fbpx
Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Duelo de Titãs no Saint Patrick’s Day 2018

Por Carol Braga

18/03/2018 às 16:31

Publicidade - Portal UAI

Por Bê Franco e Déborah Corsino – Colaboração especial para o Culturadoria 

St. Patrick’s day é uma festa tradicional irlandesa que vem tomando grandes proporções no Brasil. Cidades como Belo Horizonte tem se apropriado do dia 17 de março para também celebrar o dia de São Patrício.

E, foi com esse objetivo que grandes nomes do rock nacional subiram ao palco no último sábado. Na decoração o verde era a cor predominante em homenagem ao padroeiro da Irlanda    

 

Berimbau de primeira

 

Claro que não poderia faltar participação mineira na casa. Os Inquilos abriram a festa com um reggae bem autêntico.

O evento estava marcado para começar às 16 h, mas os portões só abriram por volta das 17hrs. A banda mineira subiu ao palco por volta das 18hrs, dando a largada para os espetáculos.

Quem visse a banda de longe, poderia se confundir com os Titãs das antigas. Já que Os Inquilinos contavam com nove integrantes. Mas ao começarem a batucar, o estilo das músicas não dava mais brechas para algum eventual engano. Quando o show iniciou, o local estava bastante vazio. Infelicidade de quem chegou atrasado.

O grupo, liderado pelo vocalista, Vitin, mostrou muito caráter e genuinidade ao performarem suas músicas autorais. É uma banda marcada por muitos instrumentos, até mesmo o berimbau está presente em algumas das canções. O show contou basicamente com composições próprias, com a exceção de uma ou outra releitura de Nação Zumbi ou até mesmo Bob Marley.

 

Banda ‘Os Inquilinos’ foi responsável por abrir o St Patricks Day em BH. Foto: Déborah Corsino

 

Do reggae ao rock

 

Ao fim da apresentação não teve chuva, nem raios ou trovões que impedissem o público, e aos poucos a casa foi ficando cheia. Rodrigo Santos, ex-baixista do Barão Vermelho entrou dando “saudações a quem tem coragem”. E ao som de “Pense e dance” convidou a todos para cantarem juntos.

Com clássicos do Barão, o exímio baixista trouxe à plateia a energia do seu power trio. Mantendo o baixo como instrumento mais marcante, arriscando solos e prendia os olhos daqueles que assistiam. The Police também fez parte do set list do três, e “Every breath you take” embalou todos que ali estavam.

 

Viva Cazuza!

 

Mas, além de muito Barão, os Lenhadores fizeram versões de canções de Lobão, Ultraje a Rigor, Secos e Molhados, e até mesmo Raimundos. E claro, uma bela homenagem a Cazuza, que pelas palavras de Rodrigo Santos, “compunha com a alma”, para finalizar o show.

Após o intervalo que se seguiu, os convidados que já lotavam o complexo se surpreenderam ao ver “Chorão” entrar no palco. Um sósia quase prefeito do cantor que animou os fãs do Charlie Brown Jr. ao relembrar clássicos icônicos do grupo santista.

 

Ponham o skate para cima

 

Para êxtase dos fãs, convidados mais que especiais se juntaram ao tributo. O primeiro a integrar o grupo foi Egypcio, vocalista da banda Tihuana. O segundo convidado foi alguém que vivenciou de perto, ou melhor, de dentro o que foi o Charlie Brown, trata- se do ex-baterista do grupo, Graveto. O espetáculo emocionou o público com grandes hits da banda.

 

Titãs no St. Patricks Day 2018. Crédito: Felipe Figueiredo

 

Espera titânica

 

Depois de uma longa espera, com um atraso, que só deixou os ansiosos malucos, os Titãs deram as caras. O show estava marcado para 23hrs, segundo a agenda dos artistas, mas já passava da meia noite quando os músicos surgiram. Porém, nada que deixasse a plateia decepcionada.

Com apenas três, dos oito de seus integrantes originais, a banda abriu bem o show. Começando com “Lugar Nenhum”. Mário Fabre na bateria e Beto Lee na guitarra completavam o quinteto. Tony Belloto, Branco Mello, e Sérgio Britto, os remanescentes da formação original, não pareciam sentir falta dos ex-integrantes, muito menos, os ouvintes, que foram ao ápice do evento na primeira canção entoada pelos Titãs.

 

Continua após a publicidade...

 

“A melhor banda de todos os tempos da última semana”

 

Com uma boa interação com o público, foram clássicos atrás de clássicos. O show parecia uma comemoração. O disco Cabeça Dinossauro completou 32 anos em 2018, algo que foi citado por Tony Belloto. Para homenagear o marco na carreira dos músicos, a plateia foi presenteada com 6 composições do disco.

Apesar de estarem a ponto de lançar um novo trabalho, a primeira ópera rock do país, o Titãs nem mencionou ou tocou alguma música do 12 Flores Amarelas”. Continuaram a apostar em seus hits, como “O Pulso”, e “Pra dizer Adeus”. Inclusive nesta última música uma grande novidade, Tony Belloto ficou por conta dos vocais.

 

Mais surpresas

 

Para os fãs que gostam de um “lado B”, a banda tocou uma música que há anos não estava em seu repertório, “32 Dentes”. Canção que compõe o álbum Õ Blésq Blom, que também possui uma versão no Acústico MTV.

O espetáculo foi marcado por algumas singularidades, como um solo de Mário Fabre na bateria em “Cabeça Dinossauro”, e algumas disputas de solos de guitarras entre Tony Belloto e Beto Lee.  Além de um pequeno discurso de Sérgio Britto pelo momento político vivido no Brasil, isso antes de finaliza- ló com “Desordem”.

No ritmo de St. Patrick’s day, Branco Mello finalizou o espetáculo tocando com a característica cartola verde de São Patrício.

 

 

 

photo

Abertas inscrições para intervenções urbanas no bairro Santa Tereza

As fachadas de nove lojas, bares e restaurantes, além do muro do metrô do bairro Santa Tereza ganharão intervenções artísticas no mês de julho. A inciativa é proposta da primeira edição do 1ª edição do TAU – Território Arte Urbana. O Projeto propõe fazer nas ruas Mármore, Divinópolis e Silvanópolis o mesmo que C.A.L.L.E realiza […]

LEIA MAIS
photo

Culturadoria com as dicas para o seu fim de semana: 16 de fev

Agora sim nossa Culturadoria volta ao normal! São muitas estreias interessantes na Campanha de Popularização para crianças e adultos. No cinema, também tem novidades de peso: Três anúncios para um crime, Lady Bird: a hora de voar e Eu, Tonya.     Orquestra Filarmônica de Minas Gerais Embora os ingressos já estejam esgotados, não dá […]

LEIA MAIS
photo

Zezé Motta faz Tiradentes sambar dentro da Matriz de Santo Antônio

O que diferencia o Tiradentes em Cena de outros festivais de teatro é a possibilidade de ocupar espaços de fato pouco convencionais para as apresentações. Prova disso, foi o show ‘Divina Saudade’, de Zezé Motta, realizado dentro da igreja de Santo Antônio. Quem esteve lá teve a oportunidade única de ouvir a homenagem a Elizeth […]

LEIA MAIS