fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Feminismo domina cena no primeiro dia de debates em Tiradentes

Por Carol Braga

21/01/2017 às 16:52

Publicidade - Portal UAI
Cena da cerimônia de abertura na Mostra de Cinema de Tiradentes. Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção
Cena da cerimônia de abertura na Mostra de Cinema de Tiradentes. Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção

Cena da cerimônia de abertura na Mostra de Cinema de Tiradentes. Foto: Jackson Romanelli/Universo Produção

Era inevitável que o tema da Mostra de Cinema de Tiradentes transbordasse para muito além do que estava proposto. Oficialmente o conceito da programação gira em torno do Cinema em reação, cinema em reinvenção. Oficialmente.

Na prática o papel da mulher no cinema dominou até agora todas as atividades que tiveram a participação das homenageadas, as atrizes e diretoras Helena Ignez e Leandra Leal. O ponto alto dessa virada temática foi durante o debate realizado na tarde deste sábado.

Helena Ignez e Leandra Leal estavam lá, prontas para falar sobre suas carreiras, como atrizes autorais que são e como diretoras. Na mesa, foram acompanhadas por quatro homens, sendo dois críticos de cinema. Da plateia, surgiu a pergunta/provocação bastante pertinente feita pela jornalista Samantha Brasil. Cade as mulheres críticas na mesa? Mais uma vez é o olhar dos homens direcionado às mulheres?

As homenageadas concordaram e curtiram a sacudida. O debate ficou muito melhor. Saímos de uma análise que até então estava voltada para as composições de uma e outra em seus respectivos trabalhos e chegamos a uma abordagem que afeta muito mais gente.

“Além de ter uma representatividade maior no cinema a gente tem que contar mais as nossas histórias”, ressaltou Leandra Leal. “Feminismo reúne todos os desejos de pacificação, de diminuir as desigualdades, o humanismo”, disse Helena Ignez.

Sempre pacificadora e com ponderações de muita sabedoria, Ignez ressaltou o quanto esse cenário já se transformou. “O cinema de invenção feito nos anos 70 e 80 não tinha mulher nenhuma. Não se acreditava que a mulher pensasse. O cinema novo foi de uma masculinidade muito opressora”, criticou.

Leandra Leal se pôs a pensar nos filmes que fez ao longo da vida. Não foram poucos. Mesmo assim, nos cerca de 30 longas, não encontrou nenhum papel em que fosse uma mulher que tivesse trajetória parecida com a jornada de um herói. E tem mais: nenhum deles foi dirigido por alguém do sexo feminino.

Helena Ignez exibe na tarde deste sábado o longa Ralé, dirigido por ela. A Mostra de Cinema de Tiradentes começou com a projeção do documentário Divinas Divas, dirigido por Leandra Leal.

Um texto assinado por Grace Passô foi lido como parte das homenagens. Confira:

Texto de Grace Passô lido na abertura da Mostra de Cinema de Tiradentes

“Eu sou mulher. Eu sou menina. Eu sou muitas. Sou todas numa só.
Eu também sou dessas, sou daquelas. Sou o que eu quiser!
Dessas que produzem seus próprios discursos, tijolo por tijolo.
Que mudam o eixo da tela, no coração do cinema marginal, no borogodó do teatro rival.
Daquelas que nos mostram outras margens do país.
Dessas que se fazem divas, divinas, que tem orgulho de ser marginal, que tem orgulho da ralé.
A mulher que nina a vanguarda no colo e a que canta pra vanguarda acordar.
Daquelas que escolhem suas próprias belezas, que abrem teatros e caminhos.
Dessas que seguram suas próprias câmeras, seus próprios estandartes.
Das que atravessam moinhos, fazendo arte em plena ditadura.
Dessas que estão nas telas.
Nosso tempo exige que procuremos por nossos faróis.
Que procuremos por aquelas que apontam a luz pra alguma direção.
Aquelas que FAZEM das telas um chão
Um chão pra um novo Brasil que oxalá virá, algum dia, pleno de sol, forte como uma mulher.
Sou diversa, assim como você.
Reconverso, o espelho te vê.
Sou vento forte, derrubo barreiras, vou longe,
Não tenho medo, com você, sou grande
Mulheres com mulheres com mulheres, com mulheres”

Confira a programação completa www.mostratiradentes.com.br

Posted by Culturadoria on Saturday, January 21, 2017

photo

Cinema drive-in: entenda como funciona a nova moda do entretenimento

O Cinema drive-in, que se popularizou entre as décadas de 1950 e 1970, está de volta. O formato de exibição de filmes, onde se assiste às produções dentro do carro, surgiu em junho de 1933, nos EUA. Por diminuir o contato entre as pessoas, é aposta do entretenimento fora de casa em 2020. Unidades já […]

LEIA MAIS
photo

Oito maiores expectativas dos fãs para o fim de ‘Game of Thrones’

O final da épica série da HBO está próximo. Considerada por muitos a série de fantasia mais amada, ‘Game of Thrones’ chega a sua última temporada neste ano. E certamente os fãs tem muitas expectativas para esse aguardado desfecho. Pensando nisso, separamos oito das maiores expectativas dos fãs da série para esse adeus na TV. […]

LEIA MAIS
photo

Filmes no streaming para maratonar no Carnaval

Como a gente sabe que muitas vezes você gasta mais tempo procurando o filme para ver do que propriamente assistindo o escolhido, preparamos listas especiais. Neste caso, recomendamos longas ganhadores do Oscar, outros indicados. Tem também opção para quem quer prestigiar o cinema brasileiro, fãs de comédias românticas e documentários musicais. Esta lista foi especialmente […]

LEIA MAIS
photo

Especial Carnaval 2020: roteiros temáticos para cair na folia em BH

O período oficial do Carnaval 2020 de Belo Horizonte é entre 8 de fevereiro e 1 de março. A pluralidade, mais uma vez, é a linha condutora da folia na cidade. Isso porque, ao todo, 453 blocos vão desfilar oficialmente pelas ruas, de acordo com a prefeitura. No ano passado, a capital mineira recebeu 4,3 […]

LEIA MAIS
photo

Dilili em Paris: uma grata e engajada surpresa no universo da animação

Na falta de um vocabulário mais técnico na área da animação, vou dizer que Dilili em Paris, dirigido por Michel Ocelot, em um primeiro momento, causa certo estranhamento. É um desenho diferente. Os personagens se movimentam de um jeito esquisito. A narrativa é mais lenta. As primeiras cenas de Dilili em Paris também geram uma […]

LEIA MAIS
photo

Cinco pontos sobre a exposição Retratistas do Morro na CâmeraSete

João Mendes começou a fotografar aos 15 anos. Já Afonso Pimenta, aos 13. Ambos na década de 1970. Dessa forma, por anos dedicam a vida e a profissão a registrar o cotidiano dos moradores da Comunidade do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte. Hoje, quase cinquenta anos depois do início do trabalho, as fotografias ganham […]

LEIA MAIS