Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

BH 122 anos: exposição em BH revela influência da imigração italiana na arquitetura da cidade

Visita na exposição Percorsi Italiani: 120 anos de história na Casa Fiat de Cultura revela obras de Raffaello Berti

Ao todo foram 527 projetos. De todo tipo. Teve hospital, prefeitura, clube, igreja, hotel. Sendo assim, podemos dizer que o traço do arquiteto italiano Raffaello Berti foi responsável por, de certa forma, definir o estilo da arquitetura de Belo Horizonte no início do século XX.

Essa foi uma das curiosas revelações encontradas na exposição Percorsi Italiani: 120 anos de história na Casa Fiat de Cultura. Quem diria que ao contar sobre a vinda dos trabalhadores italianos para o Brasil descobriríamos muito sobre Belo Horizonte que, na próxima quinta completa 122 anos?

É que a mostra conta as histórias dos italianos que chegaram a Minas até mesmo antes da fundação da cidade. Muitos imigrantes vieram para trabalhar como operários no antigo Arraial do Curral del Rey. Recebiam incentivos para se mudar para cá. Assim, foram influenciando nossa cultura, nossa comida, nossos costumes, o esporte e por aí vai.

exposição
Foto: Leo Lara / Divulgação
exposição
Piccola Galleria: Imigração italiana em Belo Horizonte – Foto: Leo Lara / Divulgação

Berti e a relação com BH

Raffaello Berti mudou-se para o Brasil também a convite do governo. Instalou-se inicialmente no Rio de Janeiro, em 1922 e, sete anos depois, em Belo Horizonte de onde nunca mais saiu. Foi onde desenvolveu a carreira de arquiteto e deu à cidade ares de modernização.

Do prédio da prefeitura à sede social do Minas Tênis Clube. Passando pelos hospitais Felício Rocho, Vera Cruz, Alberto Cavalcanti, Santa Casa. Isso sem contar na igreja do Carlos Prates, o antigo Cine Metrópolis e o Hotel Itatiaia, o prédio enorme que fica em frente à praça Rui Barbosa, no Centro. Sendo assim, a arquitetura de Belo Horizonte deve muito a Raffaelo Bertti.

O Culturadoria visitou a exposição Percorsi Italiani em companhia de Silma Berti. Ela foi casada com um dos filhos de Raffaello Berti, Mário. Além disso, foi responsável pela edição do livro que registra a importância da obra do arquiteto para a história de Belo Horizonte. Não há dúvida: ele de fato ajudou a formar a identidade belo-horizontina.

Confira o vídeo:

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!