fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Espetáculo A que ponto chegamos

Publicidade - Portal UAI
Foto: Patricia Ferreira / Divulgação
[QUANDO]
28/11/2019 a 30/11/2019
[QUANTO]
R$ 30 (inteira) e R$15 (meia)
[ONDE]
Teatro SESIMINAS - Rua Padre Marinho - Santa Efigênia, Belo Horizonte - MG, Brasil
Comprar ingresso

De 28 a 30 de novembro o Teatro de Bolso do Sesiminas recebe a temporada de estreia do espetáculo A Que Ponto Chegamos, que possui argumento de Robson Vieira, que interpreta um motorista de ônibus que sonha em se tornar um famoso youtuber. O espetáculo tem a direção de Carlos Nunes e a dramaturgia é assinada por Robson Vieira e Edu Costa. Os ingressos já estão disponíveis no site de venda de ingressos Tudus (tudus.com.br) e custam R$30,00 – inteira – e R$15,00 – meia entrada. As apresentações vão ocorrer sempre às 21h, de quinta à sábado.

A parceria entre os três artistas é resultado de um trabalho de pesquisa de Robson Vieira no campo da comicidade, que é destaque em seus últimos trabalhos, como o espetáculo “Atendendo a Pedidos” e o amadurecimento de seu palhaço Quincas. “Estou encontrando na comédia uma nova experiência e o quanto ela é potente para a reflexão sobre diversos assuntos”, conclui o ator.

SINOPSE

Afonso um motorista de ônibus, surta em pleno horário de trabalho, desacelera, desliga os motores e desce do ônibus, em plena avenida Afonso Pena, fechando o trânsito e deixando todos os passageiros à deriva e desorientados. Afonso desce do ônibus e vai embora, à pé, para casa, chegando lá ele se tranca e decidi que só sairá de casa quando tiver mais de sete milhões de seguidores em seu canal do Youtube. Mas ao longo da noite ele vai tendo algumas surpresas, enquanto grava vídeos para seu canal!

O novo sonho de quase todos os brasileiros: “Virar youtuber e ficar rico” é o mote principal dessa comédia, que além de nos divertir com as confusões desse ex-motorista de ônibus, nos faz pensar como a vida anda reduzida ao celular e suas redes sociais.

  

PROCESSO DE CRIAÇÃO

 

A comédia “A que ponto chegamos” nasceu do encontro dos artistas: Carlos Nunes, Edu Costa e Robson Vieira. Com o desejo de continuar a investigação no campo do cômico, Robson Vieira, depois de criar o solo Atendendo a Pedidos, em 2017, decide focar sua carreira no teatro adulto tendo como base a comédia ou comicidade. A partir daí voltou a estudar o palhaço e de lá pra cá tem se apresentado com “Quincas” seu palhaço, em diversos eventos e festivais. Sua última aparição foi em Sete Lagoas, no festival de cenas curtas. Inquieto com o desejo de criar seu primeiro solo cômico, começou uma busca por um parceiro que comungasse com sua forma de pensar o cômico e encontrou o ator e humorista Carlos Nunes, que com um humor sútil, debochado e sagaz, se mostrou como o diretor ideal para esse trabalho. Como em seus últimos trabalhos, Robson Vieira alia a criação dramatúrgica ao trabalho de ato, e tem criado seus textos sempre em parceria com outro dramaturgo. Dessa vez ele convidou Edu Costa, companheiro de trabalhos antigos e dramaturgo que despontou em seu último trabalho em parceria com Fabiano Persi “Sapato Bicolor”. O trabalho de criação de texto aconteceu a partir de improvisos em sala de ensaio e de escritas solitárias. A equipe se completa com o trabalho de Marcelo Gontijo, criador do cenário e do material gráfico.

FICHA TÉCNICA

Argumento e atuação: Robson Vieira

Direção: Carlos Nunes

Texto: Edu Costa e Robson Vieira

Cenografia: Marcelo Gontijo

Trilha Sonora: Carlos Nunes e Robson Vieira

Criação e produção gráfica: Marcelo Gontijo

Iluminação: Robson Vieira e Osmar Ferreira

Execução de trilha: Osmar Ferreira

Produção: Robson Vieira

Produção executiva: Osmar Ferre

Fotos: Patrícia Ferreira

Vídeos: Byron O´Nell

 

SERVIÇO

“A QUE PONTO CHEGAMOS”

Local: Teatro de Bolso do Sesiminas

Quando: 28, 29 e 30 de Novembro – quinta à sábado, sempre às 21:00hs.

Quanto: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia entrada.

Onde comprartudus.com.br, ou na bilheteria do teatro

Informações: (31) 9 8647-6627

Continua após a publicidade...