju, Maceió, Recife, Natal, Fortaleza, Manaus e Belém. E não pense que acabou. O Garage Sounds também vai para fora do Brasil. Amsterdã já recebeu e outros países da América do Sul também estão na lista de destinos. 

Serviço

[O QUE] Festival de Rock Brasileiro Itinerante Garage Sounds [QUANDO] 14 de julho, 14h [ONDE] Estacionamento da UniBH do campus Buritis – Av. Professor Mário Werneck, 1685, Buritis – BH – (31) 3319-9500 [QUANTO] R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia)

[COMPRE AQUI]

 

photo

Estão à venda os ingressos para Gira, novo espetáculo do Grupo Corpo em BH

Já estão à venda os ingressos para a estreia de Gira, o novo espetáculo do Grupo Corpo em Belo Horizonte. A 39ª montagem da companhia mineira faz uma homenagem a Exu, entidade da Umbanda. Gira tem trilha de Metá Meta e será apresentado junto com Bach, outro marco no repertório do grupo com música criada […]

LEIA MAIS
photo

As impressões sobre ‘Macunaíma: uma rapsódia musical’

Me perguntaram pelo Instagram o que eu achei da peça Macunaíma: uma rapsódia musical, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil. Embora pareça simples, é uma questão complexa de sintetizar. Mesmo assim, tentei ser direta: “Ei! Achei a peça bem difícil! Tem uma ostentação cênica que acabou me afastando da narrativa. Óbvio que tudo […]

LEIA MAIS
photo

As curiosidades do figurino de “O frenético Dancin’ Days”

Seria uma tarde comum se, no meio dela, o telefone do estúdio de Fernando Cozendey não tivesse tocado com um convite inusitado. “Recebi uma ligação da própria Deborah Colker dizendo que estava fazendo o projeto do Dancin’ Days e convidando para uma reunião”, conta o estilista e figurinista carioca. Primeiro, ele assustou, mas de pronto […]

LEIA MAIS