Simón el topo Foto: Teatro de la plaza / Divulgação
13 set 2018

Espetáculos de rua e para crianças em destaque no FIT 2018

O conceito do Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de Belo Horizonte 2018 é Corpos-Dialetos. Ou seja, propõe um olhar sobre as diásporas africanas e a cena nordestina. Analisamos todos espetáculos de rua e os infantis escolhidos pela curadoria e fazemos aqui nossas apostas. Confira!

Você pode ainda conferir as apostas entre as peças internacionais e as nacionais!

 

Looping Bahia Overdub – Foto: Patrícia Almeida / Divulgação

 Batucada e Looping: Bahia overdub 

A abertura do Festival neste ano será no Parque Municipal. De cara dois espetáculos de rua para a festa: ‘Batucada’ e ‘Looping: Bahia Overdub’. ‘Batucada’ é uma intervenção cênica concebida originalmente para o Kunsten Festival des Arts/BE, um dos principais da Europa. A intervenção, montagem do Piauí, reunirá 200 pessoas com máscaras, panelas e latas em um número que oscila entre a carnavalização e o protesto. Todos os participantes foram selecionados a partir a partir de uma convocatória pública. Apresentação dupla no Parque Municipal e na Fábrica Criativa. Outra atração de rua que fará parte da programação de abertura é ‘Looping: Bahia overdub’. A intervenção representa as festas de largo de Salvador e suas contradições. Looping constitui um estudo do tempo: repetição e acumulação. Assim como nas ruas, o que está em jogo são arranjos coletivos através de uma participação estético-política.

[O QUE] “Batucada” e “Looping: Bahia Overdub” [QUANDO] 13 de setembro, às 19h [ONDE] Parque Municipal Américo Renné Giannetti [QUANTO] Gratuito

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO ‘BATUCADA’ [QUANDO] 17 de setembro, às 20h30 e 18 de setembro, às 20h30 [ONDE] Fábrica Criativa [QUANTO] R$ 20

[COMPRE AQUI] 

 

Do Repente -Foto: Flaviana Ox / Divulgação

 

Do Repente

‘Do Repente’ é um espetáculo que une as linguagens do teatro, do circo e da dança em torno do romanceiro popular do Nordeste. Estão na montagem figuras como o poeta cantador, o coquista, o aboiador, o glosador, o cordelista e o calungueiro. Eles participam de uma releitura que relaciona o universo das culturas brasileiras com o universo urbano e global. O mais legal desse espetáculo é a versatilidade dele se adaptar em diferentes espaços. Serão quatro apresentações em locais distintos da capital mineira.

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO ‘DO REPENTE’

[QUANDO] 21 de setembro, às 18h [ONDE] Escola Municipal Polo de Educação Integrada (Poeint Barreiro) [QUANTO] Gratuito
[QUANDO] 22 de setembro, às 10h [ONDE] CRAS Mariano de Abreu [QUANTO] Gratuito
[QUANDO] 22 de setembro, às 18h30 [ONDE] Centro de Referência da Pessoa Idosa [QUANTO] Gratuito
[QUANDO] 23 de setembro, às 18h [ONDE] Paróquia Cristo Luz dos Povos (Cabana do Pai Tomás) [QUANTO] Gratuito

 

Chorar os filhos – Foto: Igor Ayres / Divulgação

 

Chorar os filhos

Eis mais uma aposta do FIT em performances. ‘Chorar os filhos’ é uma apresentação da mineira Nina Caetano que ocupará a Praça Rui Barbosa. A atriz tecerá textos em panos por aproximadamente 20 horas. Eles são falas de mães que perderam seus filhos e filhas em operações policiais e que não obtiveram esclarecimento do Estado ou punição dos criminosos. Em suma, é uma apresentação para observar e refletir.

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO ‘CHORAR OS FILHOS’ [QUANDO] 18,19 e 20 de setembro às 13h30 [ONDE] Praça Rui Barbosa [QUANTO] Gratuito

 

Assembleia Comum – Foto: Priscila Musa / Divulgação

 

Assembleia Comum

A belo-horizontina Trupe Estrela, do Núcleo de Teatro do Espaço Comum Luiz Estrela, é quem traz ‘Assembleia Comum’. O espetáculo de uma hora e meia ocupará três locais marginalizados da cidade. A peça é interativa e promove o encontro da obra com interação com o público. Estão em cena os jogos entre alegorias-personagens que buscam estimular a participação crítica do público em torno de questões contemporâneas. Um espetáculo para quem gosta de interação e diálogo horizontal.

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO ‘ASSEMBLEIA COMUM’

[QUANDO] 14 de setembro, às 19h [ONDE] Embaixo do Viaduto Santa Tereza [QUANTO] Gratuito
[QUANDO] 15 de setembro, às 16h [ONDE] Ocupação Vitória [QUANTO] Gratuito
[QUANDO] 16 de setembro, às 16h [ONDE] Ocupação Dandara [QUANTO] Gratuito

 

 

Simón el topo – Foto: Teatro de la plaza / Divulgação

 

Simón el Topo

A produção chilena ‘Simón el Topo’ é uma das poucas voltadas para as crianças. É um espetáculo de bonecos que promove a valorização das diferenças, dentre elas milita principalmente contra a homofobia. A história se passa entre a amizade de Simón com o amigo Raúl. A montagem foi apresentada em diferentes festivais de teatro no Brasil, Panamá, Chile e Argentina. Uma boa oportunidade para iniciar uma conversa com os pequenos sobre a diversidade sexual.

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO SIMÓN EL TOPO [QUANDO] 17 de setembro, às 14h e 18 de setembro, às 14h [ONDE] Teatro Marília – Av. Prof. Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia – BH [QUANTO] R$ 20

[COMPRE AQUI] 

 

Chapeuzinho Vermelho – Foto: Adriana Marchiori / Divulgação

 

Chapeuzinho Vermelho

A história de Chapeuzinho Vermelho todo mundo já conhece. Entretanto, a montagem do projeto Gompa, do Rio Grande do Sul, propõe uma nova releitura para a história infantil. Agora a garota do capuz vermelho está ambientada na contemporaneidade. Dessa forma, tem uma mãe ocupada, um pai ausente e uma avó doente e solitária. A rua é perigosa e, em casa, o tédio briga com a vontade de brincar. Soma-se a este enredo teatro, dança, música e contação de história. A ideia é mostrar com humor temas como a imaginação infantil, o medo e a curiosidade da criança diante do desconhecido. Uma peça curiosa e que merece destaque na programação.

[O QUE] FIT – ESPETÁCULO ‘CHAPEUZINHO VERMELHO’ [QUANDO] 15 de setembro, às 16h e 16 de setembro, às 11h  [ONDE] Grande Teatro do Sesc Palladium [QUANTO] R$ 20

[COMPRE AQUI] 

Gostou? Compartilhe!

Artigos Relacionados

Culturadoria com as dicas para o seu fim de semana: 21 de setembro

Culturadoria   PEDRO CARDOSO Tem um tempão que Pedro Cardoso não se apresenta em Belo Horizonte. Chega neste fim de semana com ‘O Autofalante’, mais um monólogo da carreira dele. É uma remontagem. A peça conta sobre um homem que perdeu o emprego, a mulher, a casa e tem um surto identitário. O protagonista é […]

Leia Mais

Fim de semana no Fit-BH: cheio de sentidos e vazio de público

Sou da turma que enfrentou mais de 12 horas de fila para comprar um ingresso para ver Peter Brook e Teatro da Vertigem no Fit-BH de 2004. Em 1997, na edição do centenário de BH, também estava lá correndo com uma multidão atrás do Generik Vapeur do Parque Municipal até a Praça da Estação. Antes […]

Leia Mais

Impressões abertura Fit-BH 2018: o que é teatro hoje?

Encostada em uma das árvores centenárias do Parque Municipal, Lus Mar se esforçava para captar alguma cena de Looping: Bahia Overdub. De pé no canteiro, puxou papo. “Você está entendendo alguma coisa?”. Achei melhor fazer cara de incógnita. Naquele momento, a opinião dela me interessava bem mais. “Não estou nem sentindo que estou em abertura […]

Leia Mais

Comentários