Curadoria de informação sobre artes e espetáculos, por Carolina Braga

Empreendedorismo feminino no cinema: cinco filmes para te inspirar

19 de novembro é o Dia do Empreendedorismo Feminino e separamos algumas produções que podem te ajudar a gerir melhor seu negócio
Self Made - Madame C J Walker. Foto: Netflix/Divulgação

O empreendedorismo é algo relativamente novo na minha vida mas que entrou de maneira avassaladora. Outro dia uma amiga me pediu uma dica de romance para ler. A minha resposta foi a mais sincera possível: tenho lido somente coisas relacionadas a negócios. Nessa minha lista cabem temas relacionados à gestão, liderança, economia criativa e, claro, muito – muito mesmo – empreendedorismo feminino

Acho curioso o fato de ter uma data para o empreendedorismo feminino. É a mesma coisa do dia internacional da mulher. Sempre me pergunto a necessidade de marcar essa diferença mas entendo a importância. Não só isso. Acredito que agora eu também enalteço essa distinção. Infelizmente o mundo ainda não é igual na forma como trata um homem empreendedor e uma mulher empreendedora. 

Nos resta correr atrás mesmo. Isso envolve mergulhar de cabeça na bibliografia técnica, se inspirar na história de outras mulheres e, no meu caso, também deixo um espaço para o cinema. Sim, acredito no poder que a arte tem de espelhar a sociedade e também inspirar. Por isso, neste dia do empreendedorismo feminino, resolvi compartilhar com você alguns filmes e séries sobre o tema e que já passaram pela minha tela. 

Tem um detalhe curioso nessa pequena lista: boa parte das produções foi dirigida por mulheres. E mais: se você der um Google procurando inspiração sobre o tema “mulheres empreendedoras” não vai encontrar muitos títulos além desses. Sabe o que isso sinaliza? Que o tema merece ainda ser melhor explorado. Tenho certeza que existem mais histórias como estas que precisam ser contadas. 

 

Madam C.J. Walker (2019)

A história da primeira milionária dos Estados Unidos já passou aqui pelo Culturadoria porque foi uma série que realmente me marcou muito. Além de extremamente competente em seus aspectos técnicos, é um belo exemplo da garra que uma mulher precisa ter quando decide empreender. Embora a história se passe no início do século XX, aposto que muitas ainda enfrentam situações parecidas. Me surpreende a determinação de Madam. Que sejamos todas assim, né!

Joy: o nome do sucesso (2016)

Adoro Jennifer Lawrence. Inclusive em Jogos Vorazes. Mas não acho que o papel de Joy Mangano tenha sido um dos pontos altos da carreira dela. Inclusive o filme rendeu uma indicação ao Oscar. Apesar disso, não há como não reconhecer o quão inspiradora é a história da mulher que inventou o esfregão. O que me marcou no longa dirigido por David O. Russell foi o modo como ele retratou os altos e baixos. É, minha gente, não dá para empreender sem entrar nessa montanha russa bem louca de emoções. Se é assim, vamo que vamo! Deu tudo certo para Joy que também se tornou uma das empreendedoras de maior sucesso dos EUA.

Um senhor estagiário (2015)

Quem disse que uma comédia com um “q” de romântica não pode ser um filme que também inspire empreendedorismo. Esse filme, disponível na Netflix, é uma combinação de acertos. É dirigido por Nancy Meyers (Alguém tem que ceder), com Robert De Niro e Anne Hathaway. Ele faz o estagiário do título que vai trabalhar com a jovem empresária da internet. Bom, e sobre as lições de empreendedorismo? A mensagem forte que ficou pra mim é que, apesar de todos os desafios da função, não vale a pena se esquecer de você e nem daqueles que mais ama.

Coco antes de Chanel (2009)

O universo da moda também sempre inspira reflexões empreendedoras, né? Pois nesse longa a eterna Amélie Poulain, Audrey Tautou, mostra o percurso de transformação de um dos maiores nomes dessa área: Coco Chanel. Sim, assim como Madam C. J. Walker você vai ver que ela precisou superar muita coisa e nunca perder a determinação. O filme é dirigido por Anne Fontaine. 

The Post: A Guerra Secreta (2017)

Embora seja um roteiro mais sobre o jornalismo do que propriamente sobre empreendedorismo, The Post: A guerra secreta precisa estar nessa lista. Primeiro, claro, porque é no jornalismo, este negócio criativo, que eu empreendo. Segundo porque tem Meryl Streep em mais uma atuação magistral. E por último porque inspira posicionamento. Como é uma grande atriz, Streep deixa transparecer pelo olhar o peso interno de cada decisão. Um filmaço que também recebeu duas indicações ao Oscar de 2018, melhor filme e atriz.

[ COMENTÁRIOS ]

[ NEWSLETTER ]

Fique por dentro de tudo que acontece no cinema, teatro, tv, música e streaming!