fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Entenda por que produções espanholas tem feito tanto sucesso no Brasil

Narrativa inovadora, conteúdo imersivo e plataformas de streaming são alguns dos pontos que explicam as altas audiências

Por Thiago Fonseca *

20/04/2020 às 11:28 | *Colaborador

Publicidade - Portal UAI
Foto: Netflix / Divulgação.

Historicamente o público brasileiro sempre teve resistência a conteúdos em língua espanhola. Seja na música, no cinema e principalmente na televisão. Vale lembrar as novelas mexicanas dubladas que davam um tom kitsch. Mas isso até a chegada da globalizada Netflix e La Casa de Papel. A estreia, em 2018, fez com que pouco a pouco o coração – e os ouvidos – dos brasileiros começassem a se abrir para o castellano.

É nessa esteira que foram chegando MerlíEliteVis a VisAs Telefonistas, Toy Boy, O Poço, A casa e por aí vai. O que estas produções possuem de diferente para conquistar tal feito? São narrativas que costumam envolver o público, prendem a atenção e despertam empatia, por mais fortes que as tramas possam ser.

Segundo levantamento da Netflix, realizado em dezembro do ano passado, La Casa de Papel foi a série mais assistida pelos brasileiros na plataforma em 2019.  Elite também está no pódio das dez mais vistas. O filme O Poço foi um dos assuntos mais comentados no Twitter no mês de março deste ano. Isso se deve – principalmente – à distribuição global do serviço de streaming, que chegou no Brasil em 2011.

Acesso e qualidade

Dessa forma, a facilidade de acesso seria o primeiro fator responsável pelo sucesso do cinema espanhol por aqui. Ao disponibilizar no catálogo uma série de produções de fora, as pessoas tiveram oportunidade de ver algo que antes não ganhava grande espaço na televisão ou nas telas de cinema.

A qualidade das produções também chama atenção. La Casa de Papel, por exemplo, tem um cuidado com roteiro e produção. A série inova ao trazer um assalto onde os criminosos são símbolo de resistência e luta. Além de ser imprevisível e ter qualidade estética. Também é uma trama que teve apelo popular. Ao se deparar com uma série tão boa, as pessoas passaram a assistir mais produções espanholas. Ou seja, um sucesso que abriu caminhos e influencia o gosto do público.

Confira a seguir no podcast Pipoca BH FM nossa análise da quarta temporada de La Casa de Papel.

Engajamento

O formato seriado é outro fator que influencia. Os brasileiros, desde de 1951, estão acostumados com novelas em capítulos. Combinar isso com o serviço de vídeo por demanda caiu no gosto do público, que a cada dia quer escolher o que ver.

O envolvimento com os personagens também cativa. O público se conecta, torce e, às vezes, até se identifica. Querer entrar na trama, poder participar dela ou interferir é um dos principais desejos despertados pelas produções. Elas envolvem, prendem e despertam o sentimento de pertencimento.

Além disso, todas as produções recentes do cinema espanhol lidam com problemas e temas contemporâneos e complexos. Entre eles estão, por exemplo, violência, feminismo, sexo e racismo. La casa de Papel, O Poço e A Casa, discutem problemas sociais. Vis a Vis, o feminismo. Elite, sexo e intriga.

Em resumo, o brasileiro vê as produções espanholas porque as histórias são boas e tem qualidade. Por mais que sejam temas comuns, são retratados com um regionalismo universal. Abordam o assunto com elementos culturais regionais da Espanha e ao mesmo tempo falam de outras culturas.

Além disso, o investimento em produções são altos. O governo espanhol, por exemplo, investe no cinema. A Lei 27/2014 implica em investimentos de até 50%, do valor total da produção, bancados pelo estado. Os estúdios também investem muito.

Cena de O Poço – Foto: Netflix / Divulgação

Legado

Séries e filmes contemporâneos que tem feito sucesso no streaming carregam características históricas do cinema espanhol, que surgiu em 1897. Já nessa época, as produções falavam da cultura, tradições populares e obtiveram sucesso internacional. Foram evoluindo no tempo, sempre seguindo características de vivacidade, intensidade e paixão do povo espanhol. Além de elementos que o país adora falar: seu cotidiano, sua cultura e sua história. Ou seja, o que se fala hoje é um reflexo de um passado.

Diante de números e repercussões tão positivas, a Netflix instalará em Madrid seu centro de produção na Europa. A escolha pela capital da Espanha sinaliza a intensificação do investimento da empresa na Espanha, com mais de 13 mil pessoas trabalhando em 20 produções originais da plataforma de Streaming neste ano.

photo

Adélia Prado: conheça a escritora homenageada no Prêmio Jabuti 2020

Poetisa, contista, professora e filósofa, Adélia Prado é um dos nomes mais importantes da literatura brasileira contemporânea. A escritora nasceu em Divinópolis e ganhou o Brasil com a sua prosa leve, coloquial e que trata de assuntos cotidianos com destaque para a voz feminina.  O reconhecimento veio de muitas formas, sendo uma delas as premiações. […]

LEIA MAIS
photo

Adoráveis mulheres: Greta Gerwig acerta em nova versão do conto de Louise May Alcott

Adoráveis Mulheres é o nome que leva o longa de Greta Gerwig, mas não se engane: o que têm de adoráveis, as mulheres da família March têm de resiliência, generosidade e força. Jo (Saoirse Ronan), Beth (Eliza Scanlen), Meg (Emma Watson) e Amy (Florence Pugh), além da mãe Marmee (Laura Dern), compõem o grupo de […]

LEIA MAIS
photo

Cinco discos para ouvir de cabo a rabo

Em tempos de single, ouvir discos inteiros é embarcar em uma narrativa estendida. Isso porque, na maioria das vezes, os álbuns são pensados e produzidos na tentativa de que uma música complemente a outra, seja na letra, na variação do ritmo ou de instrumentos. Às vezes nem precisa fazer sentido também, mas ouvir um disco […]

LEIA MAIS