Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Dicas de filmes imperdíveis na 1ª Mostra Embaúba Play

A mostra estreia a plataforma de streaming Embaúba Play, focada na produção cinematográfica brasileira contemporânea
Mostra Embaúba Play
Cena do documentário Kevin. Foto: Cristina Maure/Divulgação

Até o dia 12 de junho, quem curte cinema tem a oportunidade de conferir gratuitamente 81 filmes na 1ª Mostra Embaúba Play! É a estreia a plataforma de streaming da Embaúba Filmes, especializada em cinema brasileiro contemporâneo a preço acessível e com obras inéditas no circuito comercial. A iniciativa é viabilizada pela Lei Aldir Blanc e tem patrocínio do UniBH.

Além de ser porta de entrada para a Embaúba Play, a programação online permite que o público entenda a diversidade de olhares e escolhas da plataforma. Isso porque a equipe curatorial, pensou em seis seções que se complementam para dar um panorama da produção cinematográfica atual.

Então, selecionamos cinco filmes para você conferir até 12 de junho. Mas vale lembrar que as produções em longa-metragem ficam disponíveis por três dias a partir de cada estreia. Por outro lado, os curtas durante todo o período. 

Elegia de um crime, de Cristiano Burlan (Disponível em 4, 5 e 6 de junho)

O filme faz parte da seção Também somos rascunhos, que flerta com o campo biográfico, documental e reflexivo. Dessa forma, filme encerra a Trilogia do luto, que aborda o assassinato de Isabel Burlan, mãe do diretor. Assim, o longa mergulha em uma viagem para reconstruir a imagem e a vida de Isabel. Para isso, Cristiano Burlan reconstrói os passos do assassino da mãe e coloca em cena o seu corpo e memórias. Além disso, reflete a violência que perpassa a vida de pessoas pobres no Brasil. Veja aqui.

Kevin, de Joana Oliveira (Disponível em 7, 8 e 9 de junho)

Está na seção Pré-estreia e lançamentos da Embaúba Filmes. O longa é um documentário íntimo, que mostra a relação entre a brasileira Joana Oliveira, também diretora, e a ugandense Kevin. Elas se conheceram há mais de duas décadas quando estudaram juntas na Alemanha. Agora, próximas a completar 40 anos, se reencontram no país africano. Em resumo, faz um paralelo entre uma amizade que começou nos corredores de uma universidade na Europa, se solidificou e continuou mesmo com a distância entre os continentes. Saiba mais sobre o filme aqui e assista aqui.

A vizinhança do Tigre (Disponível em 7, 8 e 9 de junho)

Disponível na mostra 10+15 – pulsões de um cinema brasileiro (longas), que reúne longas e curtas produzidos na última década, o filme acompanha cinco jovens da periferia. São eles Juninho, Menor, Neguinho, Adilson e Eldo, todos moradores do bairro Nacional, periferia de Contagem. Dessa forma, explora a intimidade, corpos e ações. Tudo isso dividido entre trabalho e diversão, crime e esperança. Ou seja, a narrativa explora as formas que os jovens encontram de superar dificuldades e dar conta do tigre carregam dentro de si. Assista aqui.

Wai’a Rini, de Divino Tserewahú (Disponível em 7, 8 e 9 de junho)

Disponível na seção Fluidez da forma no cinema indígena, que mostra a pluralidade do cinema indígena. O filme apresenta as festas do Wai’á. Trata-se de um ciclo de cerimônias de iniciação do povo Xavante que introduz o jovem na vida espiritual a partir do contato com as forças sobrenaturais. Dessa forma, para criar a narrativa, o diretor conversa com o pai, um dos dirigentes do ritual, para explicar o que pode ser dito sobre a festa secreta. Veja aqui.  

Fé e fúria, de Marcos Pimentel (Disponível até 12 de junho)

Por fim, também na seção Pré-estreias e lançamentos da Embaúba Filmes, o filme aborda os conflitos religiosos nos subúrbios e favelas de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro. Para isso, mostra o crescimento vertiginoso das igrejas evangélicas e a relação com traficantes que comandam as comunidades, causando um desequilíbrio de forças religiosas. Resultado: diversos casos de intolerância religiosa, que alteram a prática de cultos e a estrutura do território e comportamento dos habitantes. Além disso, um destaque vai para os “traficantes evangélicos”. Isso porque mostra como religião e poder caminham juntos em periferias de grandes cidades e como isso afeta questões políticas e sociais. Veja aqui.

mostra embaúba play
Imagem do filme “A vizinhança do tigre”, de Affonso Uchoa. Crédito: Embaúba Filmes

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!

[ RECOMENDADOS ]